segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

SIFUSPESP convoca assembleia para avaliar paralisação do dia 30

Veja convocação para Assembléia e dê sua opinião:

http://www.sifuspesp.org.br/index.php/materia-1/1685-sifuspesp-convoca-para-assembleia-para-avaliar-paralisacao.html

39 comentários:

  1. As cadeias tão todas cheias de problemas, tem asp assassinado todo mês, asp agredido todo mês, mas o sindicato não chama assembléia pra greve, mas pra porte chama, isso só porque nao quer pagar comedia e ficar de fora porque os outros estados vão fazer greve. quer greve contra o governo do estado, ele sim merece uma greve monstra. o porte nóis temos é só pegar a funcional que parece de aluno de escola

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. verdade ,caro guerreiro,mas temos que mostrar nossa cara.chega de ser ANONIMOS,somos AGENTE DE SEGURANÇA PENITENCIARIO,não temos medo de enfrentar o crime!!!!porque termos medo de falar o que pensamos, vamos assinar embaixo

      Excluir
  2. Paralisação para porte de arma? Que piada! Temos que paralisar por melhores condições de trabalho, mais segurança dentro das U.Ps, mais funcionários trabalhando. Ah pára vai...

    ResponderExcluir
  3. Com todo respeito, mas é piada com tanta coisa para lutar, nossa aposentadoria especial, a segurança dos ASP poderiam citar várias, o povo quer o porte de arma a me economize, vamos brigar mesmo pela aposentaria amigos isso sim é importante, porque daqui a pouco o ASP não vai se aposentar, vai ficar mofando na Unidade e irá gastar o dinheiro com remédios ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com a Kelly, não vejo ninguém falar de aposentadoria especial para as agentes femininas, as policiais militares e civis já conseguiram, e aí sindicato??

      Excluir
    2. Ué aposentadoria especial só pra asp feminina porquê? Os direitos não são iguais ? porquê só na hora de receber beneficio a mulher é o sexo frágil? Aposentadoria especial para feminino e masculino!!!

      Excluir
  4. Para aqueles que só querem ficar torcendo contra tudo e contra todos, esta é a hora de MOSTRAR a cara e DEIXAR de se esconder atrás da tela do PC. Se querem GREVE, apareçam nas Assembléias e levem os companheiros para compartilhar suas idéias. O SINDICATO somos todos nós. Para parar TODAS as unidades do Estado de São Paulo, serão necessários mais que uma dúzia de pessoas do sindicato, seja ele qual for, Aos que só sabem falar e nada mais, é hora de mostrar a cara ! ! !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "COMÉDIA". Para quem é "seguro" é fácil falar, parar uma cadeia dessas em que você trabalha não repercurte em nada, quando formos parar tem que ser por algo que realmente valha a pena e não para demonstrar solidariedade com outros estados que já conseguiram muito mais benfeitorias para cada um deles do que a nossa (aposentadoria especial, por exemplo), ao invés de ficar correndo somente atras de porte de arma.

      Excluir
    2. não não ,discordo de sua opinião,independente das cadeias e dos postos que trabalhamos ,do regimento da unidade prisional,todos devem lutar por um ideal,concordo tem alguns caras que não vale o feijão que come mas a maioria merece melhoras no sistema ,se as cadeias de Sorocaba tem um regime padrão interno,as outras cadeias também pode ter, alias presos só tem direito a duas horas de banho de sol por dia ,mas os diretores das demais unidades prisionais arreganha as pernas,e depois não consegue segurar as cadeias,não tem poder sobre os próprios funcionários,da unidades quem dirá dos presos,sim concordo parar por condições de trabalho melhor,exemplo:trancar ladrão mais cedo , não deixar advogados e/ou oficial de justiça adentrar na unidade depois das dezessete horas,melhor salario, diminuir horas de trabalho " é só aumentar um turno"e cortar todas gozolândia que existe dentro das unidades prisionais do estado de são paulo; agora Para aqueles que só querem ficar torcendo contra tudo e contra todos, esta é sim a hora de MOSTRAR a cara e DEIXAR de querem GREVE, apareçam nas Assembleias compartilhe suas idéias.

