terça-feira, 11 de setembro de 2012

Detentos ameaçam 2 reféns na PI de Tremembé com escovas de dente, segundo jornal O Vale.

Fonte: http://www.ovale.com.br/nossa-regi-o/detentos-ameacam-2-refens-na-p-1-com-escovas-de-dente-1.311018

 

Detentos ameaçam 2 reféns na P-1 com escovas de dente

P1 em Tremembé. Foto: Rogério MarquesP1 em Tremembé. Foto: Rogério Marques
Com capacidade para 538 presos, unidade de Tremembé conta atualmente com 616 e passa por obras de ampliação
Michelle Mendes
Taubaté

Escovas de dente com os cabos afiados foram as armas usadas por dois detentos da P-1 (Penitenciária Tarcizo Leonce Pinheiro Cintra) de Tremembé para fazer um agente penitenciário e um visitante reféns em uma tentativa de fuga frustrada na manhã do último sábado.
O agente e o visitante foram mantidos reféns pelos detentos durante cerca de uma hora na enfermaria da unidade prisional.
A SAP (Secretaria de Administração Penitenciária) informou que os dois detentos, Endrigo Sampanha, 29 anos, e Flávio Kimgmner Miller, 32 anos, serão transferidos para outra unidade.
Por meio de nota, a SAP informou ainda que solicitará ao Juízo de Direito das Execuções Criminais a internação dos presos no RDD (Regime Disciplinar Diferenciado), com proposta de permanência por um período de 60 dias.
O RDD é um regime considerado mais rigoroso, onde o preso permanece isolado em punição por faltas cometidas dentro do sistema prisional.

Ação. Por volta de 8h30, Sampanha surpreendeu o agente penitenciário na enfermaria.
O agente estava acompanhando o parente de um detento que estava internado no local.
O detento deu uma gravata no agente e usou a escova de dentes para ameaçá-lo.
De acordo com a polícia, quando o agente tentou chamar ajuda via rádio, Miller sacou outra escova de dentes com o cabo afiado e continuou fazendo ameaças ao agente e também ao visitante.
Em minutos, outros agentes foram até a enfermaria e, junto com o diretor da penitenciária, negociaram durante uma hora a liberação das vítimas.
O agente e o parente foram liberados posteriormente pelos presos sem ferimentos.
Funcionários que trabalham na penitenciária reclamam da falta de segurança e da infraestrutura precária, situação que acaba piorando por conta da superlotação.
“Aqui é assim, vivemos reféns do medo. Muitos olham torto, falam pelas costas e nos resta pouco amparo. A superlotação dos presídios faz que eles fiquem ainda mais agressivos”, disse um agente penitenciário que pediu para não ter o nome revelado.
Com a capacidade para abrigar 538 presos, a P-1 de Tremembé tem atualmente 616 detentos -- todos mantidos em regime fechado. A unidade passa por obras de ampliação (leia texto nesta página).
A P-1 é considerada atualmente reduto de integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital) detidos.

Investigação. A SAP informou que foi elaborado um Boletim de Ocorrência sobre o caso com relatos das vítimas e testemunhas.
Além do inquérito policial, também foi instaurado um procedimento disciplinar pela direção da unidade.
Superlotação
Obras vão ampliar capacidade
Para reduzir a superlotação da P-1 de Tremembé, a SAP (Secretaria de Administração Penitenciária) iniciou em abril obras de reforma e ampliação da unidade. O investimento é de mais de R$ 10 milhões. Após a ampliação dos pavilhões 1,2 e 3, serão abertas 638 novas vagas. Serão refeitas instalações elétricas, de água e esgotos, entre outros.

6 comentários:

  1. capacidade 538 / população de 616 ....ta suave demais, na capital unidade para 520 com população de 1800.Isso sim é superlotação!E tem guarda ainda que reclama de 538/616...kkkkkkkkkkkkk!!!!

    ResponderExcluir
  2. A superlotação é o "caos" do sistema prisional paulista, o que dizer então de um CDP que tem capacidade para 768 presos e que abriga quase 2 mil ? Esta é a situação vivida por nós agentes do CDP de Mogi das Cruzes e CDP de Suzano, pertencentes a mesma COREVALE, reféns todos os dias nas 12 horas de trabalho, contamos com a colaboração dos "faxinas" para podermos conar e trancar o raio, hajavisto que se a população do raio agredir o agente quem paga é a faxina (cela 1), onde chegamos ? Ter nossa proteção garantida por bandidos ? valorização já ! SINDICATOS, POR FAVOR, FAÇAM ALGO !

    ResponderExcluir
  3. Operação da Rota deixa 9 mortos e 8 presos

    Segundo a Secretaria da Segurança Pública, policiais foram recebidos a tiros por bando em chácara de Várzea Paulista

    De acordo com a pasta, suspeitos eram ligados ao crime organizado e estavam 'julgando' um suspeito de estupro

    DE SÃO PAULO
    Nove homens foram mortos e oito presos ontem durante operação de policiais da Rota, grupo de elite da Polícia Militar, na cidade de Várzea Paulista, na região de Jundiaí (a 54 km de São Paulo).

