terça-feira, 8 de abril de 2014

Drone é flagrado novamente em CDP de São Paulo.


Fonte: http://www.ovale.com.br/drone-e-flagrado-e-estado-revista-cdp-de-s-o-jose-1.518164

Drone é flagrado e Estado revista CDP de São José

GIR revista as celas do Centro de Dentenção Provisória de São José ( Foto: Flávio Pereira).


Vistoria continua desde a manhã desta segunda-feira; está é a segunda vez no mês de abril que é registrada uma ocorrência com drones no local

Caroline Lopes
Especial para O Vale - Atualizado às 22h40

Pela segunda vez em menos de um mês, um mini-helicóptero foi usado por criminosos para infiltrar produtos no CDP (Centro de Detenção Provisória) de São José dos Campos.
O equipamento, também conhecido como ‘drone’, sobrevoou às 9h45 do último domingo a unidade despejou um embrulho sem ser interceptado. Segundo a SAP (Secretaria de Administração Penitenciária), “os agentes dispararam vários tiros \[em direção ao aeromodelo\]mas não obtiveram êxito em derrubar o aparelho”.
O pacote não foi descoberto no domingo, mobilizando mais uma vez o GIR (Grupo de Intervenções Rápidas), espécie de tropa de choque da SAP, que ficou ontem na unidade das 7h30 às 13h30.

Apreensão. O GIR recolheu dois celulares, duas baterias e três chips para telefones móveis, 0,64 gramas maconha e dois comprimidos aparentando ser ecstasy.

Dia de visita. Desta vez a ação dos bandidos foi ainda mais ousada: anteontem era dia de visitas e havia cerca de 500 familiares no local, sendo que parte deles estava no interior da unidade. “Por volta das 9h vimos um aviãozinho voando. Acho que já tinham umas 200 pessoas lá dentro. Os agentes começaram a atirar nele. A mulherada ficou toda abaixada, a criançada chorava muito. Suspenderam o resto das visitas e não pude ver meu filho. Estou muito preocupada”, disse M.A.G., 57 anos.
Segundo ela, teria havido um tiroteio, o que foi negado tanto pela SAP como por agentes penitenciários. “Os homens estavam controlando o aviãozinho de cima de uma árvore e vimos quando eles dispararam contra os agentes, que revidaram”.
L.A.P. , 37 anos, chegou para visitar o filho às 10h de domingo e ficou sabendo da suspensão das visitas. “Estou desesperada atrás de notícias”.

Outro lado. Segundo a SAP, no domingo, os familiares que estavam na unidade foram retirados e as demais visitas suspensas. Ainda não há definição sobre sanções ou cancelamento de visitas no próximo final de semana. A SAP informou que “adotará medidas para evitar novas ações, as quais não podem ser divulgadas por segurança”.

Histórico. No dia oito de março, um ‘drone’ lançou um pacote com cerca de 250 gramas de cocaína no raio 1 do CDP. O GIR veio até a unidade para inspeção. No dia 10 de março, familiares de presos denunciaram agressões físicas aos presos, confirmadas em 18 deles após exame de corpo de delito. A unidade está superlotada, com 1.653presos, para uma capacidade máxima de 525.


Sindicato critica falta de funcionários na vigilância
São José dos Campos

Agentes penitenciários ouvidos por O VALE afirmam que a falta de funcionários dentro das unidades prisionais, inclusive de agentes de escolta de muralha, estaria deixando vácuos de vigilância de até 150 metros nas paredes de locais como o CDP (Centro de Detenção Provisória) de São José dos Campos.
“O Exército determina que um posto de vigilância deve ser feito em no máximo duas horas, com descanso de quatro. Na teoria, os agentes fazem três horas por três, mas, na realidade, uma pessoa chega a ficar até seis horas na função”, disse Jenis de Andrade, presidente da Aspesp (Associação dos Servidores Penitenciários do Estado de São Paulo).
Segundo ele, em alguns momentos, uma muralha inteira, com média de 200 metros de comprimento, chega a ficar desguarnecida. “A falta de funcionários e o cansaço de quem acumula muito tempo de serviço contribuem para ações como esta do drone. É uma área muito grande para ser vigiada e controlar o acesso de um objeto tão pequeno”.

Medo. Ricardo Alexandre da Silva, diretor regional do Sindasp (Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado de São Paulo), fala que o caso preocupa. “É um fator de risco. Poderia ser uma arma”. Em resposta, a SAP disse que “por segurança não divulga o número de servidores nas unidades prisionais”.

Drone pode ter entrado mais vezes
Para o analista criminal Guaracy Mingard, o fato de os bandidos tentarem entrar com um drone no CDP de São José pode significar que já tenha acontecido o mesmo várias vezes, sem que houvesse percepção. "Não é uma tendência porque a estratégia é cara, de difícil manejo e pode levar pouca droga. Se estão insistindo, pode ser que tenham conseguido inúmeras outras vezes".

Um comentário:

  1. “por segurança não divulga o número de servidores nas unidades prisionais”. QUE FRASE IRÔNICA NÉ?Deveria ser assim :POR VERGONHA A SAP NÃO DIVULGA O Nº DE ASP.!

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.

Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.