terça-feira, 21 de maio de 2013

Polícia conclui caso de assassinato de agente penitenciário, segundo o jornal Bom Dia.


 

Fonte: http://www.redebomdia.com.br/noticia/detalhe/50694/Policia+conclui+caso+do+assassinato+de+agente

 

Polícia conclui caso do assassinato de agente

O acusado negou o crime. Após investigação e provas encontradas o homem está preso por latrocínio Agência BOM DIA



No dia 8 de abril, Jair Alessandro Gomes Pereira, conhecido como “Pirata”, foi preso pela Polícia Civil de Jaú acusado de matar o agente penitenciário Valdemir Moreira Martins, 44 anos, que morava em Bauru.
Valdemir foi encontrado morto em um canavial, ao lado de seu carro. No corpo, havia vários ferimentos feitos com objeto cortante. A carteira da vítima não foi encontrada.
Jair foi preso em flagrante após a polícia apontar vários indícios que o ligavam ao caso. Logo após o crime, familiares do acusado chamaram a polícia, pois ele teria dito à família que iria matar duas pessoas. Jair era detento do CPP 2 (Progressão Penitenciária 2) de Bauru e havia sido beneficiado pela “saidinha” de Páscoa.
Apesar dos indícios, Jair insistia em negar o assassinato, dizendo que provar a autoria do crime era um trabalho para a polícia.
Assim foi feito: na casa da vítima, os policiais encontraram fotos que provavam que vítima e acusado se conheciam.
As quebras de sigilo dos telefones da vítima e do autor também demonstraram  o contato entre ambos, inclusive no dia do crime.
Na época do assassinato, Jair havia quebrado a tornozeleira que os detentos usam para controle nas saída do presídio.
Com o acesso aos dados do monitoramento da tornozeleira, os policiais tiveram mais uma prova: na hora do crime, Jair estava no canavial onde o corpo foi achado. 
O delegado explica que Jair segue evasivo em suas respostas. Quando questionado sobre sua relação com a vítima, não responde.
“Posso afirmar que o autor atraiu a vitima para cá [Jaú] e roubou. O porquê eu não sei”, finaliza o delegado Edmilson Bataier, da Polícia Civil de Jaú, que atuou no caso.
Jair segue preso acusado de latrocínio. Ele roubou também celular e notebook da vítima.

Um comentário:

  1. Por que o servidor iria a um canavial?....e por que eles tinham ligações de celular um para o outro?....Está estranha essa história não?

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.

Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.