      Excluir
    3. O melhor comentario até agora parabéns, ai sim valera a pena fazer greve.

      Excluir
    4. Apoiado companheiro, melhores condições já, aposentadoria especial para todos, pois até o momento a tal aposentadoira é uma piada...

      Excluir
  5. João Rinaldo queremos salário, porte já temos. Parem de fazer o Servidor de idiota que ninguém abraça mais suas idéias, parem de desviar o foco, queremos salário decente.

    ResponderExcluir
  6. Isso mesmo colega ai de cima, chega de enganar os agentes, precisamos de salário e respeito, chega de assédio moral, falta de saúde do funcionário e salário de miséria além de tudo vc quer botar arma na mão dos agentes só se for pra se matar e família devido péssimas condições de trabalho

    ResponderExcluir
  7. Na hora em que fomos enganados pelo governador (INCORPORAÇÃO ALE) os sindicatos tiraram fotos abraçados com o próprio... Agora pelo veto do porte de arma querem assembléia para GREVE.... Para de brincadeira gente.... É só ninguém ir na assembléia que o NÃO será entendido... Meia duzia de gato pingado não resolve pela maioria nos sindicatos...

    ResponderExcluir
  8. Concordo com os colegas, o SIFUSPESP tem que fazer reuniões nos cdps com os agentes e não com os dirigentes, tem que lutar para melhorar as condições de trabalho e salário, pois o último aumento foi piada, melhorou um pouco apenas para a classe I, porque para os demais o aumento foi perdido com a perda do vale coxinha e aumento dos impostos, eles dão de um lado e tiram do outro, nunca perdem nada ... Temos que aproveitar essa época da copa para conseguir alguma coisa.

    ResponderExcluir
  9. QUEREMOS SALARIOS DIGNOS DA PROFISSAO,CONDICOES DE TRABALHO..ONDE TRAMPO TEM HOJE 1500 DETENTOS OLHA É PENITENCIARIA INTERIOR..

    ResponderExcluir
  10. João Rinaldo agora depois dessa vc caira fora mesmo, todos funcionários indignados com essa perda de tempo.

    ResponderExcluir
  11. Nem com a greve o governo perderia alguma coisa... sabe pq? Pq o sistema está tão zuado que não podemos fazer greve de fato! pq??? olhe isso, final do texto do sindicato:
    " a categoria afirma que irá manter os serviços essenciais e respeitar o número limite de servidores trabalhando de 30%, conforme lei de greve"

    Ok... Os serviços essenciais são as únicas coisas que rolam nas unidades... tá, podem cancelar o jumbo e deixar de pagar sedex nesse dia, sobrecarregando o plantão seguinte... E quanto aos 30% de funcionários trabalhando? Rá, pegadinha do malandro! Se levarem em consideração o número certo de servidores que deveriam existir em cada unidade, já estamos de greve fazem uns anos....rsrsrs Se levar em conta o número atual de servidores, vão sobrar de 3 a 5 servidores para tocar a cadeia... ah tá....


    Greve apenas por porte federal é ridículo... mas se colocassem, salários melhores, incorporação de 100% do ALE no salário base, automação das cadeias, scanner corporal, bloqueador de celulares, etc... na pauta, ai sim seria o correto e teria uma adesão absurda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem, acho que sei quem é esse que diz, "rá pegadinha do malandro" rsrs

      Excluir
  12. Estamos ganhando metade que os agentes cariocas e trabalhando com o triplo de presos nos CDPS e vamos fazer movimento por porte? Estamos no fim de janeiro e não temos pauta para recuperação salarial 2013! Nos chamam de corruptos a todo momento e não vejo ninguém sendo processado, fala sério...
    Att. ASP Paulista

