sexta-feira, 14 de junho de 2013

Cineasta Aly Muritiba, que é ex Agente Penitenciário, lançará filme sobre ASPs.


O cineasta Aly Muritiba que é ex agente penitenciário no Paraná, está fazendo uma trilogia sobre o sistema prisional, nesse ano ele fecha a "trilogia do cárcere" com o filme A Gente, o primeiro filme A Fábrica foi um curta sobre as famílias dos presos, o segundo filme, outro curta denominado O Pátio, foi sobre os próprios detentos e agora será um longa metragem sobre os agentes penitenciários denominado A Gente.
A Fábrica recebeu 62 prêmios dos 100 festivais que participou, e O Pátio foi um dos dois únicos que representantes brasileiros em Cannes.
PARABÉNS pelo sucesso ao ex agente penitenciário Aly Muritiba.
Eu queria ver um filme sobre os presídios paulistas lançado por um agente penitenciário, aí sim seríamos surpreendidos, acredito que além do Rio de Janeiro que tem um sistema prisional complicado também, nenhum outro estado vive a realidade que vivemos em São Paulo.
Esperamos que seja bem próximo da realidade prisional esse filme, já que é dirigido por um ex agente penitenciário.

Veja matéria do Estadão no link abaixo:


http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,a-gente-encerra-uma-trilogia-sobre-o-carcere-,1042297,0.htm

Com A Gente, que será lançado apenas em 2014, o diretor Aly Muritiba fecha a sua "trilogia do cárcere". O longa integra a programação do Olhar de Cinema - Festival Internacional de Curitiba, que termina hoje. Os dois primeiros filmes do tríptico - dois curtas - foram sucessos absolutos e deram projeção a este ex-agente penitenciário baiano, radicado em Curitiba. A Fábrica participou de 100 festivais e recebeu 62 prêmios. Com O Pátio, Aly foi um dos dois únicos representantes brasileiros em Cannes, este ano.
"A realidade carcerária é muito complexa para ser abordada num único filme", diz Muritiba ao Estado. "Por isso, fiz três, sobre pontos de vista diferentes. Em A Fábrica, o da família dos presos; em O Pátio, o dos próprios detentos; e, em A Gente, o dos agentes penitenciários."
Essa temática é fruto da experiência profissional de Muritiba, que saiu do interior da Bahia, foi tentar a sorte em São Paulo, estudou História na USP e acabou vindo para Curitiba apaixonado por uma paranaense com quem está casado. Entrou na carreira de agente penitenciário por acaso. "Prestei concurso, entrei e vi que era uma profissão que me permitia estudar cinema em outro período." Trabalhou sete anos no sistema penitenciário paranaense, realizou o sonho de se tornar cineasta e pediu afastamento não remunerado para fazer seus filmes. Mas, para realizar A Gente, pediu reintegração. "Não seria possível fazer o longa sem estar no local, convivendo com meus companheiros de trabalho."

Esses colegas estiveram na primeira sessão do filme, a mesma vista pelo Estado. Riram e brincaram ao se verem na tela grande do Espaço Itaú de Cinema. Mas também se emocionaram ao rever situações tensas, como a do preso que grita e exige transferência, obviamente alterado pelo uso de drogas. Outros presos pedem analgésicos ou sedativos porque não conseguem dormir. Não há remédios. Nem médicos para atender a quase mil detentos empilhados em celas. Apenas uma assistente de enfermagem. "É um barril de pólvora, que o filme mostra com muita fidelidade", comenta o agente penitenciário Ivanney Lobo.

Sem traço de sensacionalismo, A Gente retrata sem piedade um sistema carcerário superlotado, carente de recursos e sem proposta realista de ressocialização dos detentos. Os agentes aparecem com seus nomes reais, em situações ora verídicas ora encenadas. O "ator"principal é Jefferson Walkiu
que, na vida civil, é também pastor protestante. Era, na ocasião, chefe de inspetoria da equipe Alfa num presídio de São José dos Pinhais. O filme, na fronteira entre o documentário e a ficção, deve ser uma bomba quando lançado.

12 comentários:

  1. Em São Paulo nao temos filme, mas temos o livro da Dra. Camila Nunes Dias. PCC; Hegemonia nas prisões e Monopólio da Violência.
    Acredito que alguém vai querer fazer um filme desse livro ainda.

    ResponderExcluir
  2. http://www.youtube.com/watch?v=kxPNQDFcR0U
    ai jenis joga essa na rede ai cara, olha a palhaçada

    ResponderExcluir
  3. Parabém ‘louve os agentes penitenciários”, não seja como senhor Dráuzio Varella que nos humilha e quando perguntado em entrevistas dos agentes penitenciários ele ri, faz piadas e ainda comenta ‘diz’ que são esses agentes, “Entrevista programa roda viva TV cultura , lançamento livro carcereiros

    ResponderExcluir
  4. Legal, mas esperamos realmente que ele mostre a nossa dura realidade, e quem sabe assim acharemos "alguém" que possa defender a Nossa Classe.

    ResponderExcluir
  5. BOA NOITE, FAÇAM O FILME E QUE ARRECADEM MUITA GRANA, E A TODOS FILIADOS CONTINUEM PAGANDO A MENSALIDADE, FIQUEI SABENDO QUE ESTÃO PRECISANDO AUMENTAR A FROTA DE CARROS DO SINDICATO E MELHORAR OS VEICULOS ATUAIS PARA CARROS IMPORTADOS, A TODOS OS COLABORADORES DEPOIS VÃO CHEGAR UMAS CAMISETAS DA LENDA "POLICIA PENAL", OBRIGADO, O GRANDOLFO AGRADECE!!

