sexta-feira, 28 de março de 2014

Como foi a assembléia que você participou? Foi de acordo com o que está nos sites dos sindicatos?


Muitos companheiros reclamaram quanto as assembleias realizadas pelo estado, segundo os sites dos sindicatos, das 20 assembleias previstas, uma não houve, 11 votaram pelo fim da greve e 08 votaram pela continuação da greve.
Você tem alguma reclamação a fazer quanto ao resultado apresentado pelos sindicatos?
Se tem, peço apenas que seja respeitoso e conte-nos como foi e sobre o que você discorda.


 
REGIÃO
LOCAL   DA ASSEMBLEIA
RESULTADO DA VOTAÇÃO
1
Suzano  
CDP   de Suzano
CONTINUIDADE   DA GREVE
2
Balbinos
Penitenciária   I de Balbinos
FIM DA GREVE
3
Getulina
Penitenciária   de Getulina
ASSEMBLEIA   NÃO FOI REALIZADA
4
Itapetininga
Quadra   da AFUPI
CONTINUIDADE   DA GREVE
5
Sorocaba
CDP   de Sorocaba
CONTINUIDADE   DA GREVE
6
S.J.   do Rio Preto
CDP   de S. J. do Rio Preto
FIM DA GREVE
7
Pres.   Prudente
Sede   estadual do Sindasp-SP
CONTINUIDADE   DA GREVE
8
Andradina
Penitenciária   de Andradina
FIM DA GREVE
9
Lucélia  
Penitenciária   de Lucélia
CONTINUIDADE   DA GREVE
10
São   Paulo
Sede   do SIFUSPESP
FIM DA GREVE
11
Ribeirão   Preto
CDP   de Ribeirão Preto
CONTINUIDADE   DA GREVE
12
São   Vicente
CDP   de São Vicente
FIM DA GREVE
13
Bauru
CDP   de Bauru
FIM DA GREVE
14
Marília
Penitenciária   de Marília
FIM DA GREVE
15
Taubaté
CDP   de Taubaté
CONTINUIDADE   DA GREVE
16
Campinas
Complexo   de Hortolândia
FIM DA GREVE
17
Avaré
Penitenciária   de Cerqueira   César
FIM DA GREVE
18
Assis
Penitenciária   de Assis
FIM DA GREVE
19
São   Paulo
CDP   de Pinheiros
CONTINUIDADE   DA GREVE
20
Franco   da Rocha
CDP   de Franco da Rocha
FIM DA GREVE

12 comentários:

  1. MATÉRIA DO SIFUSPESP , PUBLICADO DIA 27/03/2014
    O QUE GANHAMOS COM A GREVE.

    Historicamente a conquista dos trabalhadores sempre foi paulatina, ou seja, avançamos um pouco e continuamos lutando....
    Incontestável valor desta greve foi à união dos servidores. Sejamos sinceros: até bem pouco tempo atrás, ninguém acreditava que fôssemos capazes de nos unir dessa forma, realizando essa histórica greve. Das 158 unidades prisionais, 122 chegaram a paralisar as atividades nem que seja por um dia.

    Os servidores mostraram determinação mesmo quando o governo agiu com truculência; mostraram indignação ao revelar as mazelas do sistema a uma sociedade que nunca demonstrou interesse no assunto; mostraram destemor ao enfrentar de peito aberto as ameaças de diretores que revelaram despreparo e prepotência para com seus subordinados temporários, e colegas de profissão. Nada disso vai ser esquecido.

    Vimos diversas manifestações de servidores declarando estar orgulhosos da categoria a que pertencem, e provando o gostinho bom do Poder e da Força que temos quando estamos juntos por um mesmo objetivo. Vimos muitos participando ativamente do movimento, das reuniões, das assembleias, opinando e decidindo. Que essas descobertas e este sentimento perdurem, para o bem de nossa categoria.

    No plano prático, essa greve de 2014 trouxe os funcionários para bem mais perto das entidades na gigantesca e difícil quebra de braço que mantemos com o governo desde sempre. Não é fácil negociar com este governo. A intransigência prepondera em qualquer negociação que tentamos ter. Não à toa, só agora nossa campanha salarial de 2013 terminou. Passamos 14 meses tentando negociar em vão.