    ResponderExcluir
  13. HA HA HA....MAIS UMA PALHAÇADA VINDO AI!!! ENTÃO VÃO PARALIZAR O SISTEMA PENITENCIARIO NACIONAL POR CAUSA DO VETO DA DILMA?? POR CAUSA DE PORTE DE ARMA?? EU NÃO TENHO É PALAVRA ADEQUADA PRA ESCREVER AQUI E FALAR O QUE É ISSO!!! É UMA PUTA DE UMA PALHAÇADA MESMO. E PARAR O SISTEMA PELOS COMPANHEIROS ASSASSINADOS,POR MELHORIA SALARIAL,POR MELHORES CONDIÇOES DE TRABALHO,POR AUMENTO DE EFETIVO E MUITAS COISAS MAIS.....E AI?? O QUE É MAIS IMPORTANTE?? ARMA NA CINTURA OU MELHORIAS EM GERAL??? PRINCIPALMENTE SALARIAL....PRECISAMOS DE UM SALARIO DIGNO. TODO ASP E AEVP DO ESTADO PRECISAM FAZER BICO PRA SUSTENTAR A FAMILIA,PRINCIPALEMTE OS QUE SÃO DO INTERIOR E TEM SUAS FAMILIAS NAS CIDADEZINHAS POR AI E TRABALHAM E SÃO PAULO,GASTAM UM ABSURDO COM PASSAGENS DE ONIBUS TODO SANTO MÊS PORQUE ESPERAM UMA ETERNIDADE PELA SUA LPT...NO MEU CASO,6 ANOS E MEIO JÁ!!! O QUE VAI ACONTECER É UMA VERGONHA.....E OUTRA,PARALIZAR TUDO NUMA QUARTA FEIRA DIA 30? ISSO SÓ VAI SOBRECARREGAR O TURNO DA QUINTA FEIRA. TEM QUE PARALIZAR UM FINAL DE SEMANA INTEIRO. PRO LADRÃO FICAR TRANCADO,SEM VISITA,SEM SEXO,SEM A COMIDINHA DA MULHER OU DA MAMÃE. MAS PARALIZAR NUMA QUARTA FEIRA,É O OCÚMULO DA BURRICE. BOM MEUS COMPANHEIROS,ESPERO QUE ABRAM OS OLHOS PARA ESSA PARALIZAÇÃO ENGANOSA E POR UM MOTIVO MESQUINHO EM COMPARAÇÃO A TODOS OS PROBLEMAS QUE ENFRENTAMOS NO SISTEMA PRISIONAL DO NOSSO ESTADO E DO PAÍS. VAMOS "PARAR"?? VAMOS SIM,CONCORDO PLENAMENTE,MAS VAMOS FAZER UMA PARALIZAÇÃO QUE ENGLOBE OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DO SISTEMA E NÃO SOMENTE POR CAUSA DO VETO DO PORTE DE ARMA DA DILMA. VAMOS ACORDAR,ESSES SINDICATOS SÃO TODOS MARIONETES DO GOVERNO. NÃO SE ENGANEM COMPANHEIROS,ABRAM OS OLHOS!!!!!

    ResponderExcluir
  14. amigos, leiam atentamente a materia no link a seguir
    http://www.sindsistema.com.br/?pagina=noticiaviw&id=1318

    É HOJE, a nossa Assembleia Geral Extraordinária, para homologação da decisão da FENASPEN de Paralisação Geral das atividades no dia 30 de janeiro de 2013. Pela luta em defesa do porte, da aposentadoria especial, da gratificação de periculosidade, da assistência psicológica aos servidores da SEAP extensível a familiares e melhoria nas condições de trabalho; Deliberação sobre o movimento da operação legalidade, como resposta ao descaso para com nossas vidas e de nossos familiares, dentre outros.
    É hora de reação e luta por nossa condição de DEFESA e manutenção de nossa condição conquistada com suor e trabalho. Além do mais! Omitir-nos agora é renegar a luta de muitos que nos sucederam com a perda de seus empregos e até de vida, pra que chegássemos até aqui.

