quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Detento é acusado de estuprar filha dentro de presídio paulista, segundo o Jcnet.

Fonte: http://www.jcnet.com.br/Policia/2014/11/detento-e-acusado-de-estuprar-filha.html
Detento é acusado de estuprar filha

Ele seria portador de HIV e abuso teria ocorrido durante visita da menina, de 10 anos, no presídio; em outro caso, vítima seria garoto de 4 anos

Bruna Dias e Ana Borges






Uma menina, de 10 anos, teria sido abusada pelo próprio pai em uma penitenciária da região, durante uma visita. O caso foi denunciado para a Polícia Civil na tarde de ontem, em Bauru. O detento ainda seria portador do vírus HIV, segundo relatou a avó materna, que tem a guarda da criança e fez a acusação. Este foi o segundo caso registrado ontem.

De acordo com o registrado em boletim de ocorrência (BO), a menina teria ido à unidade prisional em Pirajuí (58 quilômetros de Bauru), juntamente com a namorada do pai, para visitá-lo. Ambas teriam cochilado na cela. A criança teria acordado e o pai estaria esfregando o pênis no meio das pernas dela.

Percebendo o susto da menina, ele teria rapidamente se recomposto e colocado a cueca. Apesar de a namorada também estar na cela, ela não teria acordado e nem presenciado o abuso, segundo contou a criança.

Segundo a avó materna, a menina teria retornado para a casa bastante estranha e teria ficado vários dias sem querer conversar com os familiares. Passado algum tempo, ela teria, finalmente, relatado o abuso a uma tia, que contou imediatamente para a avó.

Após ter conhecimento do suposto abuso e saber que o pai da menina é portador de HIV, a avó, imediatamente, procurou a Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Bauru para denunciar o ocorrido.

A menor passou por exame de corpo delito e será encaminhada para tratamento psicológico. O caso foi registrado como estupro de vulnerável e será investigado.

Por conta do adiantado do hora, não foi possível acionar a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) para comentar o caso.

Menino

Fora este, mais um caso de estupro foi registrado em Bauru. A vítima seria um menino de 4 anos. Conforme apurado pelo JC, ele estava com a mãe em um hotel da área central, quando se queixou de dores nas regiões íntimas. A lesão foi constatada no Pronto-Socorro Central (PSC).

Era perto da meia-noite quando o menino estava em um hotel com a mãe e começou a reclamar das dores. Preocupada, ela procurou a unidade de saúde, onde a criança foi examinada por um médico. O menino teria relatado o abuso sexual por parte de um familiar.

A Polícia Militar (PM) chegou a procurar o suspeito em alguns locais de Bauru, contudo, ele teria saído da cidade na mesma noite.

Apesar de o caso ainda não ter sido distribuído oficialmente para investigação da Polícia Civil, a delegada Priscila Bianchini afirma que vai apurar o caso. “Vamos instaurar inquérito e ouvir as partes”.

Ainda conforme apurado pela reportagem, até o fechamento desta edição, o acusado pelo delito ainda não tinha sido localizado. Não foi possível obter mais detalhes da denúncia, uma vez que o BO foi censurado pela Polícia Civil, a pedido dos envolvidos.


Só neste ano, a polícia já registrou 98 casos de estupros no município

Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP), somente de janeiro até setembro, foram registrados 98 casos de estupros em Bauru. Pela gravidade do crime, a média de dez casos ao mês é bastante preocupante.

Entre 2013 e este ano, os registros tiveram o que pode ser considerado uma estabilidade. Nos primeiros nove meses do ano passado, foram 99 denúncias de estupro na cidade.

Em tempo: os casos recentes das três crianças não englobam tais dados, uma vez que as estatísticas da SSP-SP mais atualizadas computam registros até o fim de setembro.


Mais um caso

No último dia 16 de novembro, a Polícia Civil recebeu mais um registro de estupro. Conforme apurado pelo JC, a vítima seria uma menina de apenas 7 anos. A suspeita do caso, assim como a denúncia mais recente, também recairia sobre um familiar.

