quinta-feira, 13 de março de 2014

Jornal O Estado de São Paulo chama GREVE de IRRRESPONSÁVEL.

Absurdo isso... mas esperar o que de um jornal que na mesma matéria cita como bom um projeto de lei de um senador do PSDB, projeto que dificulta ainda mais a greve de servidores públicos.


Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,greve-irresponsavel,1140260,0.htm
Greve irresponsável

O Estado de S.Paulo
Ao impedir a entrada de comboios com presos no Centro de Detenção Provisória de Pinheiros, em São Paulo, e na penitenciária de Martinópolis, a 539 km da capital, para pressionar o governo estadual a reajustar seus salários, os agentes do sistema penitenciário paulista exorbitaram. Mais do que uma forma de protesto, entre tantas outras a que o funcionalismo estadual costuma recorrer, o ato dos agentes carcerários configurou uma afronta ao princípio da autoridade e pôs em risco a segurança pública. A situação só não se tornou crítica porque a Polícia Militar foi chamada.


A penitenciária de Martinópolis é usada como ponto de encontro de viaturas que levam presos da região oeste do Estado para audiências na capital. O Centro de Detenção Provisória de Pinheiros fica numa área importante da cidade, ao lado da intersecção da Marginal do Pinheiros com a Marginal do Tietê e com a Rodovia Castelo Branco e próximo da Cidade Universitária.

Além de reajuste salarial de 20,6%, para repor perdas inflacionárias, e de aumento real de 5%, os agentes penitenciários - uma categoria com 30 mil integrantes - reivindicam redução de 8 para 6 classes, na hierarquia funcional, e aposentadoria especial com 25 anos de trabalho. E, alegando que há um déficit de funcionários no sistema prisional, pleiteiam a contratação de 10 mil agentes.

O governo ofereceu a redução de 8 para 7 classes, pagamento de diárias especiais e reajuste do adicional de periculosidade. Só os agentes penitenciários que atuam nos presídios de Assis, Marília, Baixada Santista e Taubaté aceitaram a oferta. Os demais a recusaram e, na segunda-feira, deflagraram uma greve por tempo indeterminado. Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária, ela atingiu 10% do sistema prisional, que tem 158 estabelecimentos.

O insucesso levou os líderes da greve a fazer piquetes para dificultar a entrada de advogados e oficiais de Justiça nos presídios, tentar impedir a transferência de presos e interceptar comboios entre o interior e a capital. "Continuaremos só mantendo as atividades essenciais de atendimento de saúde, alimentação e banho de sol dos presos", diz Ismael dos Santos, diretor de comunicação do sindicato da categoria. Os líderes dos estabelecimentos penais em greve também anunciaram que impedirão os presos de trabalhar e as visitas de seus familiares no próximo fim de semana. Pela Lei de Execuções Penais, o preso tem direito a descontar um dia da pena a cada três dias de trabalho.

O protesto de parte dos agentes penitenciários paulistas é irresponsável, uma vez que ameaça a ordem pública. A interrupção no transporte de presos para audiências obstrui o funcionamento das varas de execuções penais, comprometendo o cronograma de audiências da Justiça. E a frustração dos presos, por não poderem trabalhar nem receber visitas íntimas, pode acarretar uma onda de motins e rebeliões.

Problemas como esse poderiam ser evitados se o Congresso já tivesse aprovado uma lei regulamentando o exercício do direito de greve dos servidores públicos. Esse direito foi inscrito na Constituição, mas até hoje, mais de 25 anos depois de sua entrada em vigor, nem o Legislativo nem o Executivo tiveram coragem de enfrentar as pressões das diferentes corporações do funcionalismo.

Alguns projetos de regulamentação chegaram a ser apresentados, mas todos acabaram engavetados. Proposto pelo senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), o último projeto prevê que, nos serviços essenciais, 60% dos servidores devam continuar trabalhando durante uma greve. O projeto também obriga o funcionalismo a avisar, com 15 dias de antecedência, a realização de greves. Alegando que essas medidas restringem o direito de greve dos servidores, as centrais sindicais se mobilizaram para impedir sua tramitação. É isso que explica a irresponsabilidade de várias categorias do funcionalismo, como a dos agentes penitenciários. Uma vez que não são punidos, por falta de uma lei complementar, eles se acham no direito de afrontar as instituições.