    a paralisação nao é somente pelo porte, e sim um grito de socorro por varios outros motivos...

    se aos amigos que estao se manifestando com frequencia nesse blog, sabem que a categoria esta pedindo greve a tempos e nao é somente agora por causa do porte,
    deveriamos analizar com certeza a real situação de deveriamos sim aderir a esta paralisação, porem para cobrar muito mais do que um simples porte de arma

    nós nao conseguimos nos unir até hoje para paralisar, será que essa nao seria a hora de aproveitarmos para nos unir?

    rafael psaii

    ResponderExcluir
  15. EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO SENADO FEDERAL
    JOSÉ SARNEY DE ARAÚJO COSTA

    URGENTE







    Em atenção ao expediente publicado no Diário Oficial da União do dia 10 de janeiro de 2013 da Excelentíssima Senhora Presidenta da República que trata do veto integral do PLC 087/011 e remetido para Vossa Senhoria, o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Estado do Acre – SINDAP/AC, vem expor e ao final requerer:

    Considerando que a Constituição Federal que compete à União, aos Estados e ao Distrito Federal legislar concorrentemente sobre Direito Penitenciário. (art. 34, I);

    Considerando que o Estatuto do Desarmamento estabelece que é proibido o porte de arma de fogo em todo o território nacional, salvo os casos previstos em legislação própria e para, dentre outros, os integrantes do quadro efetivo dos agentes penitenciários e guardas prisionais e escoltas de presos. (art. 6, VII);

    Considerando que o artigo 34 do Decreto Presidencial n. 5.123/04 estabelece que:"os órgãos, instituições e corporações mencionados nos incisos I, II, III, IV, VI e VII e X do caput do artigo 6 da Lei n. 10.826/03, estabelecerão, atos internos, os procedimentos relativos as condições para a utilização das armas de fogo de sua propriedade, ainda que fora de serviço";

    Considerando que o Superior Tribunal de Justiça já decidiu que, o porte de arma dos agentes penitenciários é matéria de Direito Penitenciário e Administrativo, cujo regramento também incumbe aos Estados-Membros;

    CONSIDERANDO que vinte e dois Estados-Membros e o Distrito Federal já regulamentaram o porte de arma em serviço ou fora para os agentes penitenciários dentro de seus limites territoriais;

    Considerando o teor do Ofício n. 1537/2012 da Diretoria de Políticas Penitenciárias do Ministério da Justiça em 25 de maio de 2012 a este órgão sindical: "Pela observação dos aspectos analisados, em que pese o empenho demonstrado pelo Sindicato, a Edição de uma Medida Provisória para conceder o porte de arma aos integrantes do quadro efetivo dos agentes e guardas prisionais, aos integrantes das escoltas de presos e às guardas portuárias, nos parece amplamente discutido no Congresso Nacional, sendo desnecessária a edição de Medida Provisória para tratar do assunto";

    Considerando que o Ministério da Justiça em sua página oficial na rede mundial de computadores, classifica o cargo de agente penitenciário na carreira policial civil citando inclusive suas atribuições;

    CONSIDERANDO que em alguns Estados-Membros o cargo de agente penitenciário faz parte da carreira policial civil através de Lei Orgânica;

    Considerando que de janeiro a outubro de 2012, 229 policiais civis e militares foram mortos no Brasil. Os dados mostram que grande parte desses policiais, entre civis e militares, (183 ou 79%) estava de folga no momento do crime. Essa é a realidade do País, onde trabalhadores que dedicam suas vidas em proteger a sociedade;

    CONTINUA NO PROXIMO POST

    ResponderExcluir
  16. considerando que só na última década, mais de duas mil mortes de agentes penitenciários aconteceram em todo País, sem que os mesmos estivessem em condições de reação. A defesa pessoal é uma necessidade para aqueles que exercem atividades de risco à própria vida e à sua integridade física;

    Considerando que o Ministério da Justiça e a Secretaria Nacional de Direitos desconhecem o cotidiano dos agentes penitenciários, por isso sua manifestação contraria a sanção do PLC 087/11 só fez expor a vida dos servidores a maior risco do que já sofrem.