    Há muito tempo o SIFUSPESP defende que o servidor precisa ser valorizado (o que acarreta em melhores salários), mas principalmente que precisa ser respeitado. Condições de trabalho e saúde do trabalhador são essenciais. Com a greve, conseguimos recolocar essa questão em prática. Ganhamos apoio e visibilidade para discutir, propor e conquistar avanços nessa direção. O governo já sabe que isso é uma prioridade nossa, e aprendeu que a categoria está disposta a buscar essas mudanças.

    Na nossa avaliação, a maior conquista que tivemos nesta greve foi o reconhecimento do poder que a categoria tem quando está unida. Isso abre portas para que alcancemos nossas reivindicações. O tempo do medo das ameaças e da submissão deve ficar definitivamente para trás. Nossa greve foi histórica. Parabéns, guerreiros e guerreiras do sistema prisional paulista!


    Minha Opinião:

    No primeiro momento, todos devem lembrar que o Sifuspes, não aderiu à greve, de imediato, muito pelo contrario criticaram a decisão do Sindasp, dizendo que a greve era ilegal, pois “estariam já em negociação com o Governo”, e só aderiram dias depois após ver a mobilização em massa dos Agentes Penitenciários por todo Estado.
    No segundo momento, não conquistamos reconhecimento de nada, provamos apenas que estamos saturados com o descaso do Governo com a nossa categoria que é de suma importância para a segurança publica. Essa greve realmente foi histórica, pois podemos ver o descredito que o Governo tem com os sindicatos do sistema prisional paulista, e não é por menos, não sabem planejar e estruturar uma greve se perderam durante a negociação, não estabeleceram o mínimo nos trabalhos realizados durante o movimento grevista, não deram o suporte adequado às unidades paralisadas...
    Por fim, dizer que foi uma vitória um aumento entre 7 e 11 %, sendo que só de perdas salarias geram em torno de 20 %, isso não foi um ganho entre outros...
    Na real, precisamos mostrar a união sim, porem descartar os sindicatos existentes saindo dessas entidades e fundar um único sindicato para representar de fato nossos ensejos, nossas necessidades.
    A sociedade precisa saber que o no papel é tão importante quanto o papel das policias...

    ResponderExcluir
  2. bom! claros amigos, houve sim manipulação e manobras dos membro dos sindicados para o fim da greve:
    1º, na penultima assembleia para decidir a paralização por 48 horas eu estive no sindicato do sifuspesp até as 18:40 e a pedidos de alguns companheiros fui para o cdp de pinheiro com mais um colega. sendo que naquele dia eu estava em frente do cdp de pinheiro manisfestanto dentro da lei desde as 06:30 da manha daquele dia, sem ir seguer para casa. se os companheiros do cdp de pinheiro não fossem para a sede do sindicato votar na assembleia o resultado seria outro, ou seja, suspensão por 48 horas. mas quando eu cheguei no cdp de pinheiro onde havia mais de 150 pessoas, porque era troca de durno, então os membros do sindicato do sindasp , inclusive o senhor daniel glandolfo, começou a explanar a vantagens da suspensão por 48 hora com maior enfase, e ao meu ver, minha opinião propria, eles desfaleceram o coração dos companheiros dizendo, que todos os envolvidos estavam sofrendo ações processuais vindo não só do governo , mas tb da iniciativa privada e da oab,
    2º eu estava na ultima assembleia no cdp de pinheiro , onde havia cerca de 150 funcionario do complexo, foi aberta a assembleia e houve muita discussão, entre um minoria que queriam o encerramento da greve com aqueles que queriam a manutenão da greve, desta vez o senhor daniel glandolfo não se pronunciou ante da votação e nem a advogada do sindicado, pois ela não estava lá. então o resultado foi pela á manutenção da greve no cdp de pinheiro. mais o conferente perguntou muitas vezes, sendo que a maioria ja tinha seu veredicto pela manutenção da greve, então porque coninuou a perguntar sendo que já era obvio o resultado da assemblei .