49 comentários:

  1. Matéria comprada! Estadão, Folha, Rede Globo...quase toda mídia.

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde Jenis, que escreveu esta matéria tem real conhecimento da realidade prisional do estado em vive?

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde Jenis, em algumas reportagens que li na internet tive a impressão de de ver alguns dados sobre o quadro funcional e a realidade prisional que não condizem com a realidade, precisamos expor a mídia o que realmente acontece, para que a população não se deixe influenciar pelo que a secretaria e o governo publica.....

    ResponderExcluir
  4. Esta materia é tão sem vergonha que o jornalista que a redigiu tem medo de assina-la...... Procurem e vejam se acham quem escreveu isto no site do estadão......

    ResponderExcluir
  5. COM TOTAL RAZÃO O JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO. QUEREM FAZER GREVE, CRUZE OS BRAÇOS, PORÉM, SEM OBSTRUIR O DIREITO DE ADVOGADOS E OFICIAL DE JUSTIÇAS DE ADENTRAREN EM ESPAÇO PÚBLICO PARA CUMPRIR SEU MISTER.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estamos em GREVE, LOGO não iremos ABRIR os PORTÕES, se os Advogados e Oficiais, e para os leigos no assunto que falam besteira como essa logo acima, os Advogados e Oficiais não entram no pavilhão dos presos, vão só ao parlatório, e não Vamos tirar os presos do pavilhão e leva-los ao parlatório, Eles dependem de nós Agentes de Segurança Penitenciários, para cumprirem seu trabalho. Estamos em GREVE! não impedimos Ninguém de ver o preso, mas não vamos movimentar nenhum detento.

      Excluir
    2. Parabéns companheiro José Roberto, esses puxa sacos estão em todos os lugares mesmo... agora pergunte a ele se quando o judiciário fica em greve quem é que que garante o nosso "mister"..kkkk

      Excluir
  6. Jornalzinho safado, quanto ta levando do governo pra publicar essa merda! Insucesso...imagina se tivessemos sucesso...90% das unidades paralizadas..kkk imprensa marron,,,

    ResponderExcluir
  7. Faço um convite a esse jornalista que escreveu esse artigo e não matéria porque matéria eles não podem criar.Convidamos para conhecer o Sistema Penitenciario Paulista e vai mudar essa frase"O protesto de parte dos agentes penitenciários paulistas é irresponsável, uma vez que ameaça a ordem pública".

    ResponderExcluir
  8. Enviado essa resposta para o jornal: Referente à reportagem: Greve Irresponsável (http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,greve-irresponsavel,1140260,0.htm) digo ao jornal "O Estado de São Paulo":

    Irresponsável é uma opinião sem conhecer o que realmente está em jogo, irresponsável é o governo que coloca detentos muito além da capacidade dentro dos presídios; duas, três vezes mais. Dados que estão no site da própria Secretaria de Administração Penitenciária (www.sap.sp.gov.br). Canalha é quem apoia a medida de "regularizar o bico", isto é, no dia de folga, o trabalhador se sujeitar a nova jornada, pra ganhar uns trocados a mais. Cínico e parcial é um jornal que publica em seu editorial uma notícia dessa forma,tão incompleta.
    Eles não alegam, há deficit de pessoal, informe-se antes de colocar dessa forma, consulte as coordenadorias do próprio sistema penitenciário. Um telefonema, um e-mail e você terá esses dados.
    Meu caro, ninguém conquista direitos sem luta. Ou você acha que tem direitos trabalhista porque seu patrão é bonzinho e gosta de você? Portanto, é preciso barrar entrada de advogados, não fazer escoltas, não permitir visitas. Quantas penitenciárias você já visitou em sua vida? Diga-me?