    COnsiderando que o comportamento do Ministério da Justiça e da Secretaria Nacional de Direito Humanos é irônico, sobretudo desrespeitoso quando afirmou que os agentes penitenciários poderão requerer como qualquer cidadão o porte de arma no Departamento de Polícia Federal – DPF. Qualquer cidadão corre o mesmo risco de um agente penitenciário?;

    CONSIDERANDO que o órgão policial já citado conta com aproximadamente 11 mil agentes de polícia federal, será capaz de prover a segurança da defesa pessoal dos cerca de 80 mil agentes penitenciários? E multiplicando-se em média por 3 familiares?;

    CONSIDERANDO que as estatísticas são positivas para os agentes penitenciários que atualmente já portam arma de fogo fora do serviço em razão da relevantíssima peculiaridade de existir uma rigorosa e adequada formação profissional, com cursos de capacitação continuada, cujos resultados estão aptos a atestar a capacidade técnica destes servidores para o manuseio de arma de fogo. Exemplo do Estado do Acre que possuiu 1.072 agentes penitenciários e em 04 anos apenas 10 responderam processos criminais em relação ao uso de armas, sendo que 07 já foram absolvidos na esfera judicial e os últimos 03 estão com os processos em tramitação. Importante registrar que somente em Rio Branco, mais de 400 agentes penitenciários possuem a prerrogativa do porte de arma ainda que fora de serviço e não foi registrada nenhuma ocorrência contra eles no ano passado. Não pela impunidade e sim porque somos acreanos, pais de famílias e passamos por uma rigorosa investigação social e criminal durante o processo seletivo do concurso. Conforme levantamento preliminar deste órgão sindical cerca de 70% (setenta cento) dos integrantes da categoria possuem nível superior. Atualmente participamos dos diversos cursos promovidos pela Secretaria Nacional de Segurança Pública - SENASP tais como: Direitos Humanos, Gerenciamento de Crises, Planejamento Estratégico, Uso Progressivo da Força e Investigação Criminal. Sempre com o objetivo maior de prestar um serviço de excelência e qualidade para resgatar a identidade funcional e organizacional do Agente Penitenciário, junto aos vários segmentos da sociedade implicando no aumento de nível de confiabilidade. Somos o elo fundamental entre a sociedade e o preso!;

    continua no proximo post

    ResponderExcluir
  17. Considerando que exigir do agente penitenciário que aguarde a perpetração de violência contra a sua integridade física ou de sua família para se comprovar a necessidade de portar arma de fogo é descabida e só encoraja a utilização de armas por meios ilícitos.

    Considerando o entendimento firmado por muitos doutrinadores pátrios, quanto à opção do legislador de que quando este almejou restringir o porte de arma apenas para utilização em serviço, o fez expressamente em relação a determinadas categorias funcionais nos próprios incisos do art. 6º do Estatuto do Desarmamento, como por exemplo, a limitação dos guardas municipais, das empresas de segurança privada e de transportes de valores quando em serviço;

    CONSIDERANDO que apenas situação individual e perfeitamente determinada poderá retirar do agente penitenciário o direito de porte de arma. Atuação funcional que expõe o servidor a constante e permanente risco de morte quando fora do ambiente de trabalho.

