quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Penitenciária de Ribeirão Preto/SP terá que disponibilizar médicos por ordem judicial, segundo A Cidade.


http://www.jornalacidade.com.br/noticias/cidades/NOT,2,2,903406,Penitenciaria+tera+que+disponibilizar+medicos.aspx

Penitenciária terá que disponibilizar médicos

Falta de médico foi denunciada pelo A Cidade ainda em 2011; Estado diz que não foi notificado ainda




27/11/2013 - 09:51

Jornal A Cidade - Guilherme Plaza e Mariana Lucera


A Penitenciária de Ribeirão Preto terá que ter, no prazo de 45 dias, duas equipes completas de saúde, com médicos, dentistas, enfermeiros e auxiliares de enfermagem. A unidade, que conta com 1.392 detentos, não tem médico desde 2011, como mostrado em primeira mão pelo A Cidade. Uma das reportagens, de junho do ano passado, foi anexada na ação judicial.

A implantação foi determinada à Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) pela Justiça, de acordo com uma ação civil pública ajuizada no início do mês pela Defensoria Pública. Caso não seja cumprida, a multa diária será de R$ 10 mil. Cabe recurso.

A medida liminar foi deferida anteontem pelo juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública, Júlio César Spoladore. Segundo a decisão, medicamentos necessários para o tratamento dos reeducandos também devem ser disponibilizados.

Atualmente, o primeiro atendimento aos presidiários é feito por enfermeiros. Quando necessitam de cuidados médicos, é necessária a transferência até as unidades de saúde da cidade. A situação, segundo a decisão, “leva ao deslocamento de presos para fora da unidade prisional, trazendo custos de escolta, risco de fugas e perigo à população de um modo geral; gera riscos de propagação de doenças transmissíveis”.

Juliana Araújo Lemos da Silva Machado, uma das defensoras públicas responsáveis pela ação, fala da gravidade da situação. “Até agora, a penitenciária está sem médicos e a situação é muito grave. Os presos estão sem nenhum atendimento à saúde, sem atendimento médico, inclusive com mortes de presos por falta de atendimento. Hoje só existem auxiliares de enfermagem, enfermeiros e os agentes penitenciários fazendo as vezes de médicos”, conta.

A Cidade mostra falta de equipe desde 2011

Desde 2011, o A Cidade vem relatando a falta de médicos nas penitenciárias. Uma matéria publicada em dezembro daquele ano tratava da precariedade das unidades na região, e segundo a defensora Juliana Araújo Lemos da Silva Machado, foi anexada ao processo uma outra reportagem, de junho de 2012. “Temos tentado solucionar esse problema com o administrativo do presídio, reuniões e ofícios, mas foi necessária a intervenção judicial”.

Procurada, a Secretaria de Administração Penitenciária, por meio da assessoria de imprensa, disse que irá se pronunciar só depois que for notificada.

A multa de R$ 10 mil caso seja descumprida, essa multa começa a valer a partir da intimação do Estado, que deve ocorrer até o fim da semana.

3 comentários:

  1. gozado, pra obrigar hospitais municipais e estaduais e terem médicos não aparece ninguém...

    ResponderExcluir
  2. É incrível como as políticas de saúde dos governos não conseguem beneficiar a população carcerária. O Programa Mais Médicos do Governo Federal, que ainda nem saiu da frauda e já anda mal das pernas, mal consegue contemplar as cidades mais pobres do interior do país para cujo objetivo foi criado, muito menos pode se esperar que um dia vá atender à população carcerária que está à mercê da sorte e da força de vontade dos nossos agentes penitenciários que acabam fazendo as vezes de enfermeiros, auxiliares e etc. Por outro lado o Governo de São Paulo, tutor do maior contingente carcerário do país, também não tem uma resposta plausível à questão da saúde que aflige o sistema prisional e cuja responsabilidade acaba recaindo sobre a precária estrutura das unidades penais e da segurança da população. A solução paliativa do governo foi abrir concurso pra área da saúde na SAP, mas que nunca conseguiu completar o quadro porque os profissionais de saúde não querem se submeter aos míseros salários oferecidos pela Secretaria da Administração Penitenciária. Como agente eu concordo plenamente que a justiça obrigue o Estado a contratar médicos e enfermeiros pra dar atendimento ao detento e tire das nossas costas esse dever que nos é penoso. Nossa obrigação e guardar o preso e velar pra que ele cumpra, com segurança para todos, sua pena restritiva de liberdade que lhe foi imposta pela justiça.

    ResponderExcluir
  3. Pq a SAP não determina o preenchimento do quadro de funcionários??? Aahhh desculpa... esqueci que o ladrão tem prioridade.

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.

Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.