    Leia isso antes de publicar mais bobagens:
    http://blogdosagentes.blogspot.com.br/2014/03/para-todos-guerreiros-grevistas.html

    Att,

    Luciana

    ResponderExcluir
  9. Quanto a segurança voce pode até ter razão, mas os agentes ou responsáveis que embarcaram os presos sabiam da greve, então eles foram irresponsáveis em tirar os presos das cadeias vc não acha. Agora quero perguntar uma coisa vc tambem ja publicou assim a favor da maioridade penal visto que tem acontecido muitos crimes de "menores", os quais sabem que a lei é uma droga e irá beneficia-los?, ou até mesmo os "maiores" que matam se a vítima espirrar, ou fizer um movimento um pouco mais brusco?
    Se já escreveu gostaria de ler o artigo, envie pra por favor
    obrigado
    Rubens Ferreira

    ResponderExcluir
  10. Estao mal informados heim! melhor acompanhar com mais cautela...visitar algumas unidades prisionais, etc. 80% das unidades ja estao paralisadas!!! só um toque, aproximadamente 128 unidades ja aderiram a greve.. cuidado esgoto quando começa e ficar muito cheio VAZA... e respinga pra todo lado, principalmente na sociedade que esquece que existe agente penitenciario,..

    ResponderExcluir
  11. Tenho vergonha de morar num país como o Brasil, num Estado como o de São Paulo, tenho vergonha de ser funcionário da SAP, tenho vergonha de ser um "ser humano", afinal pertenço a mesma raça do "ser" que escreveu essa reportagem! É o fim do mundo mesmo!

    ResponderExcluir
  12. Esse repórter é um desinformado é muito difícil uma pessoa querer comentar algo que desconhece seria interessante ele ficar pelo menos 12 horas dentro de uma unidade prisional para conhecer e poder comentar não diga o que não conhece me admira um repórter ter esta postura melhor estudar um pouco

    ResponderExcluir
  13. JORNAL MEDÍOCRE A SERVIÇO DO PSDB!

    AGORA SIM! VAMOS PARA O ARROXO! NADA DE VISITAS FINAL DE SEMANA!

    A GREVE VEM SENDO ANUNCIADA HÁ MAIS DE ANO. 60% TRABALHANDO KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK O DÉFICIT É TÃO GRANDE QUE ACHO QUE NA MINHA UNIDADE PENAL NÃO TEM 20% DO NÚMERO DE FUNCIONÁRIOS QUE DEVERIA TER.

    POR FAVOR JORNALECO NÃO ME FAÇA RIR.

    ResponderExcluir
  14. Temos o direito de resposta, vamos desmascarar esse governo , ele que é irrespónssalvel e a midia que esta querendo blindar ele como esta fazendo com o propinoduto, mas, não adianta o alkimista já era e os seus jornaizinhos comprados também vão naufragar.

    ResponderExcluir
  15. CADÊ A GREVE NAS PENITENCIÁRIA DE BALBINOS, REGINÓPOLIS, PIRAJUÍ, BAURU????????????????????????????????????????????

    VAMOS LÁ COMPANHEIROS! VOCÊS SÃO HOMENS OU SÃO SACO DE BATATAS?

    ResponderExcluir
  16. Longe da realidade de trabalho no sistema prisional, entendo que este parecer é uma maneira de discriminar qualquer ato que venha a buscar uma melhoria salarial.

    Faço aqui uma menção aos professores que por muitas vezes tomaram muitas cacetadas em suas manifestação e oque conseguiram, foram um projeto para desestabilizar a categoria.

    Entendo que os agentes penitenciários tem uma necessidade de fazer um trabalho de concientização em como ser eficiente nesta greve. Se sai uma transferência de preso, primeiro nem deveria ter saído. Se saiu em cada unidade tem uma perspectiva de chegada e de saída de presos.

    Ai vem um detalhe, a classe deve ser unidade, solidaria, e comunicativa.

    Na tarde de ontem fiquei chocado com o parecer de um representante sindical Sinfuspesp: - dizendo que este foi um ato de iniciativa dos agentes e que eles estariam acompanhando para dar legalidade no movimento.

    Temos como referencia o sindicato Sindasp e a partir de uma copia de como iria se proceder, agimos no dia de ontem. Na unidade P2 Potim.

    Sou Agente Penitenciario a 6 anos, nunca deixei de ser zelador de Raio, P1 Pinheiros, CDP Caragua e agora nos ultimos 2 anos P2 Potim Penitenciaria.

