terça-feira, 12 de março de 2013

Superlotação traz tensão para presídios de Ribeirão e região, segundo EPNoticia.

Fonte: http://www.viaeptv.com/epnoticia/noticias/NOT,0,0,825653,Superlotacao+traz+tensao+para+presidios+de+Ribeirao+e+regiao.aspx

Superlotação traz tensão para presídios de Ribeirão e região

Capacidade em Ribeirão está excedida em mais de 100%

               
F. L. Piton
Funcinários da Penitenciária de Ribeirão Preto relatam problemas dentro da unidade
Superlotação, falta de câmeras, desvios de função e brigas entre funcionário e presos são os principais problemas enfrentados na Penitenciária de Ribeirão Preto, que está com o dobro de população carcerária que o previsto.
Atualmente, o presídio abriga 1.869 detentos, mas tem capacidade para 900. Os dados são do site da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) - atualização de 22 de fevereiro.
“Trabalhamos em poucos nos raios e por isto os presos se aproveitam e cometem as agressões”, diz um funcionário, que pediu para não ser identificado.
Também estão superlotados os presídios de Serra Azul. “É um caldeirão de pólvora prestes a explodir”, diz uma funcionária do setor administrativo da Penitenciária de Serra Azul, que teme represálias e pediu para não se identificar.
Esta semana, um agente penitenciário foi agredido por um preso no raio 3 do presídio de Ribeirão. Ele retirava o preso da cela quando foi alvejado por um banquinho de plástico rígido na cabeça. Ele reagiu e trocou chutes e murros com o preso. Após alguns minutos, o detento foi imobilizado com a ajuda de outros servidores.
Para os agentes, as agressões ocorrem porque existe falta de câmeras de segurança que, de acordo com eles, fiscalizam apenas os funcionários.
“Não existem câmeras para vigiar os presos no pátio, na quadra e na oficina. Existem câmeras apenas na portaria, subportaria, revisora, portão de desembarque, portão de acesso ao passadiço, passadiço e cozinha. Enfim, para vigiar a gente e não ajudar o funcionário a monitorar o preso.”
O agente também acrescenta que locais estratégicos de segurança estão com falta de funcionários por causa do desvio de função.
“Existem agentes penitenciários no cadastro, pecúlio, finanças, recursos humanos, Centro Interno de Movimentação Carcerária, na farmácia, hall de visitas, protocolo, na diretoria de produção, trabalho e canil, quando eles deveriam estar cuidando da segurança da unidade prisional”, afirma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.

Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.