    ResponderExcluir
  3. LÓGICO! CLARO QUE TODOS OS TRÊS SINDICATOS PRECIONARAM OS FUNCIONÁRIOS DURANTE AS ASSEMBLÉIAS A VOTAREM A FAVOR DO FIM DA GREVE.

    TODOS OS PRESENTES PODERAM PERCEBER ISSO.

    ResponderExcluir
  4. “Não era isso que esperávamos, estamos decepcionados e poderíamos ter conseguido muito mais, principalmente a redução das duas classes. No entanto, respeitamos a vontade da maioria, já que a assembleia é soberana”, disse o presidente do Sindasp-SP, Daniel Grandolfo.

    ResponderExcluir
  5. Informo que a reunião técnica realizada hoje, 28 de março, no Palácio dos Bandeirantes, entre a Presidência da CERPM, o Secretário do Planejamento, Júlio Semeghini, o Cel PM Meira, Cmte Geral da PM, o Presidente da AFAM, Cel. Roberto Alegretti – encarregado de apresentar as planilhas relativas ao aumento salarial – e representantes do Comando Geral da Polícia Militar e do CIAF da PM, teve por objetivo dar mais um passo importante na negociação de nosso reajuste salarial, mas ainda não foi a reunião definitiva.

    Entretanto, A DECISÃO FINAL DEVE SAIR ATÉ QUARTA-FEIRA, quando os Secretários Estaduais da Segurança Pública, Fernando Grella, e da Fazenda, Andrea Sandro Calabi, devem anunciar se haverá ou não o reajuste este ano e qual será o índice.

    Na reunião de hoje, foram novamente apresentadas as perdas salariais dos policiais militares dos últimos anos e o Governo deu justificativas sobre o impacto do aumento de 19% no orçamento do Estado.

    A decisão final, portanto, e não obstante todos os nossos esforços no sentido de antecipar uma resolução – só será anunciada em meados da semana que vem.

    Sem mais para o momento, me coloco à disposição para quaisquer esclarecimentos.

    Atenciosamente,
    Ângelo Criscuolo
    Presidente da CERPM

    https://www.facebook.com/avozdaPM?fref=ts

    ResponderExcluir
  6. É importante destacar que a pauta é de 2013 e que também já foram conquistadas pelo Sindasp-SP a incorporação do Adicional de Local de Exercício (ALE) ao salário-base, o reajuste de 7% no salário (publicado pelo Diário Oficial do Estado, em 1º/11/2013, pela Lei Complementar nº 1.216), o reajuste no valor do seguro de vida, que passou de R$100 mil para R$200 mil e a automatização das unidades prisionais, que está em andamento e que deverá evitar os casos de agressões contra os servidores. Todas essas conquistas fizeram parte das reivindicações do ano passado.

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!

    ResponderExcluir
  7. Rebelião fecha cadeião de Florianópolis; 188 presos são transferidos



    Renan Antunes de Oliveira
    Do UOL, em Florianópolis
    29/03/201409h01









    Depois de dois dias de tensão e motins de presos, o cadeião de Florianópolis foi fechado e seus 188 detentos transferidos para outros presídios, numa operação concluída pela Polícia Militar de Santa Catarina durante a madrugada deste sábado (29). Os carcereiros estão em greve há 12 dias.

    Segundo Leandro Lima, diretor do Departamento Estadual de Administração Prisional (Deap), a decisão de desativar o cadeião foi tomada diante da possibilidade de uma rebelião violenta - com o interior destruído no motim da quinta-feira (27), os presos dominavam as áreas, pondo em risco os carcereiros.

    O batalhão de choque da PM começou no início da noite de sexta as transferências para os presídios de Lages, Itajaí e Tubarão, onde a resistência dos piquetes grevistas é menor. Não há relatos de confrontos nas novas internações, concluídas durante a madrugada.

    A parte interna do cadeião foi destruída pelos detentos na quinta, depois que a Justiça determinou a internação de mais presos - o local tem capacidade para 80, mas abrigava quase 200.