    Há uma grande ansiedade dos sentenciados no que afere a visitas, devemos imaginar que para quem trabalha no sistema prisional esta no calor da massa, sabe o quanto significa para o preso receber uma visita.

    Desta maneira deixo aqui, meu desejo que as lideranças falem a mesma lingua, que as unidades se comuniquem, que os funcionários do administrativo, plantonista sejam unidos. Pois bem sabemos das artimanhas administrativas das coordenadorias, diferenças salarias, diferenças nos reajustes, e vários outros atrativos para desestabilizar e dividir nossa categoria. Sendo assim, que todos falem uma só lingua e se preparem para uma longa e árdua negociação, assim como desejo que nenhum funcionário seja vitima de qualquer ato impensado.

    Ha um tempo respeito e admiro infindas publicações deste blog, que é um canal de grande refencia para nossa categoria.

    Excelente trabalho Sr Jenis de Andrade.

    ResponderExcluir
  17. http://aquisotemmaluco.wordpress.com/2014/03/12/james-akel-quer-saber-para-quem-serve-a-greve-dos-agentes-penitenciarios/comment-page-1/#comment-7656 vejam esse comentario

    ResponderExcluir
  18. http://aquisotemmaluco.wordpress.com/2014/03/12/james-akel-quer-saber-para-quem-serve-a-greve-dos-agentes-penitenciarios/comment-page-1/#comment-7656 vejam esse comentario

    ResponderExcluir
  19. e a jenis os sindicatos nem falaram a respeito da LPT ao governo,enquanto isso o coordenador da regiao noroeste continua transferindo ASP e AEVP pela LPTR, toda semana ,tem agente que ja foi transferido duas vezes, e eu a 6 anos esperando a minha transferencia pela LPT

    ResponderExcluir
  20. Fazer o que né. todos tem direito a opinião, contrária ou a favor. Mas qualquer pessoa que emita uma opinião têm que primeiro saber do que está falando. è lógico que temos que pressionar com o que temos, afinal, se na conversa ja faz tempo e o patrão(Governo) nada, vamos partir pro nosso direito, afinal o que acontece com esses tais bondes são Diretoria tentando "forçar situações" . Eles agem assim a gente manda os presos , nossa parte estamos fazendo viu Doto Coordenador, Doto Secretário, masss os guardas não deixam os bondes entrar nas cadeias . Tipo assim tiram os deles da reta e põe os nossos. E quanto a opinião do Estadão, não vai mudar em nada , nossa greve continua e se o governo não acenar com nada melhor , vai piorar.....

    ResponderExcluir
  21. Esse jornal tenho certeza que deve ser PSDB, tucano até debaixo da agua, vamos manter a greve, abaixo a tirania e a hipocresia, vai curinthiaaaaa.

    ResponderExcluir
  22. Comentar o que???? O jornalista que publicou esta mensagem mora no Brasil? conhece o sistema penitenciário paulista? todo ano é feita reuniões exaustiva, é discutido é avisado,gostaria que ele procurasse estudar mais sobre o assunto antes de escrever o que escreveu,será que ele tem coragem de fazer uma pesquisa a fundo sobre o assunto? tenho certeza que depois que fizer isso vai mudar o discurso.

    ResponderExcluir
  23. Jornal de merda, nao sabem de nada e falam asneira, temos que parar mesmo, infelizmente a cadeia que trabalho ninguem quer parar , sao um bando de cagao, P2 de Sorocaba

    ResponderExcluir
  24. jornal de merda, nao sabem o que dizem, temos que parar mesmo, infelizmente na cadeia que trabalho ninguem quer parar, sao um bando de cagao, mas aumento todos querem,P 2 de Sorocaba cadeia mais desunida que conheci

    ResponderExcluir
  25. Esse jornaleco de 2ª categoria sempre foi um "braço direito da Ditadura dos 20 anos do PSDB em São Paulo"! Ainda esses vagabundos (como o FHC chamou os aposentados) criticam a Venezuela! A Venezuela é aqui em São Paulo...

    ResponderExcluir
  26. esse jornal é uma b... e não sabe o que passamos, um absurdo é trabalharmos em presidio cuja a capacidade é de 768 e está com 2600 !!!