    ResponderExcluir
  6. http://m.diarioweb.com.br/noticia-detalhes/139643/rio-preto-regitra-tres-tentativas-de-homicidio

    ResponderExcluir
  7. O PROSTITUTO CHAMADO POLÍTICO DE BRASÍLIA, VOU GENERALIZAR SIM!

    O governo petista vai de mal a pior. Coisa que digo não por gosto: é fato. E tampouco trata-se de fadiga de material (quase 11 anos no poder central). Mesmo porque não existe matéria ideológica no PT e, sim, método. E longe de mim a mula que manca pois a fatura da União também me vem sendo cobrada e, pelo visto, tende a aumentar caso a presidente Dilma Rousseff continue a gerenciar o país pensando apenas na sua reeleição. Talvez ela não saiba governar, pelo visto, mas apenas dar murros na mesa e centralizar decisões para até mesmo invadir a cabine do avião presidencial e mudar o plano de voo – dizem que ela faz isso porque não gosta de turbulências e que entende bem de cartas aéreas. Boa no céu e péssima em terra, confidencia-me a lógica.

    E o Brasil tem um pibinho e um rombo no custo-país do tamanho da Amazônia Legal. E a inflação cresce, o PAC não funciona e o bolsa-família já não consegue mais comprar os votos dos eleitores pobres: segundo uma última pesquisa, a popularidade da presidente caiu 8% em dois meses e isso ocorreu em todos os segmentos sociais do país, envolvendo escolaridade, sexo e renda. É claro que, por dever de ofício, autoridades de seu governo minimizam tais indicadores e acreditam que tudo pode ser revertido com mais verbas assistencialistas e muita propaganda oficial. Por mim, Dilma Rousseff pode até ser reeleita desde que abandone o método petista de fazer política e trabalhe para colocar o Brasil em pelo menos no mesmo patamar de segurança econômica que o petismo encontrou quando pôs o dedo na caneta e o traseiro na cadeira presidencial, em 2003. Caso contrário, vai levar o país à falência econômica do mesmo jeito que conseguiu falir a sua lojinha de 1,99, anos atrás, lá em Porto Alegre.

    O método petista está aí: maconheiros reivindicando reconhecimento constitucional, estudantes paulistanos (e também em várias capitais do país) depredando o metrô, lojas, carros, parando a Paulista (a principal avenida de acesso a 13 hospitais da região), e, olha só que coisa fantástica: as prostitutas que participaram da campanha de prevenção à AIDS romperam uma parceria que tinham com o Ministério da Saúde. Elas alegam que o governo federal mudou a campanha sem consultar a Rede Brasileira de Prostitutas. Em tempo: a Rede das Prostitutas vinha trabalhando com o governo central desde 1989. E o saudoso Jorge Amado tinha razão: “Nada mais difícil do que a chamada vida fácil”.

    E o que dizer de um governo que não consegue sequer manter a palavra com as prostitutas do país. Dá para acreditar que vai construir 6 mil creches (não chegou nem nas 500 entregues), triplicar as escolas técnicas federais (sem registro) e construir 2 milhões de casas (entregou até agora menos de 500 mil)? Eis aí o Brasil que bate na minha, na sua e na porta da classe média que o PT detesta e que sustenta este país. E é claro que o Lulobista segue mundo afora vendendo empréstimos do BNDS para ditadores africanos contratarem construtoras brasileiras de seu interesse e faturando centenas de milhares de dólares com o seu velho gogó rouco de peleguismo. Mas tudo tem um preço: Rose Noronha não pode mais lhe assessorar nas longas viagens, ocupada que está em se livrar de acusações de tráfico de influência, evasão de divisas e formação de quadrilha. Tudo isso muito triste e chato. Mas nada do que um “eu não sabia” para volver à velha alegria presidencial de antes. Que país é este que trai até prostituta?
    Acordem pessoal, queremos salários e não politicagem que ainda por sinal não levam a nada!

    ResponderExcluir
  8. Que fita, procurei o nome real do gp cineastra na net, confrontando com fotos, e descobri que é o Alysson! Esse maluco foi colega meu de faculdade, ingressamos em 2000 no curso de história na usp (curso bacana, mas sem futuro... ó os 2 gps..rs). Esse cara é firmeza! Não tenho contato com ele faz anos, mas o cara começou de baixo, trampava na cptm, trampo de orelha seca durante a facul, então ele não deve ter feito nada tirando o guarda ou viagem filosófica de acadêmico... Todo sucesso e sorte do mundo pra ele, ó só, tenho um "parça" que até fez uns "corres" e teve filme exibido/concorrendo em cannes! mais 1000 grau que isso não existe!

    ResponderExcluir
  9. JENIS GOSTARIA DE SABER, É LEGAL UM SINDICATO PROMOVER TORNEIO DE TIRO MENSALMENTE COM CHURRASCO E CERVEJADAS BANCADO PELOS FILIADOS???? E QUEM ESTÁ HA 800 KM DE CASA COM A FACA NO PESCOÇO COMENDO MIOJO, FICA SÓ BANCANDO A CONTA, ESTÁ CERTO ISSO??? ME AJUDA AI OWWW!!!!, OU TENHO REALMENTE QUE ME DESFILIAR??

    ResponderExcluir
  10. Ai amigo aproveita e faz o livro junto vc tem esse poder!!!!

    ResponderExcluir
  11. Caros, fiz um trabalho de mestrado na USP sobre agentes penitenciários de itirapina, gostaria de saber a opinião de vocês, espero poder contribuir:

    http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8134/tde-14012013-135107/pt-br.php

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.
Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.