A delegada Alexandra Gonçalves Nogueira afirma que o caso será investigado e que instaurará inquérito para aprofundar as informações relatadas no boletim de ocorrência.

O registro também foi censurado pela Polícia Civil.

21 comentários:

  1. Parabéns aos inteligentes que liberam entrada de crianças num ambiente sujo, e cheio de vagabundos... Absurdo, liberarem crianças até para entrar em cadeias de Jacks... Em muitos casos as mães não estão nem ai, são coniventes com os parceiros. Brasil, indo do ruim pro pior... Parabéns governantes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MAS CRIANÇA NÃO PODE ENTRAR NAS CELAS. O ESTADO DE SÃO PAULO VAI TER QUE PAGAR UMA INDENIZAÇÃO PELO SEU DESCASO COM A SEGURANÇA, INTEGRIDADE FÍSICA E PSICOLÓGICA DOS VISITANTES, ESPECIALMENTE COM O DESCASO CONTRA AS CRIANÇAS.

      ESTÁ CLARO NA LEI QUE AS VISITAS SOCIAIS DEVEM SER FEITAS EM LOCAIS ADEQUADOS, SOB VIGILÂNCIA E COM GARANTIA DA SEGURANÇA DOS VISITANTES.

      Lei nº 15.553, de 12 de agosto de 2014
      Publicada em: D.O.E. de 13/8/14 - Seção I - pág. 01

      Determina que os estabelecimentos penais disponham de locais adequados para a visitação de familiares e dá outras providências.

      O SUPREMO GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO:

      Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu promulgo e determino a implantação imediata da seguinte lei:

      Artigo 1º - Os estabelecimentos penais deverão dispor de locais adequados para a visitação de familiares e amigos, garantindo privacidade, mesmo que sob vigilância, com o intuito de facilitar a ressocialização do preso com a família e a sociedade.
      § 1º - Vetado.
      § 2º - As visitas de que trata o “caput” deste artigo deverão respeitar as regras estabelecidas pela Secretaria da Administração Penitenciária ou os regulamentos próprios de cada estabelecimento penal.
      Artigo 2º - Vetado.
      § 1º - Vetado.
      § 2º - Vetado.
      Artigo 3º - Vetado.
      Artigo 4º - As despesas resultantes da execução desta lei correrão à conta de dotações orçamentárias próprias.
      Artigo 5º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.
      Palácio dos Bandeirantes, aos 12 de agosto de 2014.
      Geraldo Alckmin
      Lourival Gomes
      Secretário da Administração Penitenciária
      Saulo de Castro Abreu Filho
      Secretário-Chefe da Casa Civil
      Publicada na Assessoria Técnico-Legislativa, aos 12 de agosto de 2014.

      Excluir
  2. POR ESSE E OUTROS MIL MOTIVOS DEVERIA SER PROIBIDA A ENTRADA DE MENORES EM CADEIAS , SE A PESSOA JÁ ESTA PRESA É POR QUE BOA COISA COM CERTEZA NÃO É!

    ResponderExcluir
  3. Relaxa que a PGE vai pra cima do mané do zelador do raio no dia do ocorrido sem massagem!!! O ladrão vai tomar um bonde e vai ganhar uns dias a mais de pena, e só! É assim que essa secretaria funciona..

    Motivos para impedir visitação de menores de 18 anos:

    - ambiente extremamente sujo e insalubre.
    - risco de contaminação das crianças por todo tipo de doenças.
    - em muitas cadeias os presos fazem a festa alterando a fiação das celas, risco eminente de choque elétrico e são "só" 220v! Recentemente teve criança que até morreu em unidade devido a choque elétrico.
    - Impossibilidade de fazer manutenção nos raios/alas/pavilhões devido a hiperlotação, deixando rebarbas, pontas e todo tipo de superfície cortante e/ou enferrujada para as crianças se machucarem.
    - os pais não se importam com as crianças, largam elas no raio e vão tirar visita íntima, deixam as crianças aos cuidados de outros presos, por si só já é motivo de dar cana neles por abandono de incapaz, então a criança, sem os pais começa a subir nas grades, no portão de acesso ao raio, etc. Já tive que socorrer criança com a mão esmagada pela porta de cela, por sorte a mãe não era tão sacana e assumiu que largou a criança sozinha e que a culpa era toda dela.
    - risco da criança ser usada como "mula", até com introdução de ilícitos em bebês, como já ocorreu, sendo só esse um motivo para o fim de toda e qualquer visita em qualquer unidade prisional do país por menores de idade! E oq a SAP fez? Nada!!!
    - Todo o problema psicológico de colocar a criança num local como aquele, isso é difícil de mesurar, é verdade, mas é um "estupro" mental nas crianças! Ninguém deve passar por isso! Atualmente não se pode nem dar umas palmadas em criança levada, mas elas podem entrar numa cadeia????????????