    ResponderExcluir
  27. Agora nós que somos irresponsáveis, o governo virou vitima por deixar cadeias superlotadas e com alto déficit de funcionários. Opinião da Imprensa Burguesa que agora pretende esconder as mazelas do sistema prisional paulista que veio a tona, tudo porque nossa classe não aguenta mais ser oprimida por anos e anos. Querem que nós agentes penitenciários fiquemos com camisas brancas e buquê de flores na frente das penitenciárias, para recepcioná-los e os fotógrafos tirarem foto e publicarem que estamos felizes e contentes com o tratamento “digno” que o governo nos oferece, escondendo todas as mazelas do sistema penitenciário da sociedade.

    ResponderExcluir
  28. Absurdo esse levantamento de unidades paralisadas do sifuspesp... só no complexo de pinheiros são 4 cadeias e nem uma parou, nem tem nenhum guarda do lado de fora, só 2 manés da força sindical com um carrinho de som q parece do tio que vende pamonha... É isso ao que se resume a greve! Greve dos sindicatos...

    E quanto ao sifuspesp? Estão de greve e nem lagartinhos da CUT eles enviam para a porta das unidades? Lamentável, ein...

    ResponderExcluir
  29. É ENGRAÇADO E ABSURDO DIZER QUE A GREVE DE NÓS AGENTES É IRRESPONSÁVEL, POIS OS PODERES QUE COLOCAM OS BANDIDOS NA RUA NÃO SÃO CHAMADOS DE IRRESPONSÁVEIS. E AINDA O GOVERNO NÃO É CHAMADO DE IRRESPONSÁVEL QUANDO DEIXA DE CUMPRIR LEIS QUE REAJUSTAM OS SALÁRIOS DESSES E DOS DEMAIS SERVIDORES, O GOVERNO AO INVÉS DISSO ESPERAM QUE A GREVE ACONTEÇA TODOS OS ANOS, ISSO É UM DESRESPEITO COM O SERVIDOR E UMA AFRONTA A INTELIGÊNCIA DE TODOS NÓS.

    ResponderExcluir
  30. Boa noite Jenis, gostaria de comemtar com os colegas, essa opniao dada no jornal, nos temos como saber o autor dela, pois só pode ser alguém do psdb...Outra coisa, peço aos colegas que nao arredem o pé, mesmo que algum Juiz decida que nossa greve é ilegal, os sindicatos tem que recorrer, pois toda decisao de de juizo local, devemos recorrer para o tj, e depois se precisar para o STJ e depois para o STF, pelo menos isso os advogados dos sindicatos tem que fazer, é o minimo que nós queremos deles, isso seria o bastante para continuarmos com a greve.FORÇA COLEGAS. AQUI NA UNIDADE É ASSIM, QUER PEGAR NOME DOS GREVISTAS ENTÃO PEGA O NOME DE TODOS. POIS SE DER UMA SUSPENSAO POR EXEMPLO, QUERO VER PUNIR TODOS..... NOSSA FORÇA E GRANDE. E ESTAMOS QUASE LÁ, O GOVERNO TENTA SUA ÚLTIMA CARTADA COM ESSA DE PEDIR ILEGALIDADE DA NOSSA GREVE NA JUSTIÇA.... MAS CHEGA... DESSA VEZ NÃO.....

    ResponderExcluir
  31. jornalzinho vendido, direitista, sempre a favor de quem está no poder e oprimindo. sem novidades

    ResponderExcluir
  32. Justiça proíbe que grevistas interrompam visitas e transferências

    Conforme decisão, multa será de R$ 100 mil por dia de descumprimento.
    Sindicato afirma que greve continua nesta sexta-feira (14).







    Do G1 Presidente Prudente













    1 comentário



    A Secretaria de Administração Penitenciária do Estado de São Paulo (SAP) informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que o Tribunal de Justiça expediu nesta quarta-feira (13) uma decisão liminar que impede o movimento grevista de barrar o acesso às dependências dos presídios por parte dos familiares, advogados e Estado, e exige a liberação das transferências de presos.

