sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Vale alimentação dos servidores públicos de São Paulo, teto indexador. O que é isso?

O Vale Alimentação dos servidores públicos do estado de São Paulo, mais conhecido como VALE COXINHA é uma VERGONHA, e tem um tal teto indexador ainda.

Teto indexador?

O que é isso?

O Vale alimentação (VALE COXINHA) do servidor público do estado de São Paulo tem um teto indexador de 147 UFESPs, no cálculo você tira a insalubridade e auxílio transporte.

Veja no link abaixo que a partir de 05 de janeiro de 2018 o Teto indexador subiu de 141 UFESPs para 147 UFESPs e o valor de cada vale que era de R$ 8,00 foi reajustado para R$ 12,00:

Valor da UFESP(UNIDADE FISCAL DO ESTADO DE SÃO PAULO) 2018 = R$26,53(vinte e seis reais e cinquenta e três centavos), ou seja, quando o servidor público do estado de São Paulo atingir o salário BRUTO de R$ R$ 3.889,91 , MENOS a insalubridade e o auxílio transporte (no cálculo, tire esses dois auxílios do bruto), se após tirar esses dois auxílios você receber 0,01 (um centavo) ou mais, você perderá o Vale COXINHA.
Obs: Valores atualizados para 2019




VEJA O DECRETO ANTERIOR A 2018:


Decreto 50079/05 | Decreto nº 50.079, de 6 de outubro de 2005 de São Paulo









Dá nova redação ao inciso I do artigo 8º do Decreto nº 34.064, de 28 de outubro de 1991, de regulamentação da Lei nº 7.524, de 28 de outubro de 1991, que institui o auxílio-alimentação e dá providências correlatas Citado por 1
GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, no uso de suas atribuições legais e à vista do disposto no inciso I do artigo 4º da Lei nº 7.524, de 28 de outubro de 1991, com a redação dada pelo artigo 17 da Lei nº 8.320, de 22 de junho de 1993, Decreta:
Artigo 1º - O inciso I do artigo 8º do Decreto nº 34.064, de 28 de outubro de 1991, passa a vigorar com a seguinte redação:
"I - cuja retribuição global no mês anterior ao do recebimento do benefício ultrapasse o valor correspondente a 141 (cento e quarenta e uma) Unidades Fiscais do Estado de São Paulo - UFESPs, considerado o seu valor no primeiro dia útil do mês de referência do pagamento;". (NR)
Artigo 2º - As despesas decorrentes deste decreto correrão à conta dos recursos próprios consignados no orçamento vigente.
Artigo 3º - Este decreto entra em vigor na data de sua publicação, produzindo efeitos a partir de 1º de outubro de 2005, ficando revogado o Decreto nº 48.938, de 13 de setembro de 2004. Palácio dos Bandeirantes, 6 de outubro de 2005
GERALDO ALCKMIN





Nenhum comentário:

Postar um comentário



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.

Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.