    Os que já estavam lá não aceitaram mais gente, promovendo a quebradeira. A PM usou bombas de efeito moral e balas de borracha para conter o motim.

    A Justiça então voltou atrás e determinou que a população carcerária fosse reduzida para sua capacidade de apenas 80. O Deap optou pelo fechamento.

    Para agravar ainda mais a situação, os agentes penitenciários estão em greve há 12 dias, com piquetes nos principais presídios do Estado (em São Pedro de Alcântara e Joinville). Assim, as autoridades não tiveram para onde levar os excedentes, forçando a Polícia Civil a manter presos em suas carceragens, também já superlotadas.

    O movimento grevista está cada vez mais forte, com a adesão dos funcionários da própria Secretaria de Justiça e Cidadania, que supervisiona os presídios. O Sintespe (Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público) e a secretaria estão com negociações interrompidas.

    QUE SIRVA DE EXEMPLO PARA AS MERDAS DOS NOSSOS SINDICATOS!

    ResponderExcluir
  8. O Geraldão deve estar dando risada. Alguns níveis entraram bem. Eu sou II, perco o Vale Alimentação e o Vale Transporte, num total de +- R$ 240,00, e tenho um aumento de 203, sendo que vai aumentar a base de cálculo do IR, com isto vai aumentar o valor do desconto. Faltou alguém com uma calculadora na reunião e que sabia usar.
    Vamos aguardar a próxima negociação daqui a uns 25 dias, e ver o que vai acontecer.
    E depois destas péssimas negociações, os Sindicatos vão receber várias desfiliações. É bom eles acordarem para esta nova realidade, e defender com competência os interesses dos ASPs.

    ResponderExcluir
  9. Gostaria de dar os parabéns a todos os agentes penitenciários pela atuação na greve,só fico triste pelos que estão em desvio de função que não aderiram a greve por medo de perderem a cadeira e pelos aevps que se acham os bons para se unirem a nós,só que sozinhos vocês ao meu ver não tem como brigar,pois numa greve a porcentagem exigida mantem as muralhas em funcionamento e escolta o governo manda a pm,e o que mais me preocupa foi uma máteria que li no site falando sobre extinção de cargo aonde ,se eu entendi bem o sindicatos deles joga os aevps contra os asp e o gir,mandando até denunciar tranferência feita pelo gir.somos todos da mesma secretaria temos os mesmo patrão,embora os asp arrisquem a vida dentro das cadeias todos os dias,pois se tiver uma rebelião quem fica de refém,quem bate as grades todos os dias e o chão para evitar fugas quem faz blitz ,quem faz revista nos visitantes para evitar produtos ilícitos,inclusive mandando presos para o castigo quando é necessário,não é uma arma ou a roupa que faz a diferença,é o trabalho que os asps fazem todos os dias que evita que vocês respondam a muitos pas.pensem nisso.

    ResponderExcluir
  10. BEM AMIGOS!
    ACHO QUE TODOS APRENDEMOS A FORÇA QUE TEMOS, DE MANEIRA PRÁTICA. JÁ VIMOS QUE É POSSÍVEL A UNIÃO TOTAL.
    AGORA RESTA-NOS DAR A RESPOSTA NAS "URNAS", AFINAL ENQUANTO ESSE TAL DE ALKMIN ESTIVER NO PODER, SERÁ MUITO DIFÍCIL CONSEGUIR UMA REPOSIÇÃO DAS PERDAS SALARIAIS.
    CADA ASP DEVERIA SE TORNAR UM CABO ELEITORAL CONTRA ESSE "DESGOVERNO DITADOR" QUE ESTÁ NO PODER A TANTO TEMPO.
    ESSE ANO TEMOS A NOSSA CHANCE!
    CADA ASP TEM PARENTES QUE VOTAM NO ESTADO. TEMOS QUE MOSTRAR A ELES QUEM É ESSE DITADOR.
    O FUTURO DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS ESTÁ NAS URNAS.
    PODEMOS TRABALHAR EM CONJUNTO. ABRAÇOS A TODOS!

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.
Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.