    Segundo a decisão do juiz Sérgio Serrano Nunes Filho, o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Estado de São Paulo (Sindasp), estaria “praticando e incentivando a inviabilização de vários atos estatais necessários à boa administração do sistema carcerário e da Justiça Penal”.

    Ele ainda declara que o sindicato estaria “frustrando vários direitos dos detentos, que estão sendo privados de assistência jurídica e da família, do trabalho e do estudo. Tal situação de violação de direito alheio não se coaduna com o direito de greve”, conforme o documento.

    A Justiça ainda determinou uma multa de R$ 100 mil para cada dia de descumprimento da decisão, para cada unidade prisional englobada pelo movimento grevista.

    O Sindicato dos Agentes Penitenciários do Estado de São Paulo (Sindasp), por meio de seu presidente, Daniel Grandolfo, informou por telefone que ainda não foram notificados sobre a decisão, e que “a greve continua nesta sexta-feira (14)”.

    Nesta quarta-feira (12), o Sindasp anunciou que interromperá a greve, que já atinge 120 unidades prisionais em todo o Estado de São Paulo, durante este final de semana. Isso será feito para que, segundo Grandolfo, as visitas aos detentos sejam normalizadas. A paralisação já entra no seu quarto dia.

    Ainda conforme ele, os grevistas permanecem mobilizados até esta sexta-feira (14) e retomam o trabalho no sábado (15). As atividades continuam até o final da noite de domingo (16).

    ResponderExcluir
  33. Então esse "conceituado" jornal afirma que exercer uma garantia constitucional é "irresponsável", se eles passarem um dia trabalhando conosco, aguentando as ameaças tanto de presos, como de diretores que adoram maquiar a realidade, não definiriam assim, de uma luta por remuneração compatível com o risco, além de melhores condições de trabalho. Tal jornalista nem sonha com nossa realidade, vive seguro em uma sala com ar-condicionado, numa realidade paralela ao mundo dos profissionais que muitas vezes nem ventilador tem nas gaiolas, água é da torneira, e na refeição tem que escutar que a mistura é ã somente para o preso, nosso horário de almoço caro jornalista é inexistente, pois não há funcionários para fazer o revezamento, sem prejuízo da segurança; nossas folgas não são respeitadas, uma vez que o baixo efetivo, faz com que nossos superiores façam convocações arbitrárias, para fingir que o serviço está andando normalmente, ou seja, "está tudo lindo, tudo belo", pelo menos no papel, já que as infiltrações/rachaduras na parede, e as fechaduras danificadas por falta de manutenção, não condizem com essa realidade. Assistir a cada notícia de transferência de lideranças, poderá gerar represálias tanto nas penitenciárias como na rua, sendo que nossa presidente pra piorar, vetou um projeto que nos daria porte de arma, nas mesmas condições que os policiais possuem, nos dando melhor chance de defesa, desses covardes, que sempre vem na covardia, nos dá "muita segurança", principalmente quando estamos expostos na rua, com nossas familias.
    Imagino que esta breve exemplificação, de alguns dos problemas enfrentados por nós, mostre bem a este jornalista, que tem todos os seus direitos de exercício da profissão regulamentado e protegido por legislação própria, enquanto, nós, IRRESPONSÁVEIS, nem isso temos, vivemos a margem da lei, sem uma definição de nossas atribuições. Sendo assim, antes de vossa senhoria sair falando a respeito de qualquer categoria, criticando a mesma por defender seus direitos, faça uma reflexão mais profunda do que representa uma Greve, mesmo porque a culpa desta é do próprio governo que não respeita a leis que ele mesmo criou, apenas chegou a esse ponto, pelo descaso desse com nossa categoria, de modo que se vossa senhoria tem alguém pra chamar de IRRESPONSÁVEL, chame esse governo que teve mais de 20 anos, pra ar pelo menos condições de trabalho para seus agentes policiais.

    ResponderExcluir
  34. Mande um "VENDEDOR DE MANCHETES" fazer uma "TRANCA" ..."SOZINHO"...COM 200 DETENTOS "SOLTOS"...ENTÃO ELE PODE FALAR !!!!!!
    Caraguatatuba na luta !!!!!