    Queria saber porque os defensores dos direitos humanos, que dizem defender aqueles mais frágeis, que não tem como se defender (essa é a tese para eles defenderem vagabundo e não "humanos direitos") não fazem campanhas, porque não fazem uma pressão absurda para impedir a visitação de menores nas cadeias??? Ajuda a reabilitar o preso??? Pô, talvez reabilitar 1 vagabundo em mil ao custo de acabar com a vida de milhares de crianças????? Que porra é essa!?!?!?!

    ResponderExcluir
  4. nas regras a criança , filho de detento, menor de idade, entra na Unidade com a mãe ou os avós, agora com a namorada do preso eu nunca vi, teria que ser um maior responsável , a namorada com certeza não é, então de quem é a responsabilidade dessa criança entrar na Unidade .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, vc tá de chapéu! Aonde que pode adentrar um menor com os avós??? Leia o RIP com atenção!!!
      Já teve estória da Avó adentrar na cadeia com o filho do preso, e a mãe fazer Boletim contra ela e a cadeia.
      Não fica com essas ideias de Diretoria para pagar simpatia para o preso

      Excluir
    2. com certeza vai sobrar pro funcionário do Rol de Visitas... deixar menor entrar sem estar com a mãe ou a avó...

      Excluir
  5. as crianças saõ proibidas de entrar nos hospitais ,mas na cadeia são liberadas? , só podem estar de gozaçao???????

    ResponderExcluir
  6. Tenho pena dos guardas, pq filha do preso não poderia adentrar para visitar o pai acompanhado pela amásia... Olha o fumo que irão tomar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. POIS É AMIGO, TEM CADEIA QUE FILHO DE PRESO ENTRA COM AVÓ, AMASIA, TIA, E COM QQ PESSOA QUE ESTEJA INCLUSA! AÍ QUANDO ESTOURA UM B.O. DESTE, VAI SOBRAR PRO GUARDA DA SUB-PORTARIA, DIRETOR DE PORTARIA E SE MARCAR ATÉ PRO ZELADOR... FALA PRO DCSD COLOCAR NO PAPEL ESSA ORDEM...HEHEHE... OS AGENTES TEM QUE FICAREM LIGADOS, FILHO DO PRESO SÓ COM O RESPONSÁVEL LEGAL. AGORA MEU AMIGO, SEGURAM ESSE PICA.
      SOBRE ESSA CONVERSA DE CRIANÇA NÃO PODE IR NA CADEIA... SÓ É CONVERSA PRA BOI DORMIR! NUNCA IRÁ MUDAR!!!!

      Excluir
    2. e o fumo vai ser dos grandes viu... galera que trabalha no Rol fiquem atentos..vai sobra fumo pra todo mundo..

      Excluir
    3. o guarda do rol de visita que autorizou a entrada da menor acompanhado de amasia, e sem ter a guarda definitiva expedida pelo juiz, vai segurar um b.o daqueles, pode ir na farmacia comprar uma famosa pomadinha kkk

      Excluir
  7. Na hora que a menina contou pra Tia e que a mãe percebeu que o menino tinha sido abusado tinha vários repórteres e 3 grupos dos direitos humanos foi aí que eu acordei abraçando o travesseiro... Só Deus mesmo na nossa vida...