    A urgência e relevância da presente alteração se justificam pela necessidade de atuação imediata e incisiva do Congresso Nacional, especialmente em razão das ameaças, agressões, tentativas de homicídios e homicídios já detectados pelas áreas de inteligência dos presídios e formalizados perante os órgãos centrais das Diretorias dos Sistemas Penitenciários a fim de que:

    a) se evitem equívocos interpretativos quanto à possibilidade de os integrantes do quadro efetivo dos agentes e guardas prisionais, os integrantes das escoltas de presos e as guardas portuárias, portar arma de fogo institucional, mesmo fora de serviço, se autorizado normativamente pela sua corporação, ou arma de fogo de propriedade particular, ainda que fora de serviço, a bem da segurança jurídica, nos termos do regulamento da Lei, com validade em âmbito nacional;

    b) se outorgue aos agentes penitenciários integrantes da atividade de execução penal do Estado, que estão permanentemente submetidos aos riscos inerentes à profissão, o porte de arma de fogo de propriedade particular ou fornecida pela respectiva corporação ou instituição, mesmo fora de serviço, com validade em âmbito nacional, na salvaguarda daqueles que colocaram suas próprias vidas em prol da proteção da dos demais cidadãos brasileiros.

    Nessas condições, tendo em vista a relevância e a urgência da matéria, requeremos à consideração de Vossa Senhoria, PARA DERRUBAR O VETO DO PCL 087/011.

    Aproveitamos a oportunidade para renovar votos de mais alta consideração e estima.


    Respeitosamente,



    Bel. Adriano Marques de Almeida
    Fundador e Presidente do SINDAP/AC


    ISSO SIM É UM SINDICATO!!!

    ESSA CARTA SIM É DE PESSOAS IDONEAS E NAO DE PELEGOS!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para os que pensam que a paralisação é somente pelo porte, olha o que diz o Sindicato do RJ.
      Pela luta em defesa do porte, da aposentadoria especial, da gratificação de periculosidade, da assistência psicológica aos servidores da SEAP extensível a familiares e melhoria nas condições de trabalho.
      O pessoal de SP realmente é muito desunido, a começar pelos ASP e AEVP e sindicatos que não se entendem, la no RJ é uma coisa só, por isso a diferença de salario e a função muito mais reconhecida do que a nossa, pois são classificados com Inspetores Penitenciários.
      Pessoal não temos que ter vergonha de seguir o exemplo de quem está muito mais organizado que nós, todos unidos por um só ideal independente de ser ASP ou AEVP, ou de qual estado a que pertence e seja qual for a briga, temos que lutar.
      Jenis, favor publicar.

      Excluir
  18. Quero saber sobre a lpt e lptr. Qual tem prioridade sobre qual não dá pra entender. Se por exemplo estou na região oeste e quero me transferir aqui dentro desta região ai me cadastro na lptr mas quem se cadastra na lpt lá de longe vem transferido e pega a vaga de quem pede pela lptr. E ai qual é o critério? Quem pode me responder?

    ResponderExcluir
  19. Temos coisas mais importante para categoria: melhores salários,diminuir as classes de oito para seis,aposentadoria especial,acabar com a super lotação dos presidios...etc
    paralisação por motivos reais e não para fazer média.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você não leu o que postei logo acima:

      Para os que pensam que a paralisação é somente pelo porte, olha o que diz o Sindicato do RJ.
      Pela luta em defesa do porte, da aposentadoria especial, da gratificação de periculosidade, da assistência psicológica aos servidores da SEAP extensível a familiares e melhoria nas condições de trabalho.