    ResponderExcluir
  35. Olha que palhaçada - http://noticias.r7.com/sao-paulo/tj-da-liminar-que-barra-greve-de-agentes-penitenciarios-13032014

    ResponderExcluir
  36. Olha que desaforo!
    http://www.em.com.br/app/noticia/nacional/2014/03/13/interna_nacional,507716/tj-da-liminar-que-barra-greve-de-agentes-penitenciarios.shtml

    ResponderExcluir
  37. O Tribunal de Justiça de São Paulo determinou na noite desta quinta-feira (13) que os agentes penitenciários que estão em greve não impeçam familiares dos presos, advogados e funcionários públicos de terem acesso às dependências dos presídios, sob ameaça de multa de R$ 100 mil por dia em caso de desobediência.

    Expedida pelo juiz Sérgio Serrano Filho, a decisão liminar afirma que a ação do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Estado de São Paulo (Sindasp) incentiva e inviabiliza “atos estatais necessários à boa administração do sistema carcerário e da Justiça Penal”. A decisão atende um pedido da Secretaria da Administração Penitenciária de São Paulo.

    Para o juiz, ao impedir o acesso aos presídios, o Sindasp impede “vários direitos dos detentos, que estão sendo privados de assistência jurídica e da família, do trabalho e do estudo”. “Tal situação de violação de direito alheio não se coaduna com o direito de greve”, completa o texto.

    Na prática, a Justiça determina que os grevistas não impeçam a transferência de presos de uma unidade para outra e que recebam nas penitenciárias os presos que ainda estão nas delegacias.

    Nesta semana, um comboio de 15 veículos que transportava presos foi impedido de entrar na penitenciária de Martinópolis, interior de São Paulo. O Sindasp informou não ter sido comunicado oficial.

    Paralisação
    Para dar fim à paralisação, sindicalistas do Sindasp, Sifuspesp, Sindicorp e Sindesp e representantes do governo se reuniram terça-feira (11), no Palácio dos Bandeirantes.

    Do lado da administração pública, participaram os secretários Edson Aparecido (Casa Civil), Júlio Semeghini (Planejamento e Desenvolvimento Regional) e Lourival Gomes (Administração Penitenciária).

    A categoria pede, de acordo com a assessoria do Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sindasp-SP), reajuste salarial de 20,64%, redução das classes (de 8 para 6), aposentadoria especial com 25 anos de carreira, entre outras reivindicações.

    Segundo divulgado pela Secretaria de Administração Penitenciária, o governo propôs a extinção de um nível com promoção imediata para todos os Agentes de Segurança Penitenciária (ASP) - de oito para sete. Com a mudança, o profissional conseguiria atingir a classe final da carreira em 26 anos, e não mais em 32.

    Também foi oferecido o pagamento de diárias especiais para 632 homens por dia, com limite de 10 diárias para cada servidor. A mudança, segundo a SAP, gera um pagamento adicional de R$ 161,12 por dia, para os agentes que trabalharem nos dias de folga.

    Dentre os benefícios, o governo oferece para os servidores integrantes das classes meio e de saúde, o adicional de periculosidade reajustado de R$ 179,00 para R$ 250,00. A Secretaria da Casa Civil afirma que instituirá um grupo de trabalho para elaboração de indicadores e metas da categoria.

    Adesão
    A greve dos agentes penitenciários provocou nesta terça-feira (11) confusão em presídios do interior e da cidade de São Paulo. Um comboio vindo do interior foi impedido pelos grevistas de entrar no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Pinheiros, na Zona Oeste da capital, e bloqueou faixas da Marginal Pinheiros. Depois de 20 minutos, o acesso ao presídio acabou liberado.

    Dos 30 mil agentes do Estado de São Paulo, 16 mil estão parados, de acordo com o Sindasp-SP. A SAP contesta tais dados, e afirma que nesta terça-feira (11), menos de 10% das unidades registraram faltas de funcionários em razão da greve. Segundo a Secretaria, muitos dos funcionários das unidades estão de folga. O índice de prisões que tiveram algumas atividades paralisadas é de cerca de 20%.