    ResponderExcluir
  8. Em qualquer hospital, sendo um local praticamente público, não é permitida entrada de crianças para visitas e neste caso pode sobrar para os funcionários pq a guarda da criança é da avó que não estava em visita.... olha o fumo ai !!!!

    ResponderExcluir
  9. É pessoal nessa hipocrisia da sociedade em "ressocializar"" vagabundo,lixo, que o preso a cada dia que passa tem mais valor que um cidadão de bem.......

    ResponderExcluir
  10. O fato não ocorreu em Pirajuí, e sim em um dos CPP de Bauru. O referido verme já cumpriu pena em Pirajuí, mas já tinha ganho a progressão para o semi aberto. Sei que o local pouco importa, e sim o abuso que esta criança sofreu. Quem sabe agora medidas mais severas sejam tomadas para a entrada de menores em Estabelecimentos Prisionais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AINDA BEM QUE NÃO FOI EM PIRAJUÍ!

      JÁ ESTAVA PREOCUPADO COM O MEU CARGO!

      Excluir
  11. Sinto que devemos todos nos reportarmos as instâncias maiores não apenas como uma simples denúncia dentre tantas, mas sim como um desabafo e pranto de indignação como pais contra tantas injustiças contra as crianças em nosso sistema prisional.Mesmo que vistos como apenas meros servidores públicos temos a obrigação deletar tais abusos, descasos e o desrespeitos aos direitos fundamentais das crianças e dos adolescentes nas unidades prisionais de todo nosso estado.Mesmo após várias delações feitas as referidas Pastorais Carcerárias, Conselhos Tutelares e o próprio Ministério Público Estadual nunca vi interesse algum da parte dos mesmos com relação as crianças, apenas se restringindo aos Direitos Humanos (Dos Manos), não levando nunca em consideração o Estatuto da Criança e do Adolescente. Este problema no meu mero e humilde ver é muito mais grave do que a própria a pedofilia divulgada e comercializada na internet, porque esta na qual relato é legalizada e defendida vergonhosamente pelo nosso sistema judiciário que infelizmente perpetua este ciclo interminável da violência sexual infantil em nossos presídios estaduais.Sinceramente me questiono do que adianta a Promotoria da Vara da Infância e Juventude fiscalizar as escolas e famílias se nas Cadeias Públicas de todo do estado o que mais impera é apenas o abuso e a exploração sexual infantil dos menores pelos nossos detentos.Meras crianças e bebês diariamente são postos a mercê de indivíduos que o Estado logrou prender através de várias denúncias de anônimas feitas contras estes ditos pseudos familiares, mas que o Verdadeiro Estado de Fato ainda não conseguiu proteger verdadeiramente estas indefesas vítimas do contato direto de seus maiores algozes que infelizmente se encontram tutelados sob nossa omissa custódia.

    ResponderExcluir
  12. Jenis quando os bancos vão poder fazer emprestimos e sair do banco do Brasil.

    ResponderExcluir
  13. NADA MAIS É DO QUE UMA PASSADA DE PANO DOS DIRETORES, PRO VAGABA E PARA A VISITA.
    JÁ ACONTECEU NA MINHA UNIDADE

    ResponderExcluir
  14. O problema todo é que esse vagabundo, daqui uns 3 meses vai ser defendido com todas as forças por direitos humanos, pastoral e diretores. Aí, se morre dentro da cadeia, vão falar que ele tinha bom comportamento, que tinha se arrependido e que foi o guarda que fez vista grossa. Também com essa bagunça que ocorre com visitas nas cadeias, todo mundo sabe que tem esquema para autorizar determinadas trocas de visitas, quem é a visita que ta fazendo programa dentro da cadeia e levantando uns troco nervoso, quem ta levando droga e como sempre, as diretorias tentam iludir o guarda dizendo que o sistema todo ta assim, que as ordens de não ver nada vem de cima, que é melhor deixar do jeito que tá. Para eles ta tudo bem, não entram na cadeia, não batem de frente com vagabundo, recebem as percaptas e o cascalho a mais, então que se lasque o guarda. E quando estoura o rojão, todas as responsabilidades são sempre dos guardas e nunca de diretores.

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.
Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.