      Excluir
  20. Será que não temos força realmente, olha o que diz o texto abaixo e multiplique esse **número** por familiares e amigos:

    No Brasil, são mais de **65 mil Agentes Penitenciários**, para vigiar e controlar cerca de 500 mil detentos, que se encontram em pouco mais de 300 mil vagas disponíveis nas unidades prisionais brasileiras, caracterizando, assim, a superlotação delas. O correto, segundo o Conselho Nacional de Políticas Criminais e Penitenciárias, que haja um AGPEN para 05 detentos, como medida de segurança. Sendo assim, deveríamos ter, no mínimo, 100 mil Agentes Penitenciários no Brasil.
    A profissão é uma das mais antigas da humanidade, que no passado levava o nome de Carcereiro, e também a 2ª mais perigosa do mundo, conforme elencou a Organização Internacional do Trabalho - OIT. Para exercer o cargo, é necessário prestar concurso público, e se tornar, então, servidor público policial estadual.
    O Supremo Tribunal Federal reconheceu o direito de o Agente Penitenciário se aposentar com 25 anos de atividade, com fundamento no art. 40, § 4º da Constituição e no art. 57 da Lei nº 8213/91, que dispõe sobre o plano de benefícios da previdência social. É um dos poucos cargos onde incidem periculosidade e insalubridade ao mesmo tempo.
    Seu exercício é considerado como serviço essencial, pela Lei das Greves nº 7.783/89 (que regulamenta o art. 9º da CF/88), por se tratar de uma necessidade inadiável da comunidade, que, se não atendida, coloca em perigo iminente a sobrevivência, a saúde ou a segurança da população. É tido como atividade de segurança pública nacional conforme o art. 3º, IV, da Lei Federal nº 11.473/2007, e, visto o art. 144 da CF, é exercida para a preservação da ordem pública e a incolumidade das pessoas e do patrimônio.

    ResponderExcluir
  21. PARALISAÇÃO NUNCA MAIS DEPOIS DAQUELA GREVE VENDIDA DE 2004, O SINDICATO ABRIU AS PERNAS, VIU QUE O SISTEMA TODO PAROU DISSE QUE ERA HORA DE PONDERAR, SÓ FIQUEI COM 6 FALTAS NO PRONTUÁRIO E MAIS NADA, AGORA DIZER QUE A CLASSE É DESUNIDA, DESUNIDO SÃO ELES QUE SÃO VÁRIOS SINDICATOS, PARAMOS O SISTEMA INTEIRO EM 2004 E OS SINDICATOS PIPOCARÃO.

    ResponderExcluir
  22. Durante a assembleia, os trabalhadores presentes decidiram pela não paralisação. Os mesmos alegaram que em suas unidades prisionais a maioria dos agentes era contra a paralisação

    É ISSO AI MEU POVO, BRASIL É UM CIRCO E OS PALHAÇOS SOMOS NÓS !

    ResponderExcluir
  23. vamos ficar a vida inteira reclamando e ninguem vai fazer merda nenhuma , somos todos vitimas da síndrome de Estocolmo .A unica chance nossa,será alguem que não abomine funcionário público, e um sindicalista que não se venda para o psdb

    ResponderExcluir
  24. ASP é comédia, nem pensar em dar poder de policia para categoria, se não sendo porra nenhuma já querem folgar e pagar de policia imagina se esses idiotas tiverem arma nas mãos. Asp é tudo caipira a maioria vem do interior e trabalhava puxando carroça, quando passam no concurso e vem trabalhar na capital, viram uns borra botas que tem medo até da sombra e dão até o rabo para cumprir as ordens do chefe.
    Vejo na cadeia o ASP não sabe nem as funções inerentes a sua profissão estão de para quedas.
    Mas deixa assim pra caipirada brincar de policia tá bão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. comedia e a senhora sua mae seu f .d.p. vc nunca entrou numa cadeia pra saber como funciona,seu nordestino cabeça chata, vai se f... qualquer coisa me procure sou de avare e trabalho em avare 2 seu puto..