    Segundo a PM, oito mortos eram ligados à facção criminosa, supostamente o PCC, e foram baleados após reagirem a tiros à chegada de dez equipes da Rota. Nenhum dos 40 policiais se feriu.

    De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública, a PM foi acionada após o setor de inteligência da Rota receber uma denúncia anônima informando o local onde um homem suspeito de estupro seria julgado por um "tribunal do crime".

    Um dos mortos na ação era, segundo a PM, o suspeito que estava sendo "julgado" pelo bando. Ele pode ter sido morto antes da chegada da Rota.

    A PM diz que a suposta vítima do estupro (uma menina de 12 anos), a mãe dela e o irmão estavam na chácara e presenciaram o "julgamento" do suspeito. Segundo a polícia, foi o irmão da vítima quem pediu ajuda aos criminosos para punir o suspeito.

    Os "tribunais do crime" são considerados uma prática do PCC para evitar que alguns casos atraiam a atenção da polícia e atrapalhem as atividades criminosas da facção. Um grupo formado por membros da facção "julga", "condena" e "executa".

    O número de mortos na operação de ontem é o maior em uma ação da polícia paulista desde junho de 2006, quando 13 suspeitos -também acusados de ligação com o PCC- foram mortos pela Polícia Civil em São Bernardo do Campo (Grande ABC).

    Na ocasião, a informação era que o grupo faria um ataque contra agentes penitenciários. O episódio ocorreu no auge dos atentados da facção criminosa a policiais e unidades de segurança pública.

    FUGA E TIROTEIO

    Segundo a PM, os homens da Rota chegaram ao local do "tribunal", uma chácara alugada de um candidato a vereador, por volta das 16h30. A polícia local só ficou sabendo da operação quando os baleados começaram a chegar ao hospital.

    Segundo a PM, dois carros fugiram em direções opostas e houve confrontos. Em um veículo, dois suspeitos foram mortos e outro foi preso. No outro carro, foram dois mortos e dois detidos. Outros quatro foram mortos na chácara e cinco deles, presos.

    De acordo com a secretaria, foram apreendidos no local uma granada e dinamite, além de uma metralhadora, duas espingardas calibre 12, sete pistolas, quatro revólveres, cinco veículos roubados e 20 quilos de maconha.

    Segundo a Prefeitura de Várzea Paulista, os baleados foram levados pelos próprios veículos da Rota ao Hospital da Cidade entre 16h e 16h30.

    Em nota oficial, a prefeitura diz que "alguns desses indivíduos já chegaram sem vida ao local" e que "uma equipe médica foi mobilizada para atender as ocorrências".

    Próximo Texto | Índice | Comunicar Erros

    ResponderExcluir
  4. Deixo aqui registrado para todos meu recado, há situação em que vivemos hoje tudo começa em Brasilia ! Quando em nosso voto eleitoral decidimos quem iremos por lá dentro,para tomar muitas decisões nesse país. Agora argumentarei a sitação da reportagem, Aí começa o problema a "CORUPÇÃO" se eles(governo) fizessem tudo certo, tenho certeza que o problema que ocorreu nesse presidio poderia ser evitado como 1º a acapacidade de lotação e para 538 detentos aí tá um erro e não para 616 tem "78" há mais, ops o SAP AINDA VAI INFORMAR há tenha dó! 60 dias é pouco de punição para esse marginais, os Agentes ficam com medo deles e pra ser o contrario mais como disse o governo não ajuda muito ! Aí eu pergunto Cadê as Unidades Prisionais do Estado de São Paulo ? Quando é que muitas serão entregues? Meu esse governadores tem que parar de encher linguiça e fazer mais obras ( que no caso são as Unidades Prisionais). Com isso gera mais emprego, mais segurança ao trabalhador que são os Agentes. Muitaas obras nem começaram e outras estão paradas é ninguém faz nada né a esse Agentes eu só tenho que parabenizar eles pela coragem. E assim nosso Brasil , mas como já disse no começo tudo começa em Brasilia. Tenho fé em Deus que isso pode mudar . As eleções estão ai eu farei minha parte e você? Atodos um beijo e fiquem com Deus.

    ResponderExcluir
  5. Caros companheiros, a superlotação, é problema em todas as unidades, seja ela pequena, ou enorme como as da região metropolitana, que chega a ter o triplo de presos do qual deveria, cabe a nós sermos mais parceiros, e cuidarmos de nossos colgas de trabalho, tanto incentivando-os na maneira certa e segura de agir, quanto repassando os demais problemas identificados aos nossos superiores para que hajam melhorias, não adianta querermos tornar-nos vitimas do sitema, quando existem ulguns frutos podres que nos vendem levando armas drogas e celulares pra dentro das unidades, temos que nos mostrar fortes, e quando nossas condiçoes de trabalho forem inseguras, temos que cruzar os braços, e mostrar ao ESTADO, que também fazemos parte da essencia da segurança.

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo. Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook,
Jenis de Andrade no Orkut e
@jenisdeandrade no Twitter.