    ResponderExcluir
  38. Ao ler a matéria verifico que é uma simples opinião sem ter conhecimento de causa do pleito discutido. Principalmente num país onde o meio de comunicação destoa para a parcialidade em muitos fatos cotidianos de nossa nação.

    ResponderExcluir
  39. Este jornaleco sempre foi o braço direito do PSDB paulista, que arrebatou o Governo de São Paulo em uma Ditadura de 20 e poucos anos, inclusive o seu maior líder FHC disse que todo aposentado é um vagabundo; eles ainda criticam a Venezuela, e se esquecem que fazem o mesmo no governo de São Paulo! Fora PSDB!!!

    ResponderExcluir
  40. Jenis
    Por favor divulgue no seu site este deputado: Major Olímpio, para que todos saibam quem realmente esta do nosso lado.
    Veja o link: http://flitparalisante.wordpress.com/2014/03/12/major-olimpio-greve-de-funcionarios-sistema-prisional/

    ResponderExcluir
  41. Engraçado como a materia NAUM FALA NADA DA IRRESPONSABILIDADE DO ESTADO, ainda elogia o projeto do Aloysio Nunes PSDB, sem lembrar que isso é mais um prova da falta de vontade do Estado que nunca regulamentou uma coisa que pode ser usada contra ele. VAMOS ENCHER A CAIXA DO ESTADO DE REPOSTAS PESSOAL!!!

    ResponderExcluir
  42. ENGRAÇADO SÓ NESSAS HORAS É QUE LEMBRAM A IMPORTANCIA DO TRABALHO E DA REPONSABILIDADE DO ASP. PERGUNTO, OS JUÍZES FIZERAM GREVE (ELES NAUM TEM UMA FUNÇAO DE SUMA INPORTANCIA TBEM?) OS ESCREVENTES JUDUCIARIOS FIZERAM GREVE DE 70 DIAS (NAUM TEM UMA FUNÇAO DE SUMA IMPORTANCIA TBEM?) OS MEDICOS INSS FIZERAM GREVE (NAO É FUNÇAO DE SUMA IMPORTANCIA TBEM?) PESSOAL VAMOS ENCHER AS CAIXAS DAS MIDIAS E ETC!!!!

    ResponderExcluir
  43. Curioso é que esses mesmos jornalistas e repórteres que chamam os ASPs grevistas de "IRRESPONSÁVEIS", foram os primeiros a EXIGIR do Governo e da Justiça rígida apuração e punição dos Black Blocks que mataram o cinegrafista da Band, alegando, entre outras coisas, que necessitam de PROTEÇÃO para exercerem seus trabalhos! Quer dizer então que somente a classe de jornalistas/repórteres merecem ter boas condições de desempenhar suas funções? Caro jornalista do OESP, como bem frisou um comentário acima, experimente passar 12 horas dentro de um raio, sozinho, trancando mais de 250, 300 presos e recebendo todas as sortes de ameaças e possíveis agressões físicas! Depois, você diz quem é o irresponsável, OK?

    ResponderExcluir
  44. AMIGOS NOSSA GREVE É LEGÍTIMA, NOSSOS DIREITOS VEM SENDO NEGADOS HÁ ANOS, SEJAM FORTES, PERSISTENTES E PRINCIPALMENTE UNIDOS, NÃO TEM GOVERNO QUE POSSA CONOSCO, ATÉ AQUI SEGURAMOS A BOMBA NAS MÃOS ENTÃO IRRESPONSABILIDADE DE QUEM CRIOU ESSA BOMBA NÃO NOSSA, NO PROXIMO FIM DE SEMANA VAMOS RECEBER VISITA SIM MAS SEM JUMBO E ENTRADA NO RITMO DE TARTARUGA

    ResponderExcluir
  45. NOSSA GREVE É LEGÍTIMA, NÃO FRAQUEJEMOS AGORA COMPANHEIROS... SE NÃO CHEGAR NOSSA REIVINDICAÇÃO FIM DE SEMANA QUE VEM QUE ENTRE A VISITA MAS SEM JUMBO E EM RITMO TARTARUGA. SÓ QUEM SABE SOMOS NÓS DO SISTEMA, FORÇA E PERSEVERANÇA ASP'S ESTAMOS JUNTOS NO ESTADO TODO

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.
Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.