      Excluir
  25. E vc seu covarde ,vc é o que ? Diretor do sifuspesp ou DG sociólogo ? Vai se ferrar,policia ou não nós estamos lá. Vc já abriu as trancas da P1 de Avaré ? seu MERDA !!!!!!! SEU MERDA !!!!!!!!!!! FDP ,puxando carroça se fossemos filho da tua mãe,e na capital a maioria da população é do interior ,filhos de nordestinos, mineiros, e outros . Vc por acaso é filho de alguma cruza PO ? KKKKKKK . Meu nome é ANTONIO

    ResponderExcluir
  26. Vc deve ser oficial da pm ,filiado ao psdbosta

    ResponderExcluir
  27. “Por contrariedade ao interesse público”, a Presidente Dilma vetou o PLC-87, que visava a “conferir aos integrantes do quadro efetivo dos agentes e guardas prisionais, aos integrantes das escoltas de presos e às guardas portuárias o direito de portar arma de fogo, mesmo fora de serviço, com validade em âmbito nacional”.

    Escudou-se em pareceres do Ministério da Justiça e da Secretaria de Direitos Humanos: “A ampliação do porte de arma fora de serviço aos profissionais listados no inciso VII do art. 6o implica maior quantidade de armas de fogo em circulação, na contramão da política nacional de combate à violência e em afronta ao Estatuto do Desarmamento. Assevere-se, ainda, a existência da possibilidade de se requerer a autorização de porte para defesa pessoal, conforme a necessidade individual de cada agente”.

    Obviamente, os pessimistas, que a assessoraram, enxergaram o copo meio vazio, ao contrário dos congressistas que, ao aprovarem a proposta, enxergaram o copo meio cheio. A argumentação dos descrentes é pífia e induziu a presidente a erro. Nem a ONU conseguiu estabelecer relação entre a posse legal de armas e o aumento de crimes. Nos EUA, havia 270 milhões de armas circulando (2007) e a taxa de óbitos por arma de fogo foi de 3,2 por 100 mil hab, em 2010. No Brasil, 15 milhões e 19,3, respectivamente. A maior circulação de armas que causa danos é a decorrente de furtos em fóruns, de assaltos a vigilantes, do mercado negro, da tíbia fiscalização das fronteiras, do uso pelo crime organizado e pela bandidagem em geral. O porte por estes servidores (ainda não reconhecidos normativamente como policiais, embora exerçam seu ofício embasados no poder de polícia) não indica necessariamente aumento de ataques, mas, certamente, indica aumento da defesa, individual e da própria sociedade.

    O relator do projeto, senador Gim Argello, acertadamente, destacou que “esses servidores, pela característica de suas atividades, vivem em situação de perigo constante e iminente”, e por isso é necessário portar arma a qualquer tempo e em qualquer ponto do território nacional. A fria estatística mostra que, proporcionalmente, o número de policiais penais executados é muito maior que o de demais policiais, que, corretamente, têm o porte. Assim, o veto é abandonar, à própria sorte, aqueles servidores que exercem a antiga e importante função policial de custódia, carentes, sim, de ações que repercutam imediatamente em sua autoproteção e, mediatamente, representem reversão do menosprezo à identidade funcional e da desconsideração à autoridade profissional.

    E o que seria estar na contramão da tal política nacional de combate à violência, algo difuso, desconhecido? Como alegar afronta ao Estatuto do Desarmamento, objeto do Projeto de Lei 3722/12, que visa a estabelecer “uma nova sistemática regulatória para armas na sociedade brasileira, alinhada à realidade e, sobretudo, ao resultado do Referendo de 2005”?

    Visto o Art. 66 da CF, o projeto deve ser apreciado em sessão conjunta, no Congresso, podendo ser rejeitado pelo voto da maioria absoluta dos Deputados e Senadores, em escrutínio secreto. Se o veto não for mantido, será o projeto enviado, para promulgação, à Presidente que, paradoxalmente, lavando as mãos, irá reparar uma injustiça e garantir a mancada de auxiliares.

    Enfim, vamos assistir a um embate entre sofismas de assessores-teóricos e a autenticidade de lúcidos conhecedores do interesse público!...
    ___________________________
    (*) Coronel da Reserva da PMMG

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.

Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.