sexta-feira, 18 de março de 2016

Justiça de Pirajuí manda prender agente que matou ex-esposa a tiros




18/03/2016 07:00 - Regional
Justiça de Pirajuí manda prender agente que matou ex-esposa a tiros
Crime ocorreu em 2007, em Pirajuí; prisão tem como base recente decisão do STF, que prevê cumprimento da pena após condenação em segundo grau
Lilian Grasiela

Com base em recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), Justiça de Pirajuí determinou a prisão do agente penitenciário Wanderley Rodrigues da Silva, condenado a 16 anos de reclusão pela morte da ex-esposa Neiva Maria da Cruz da Silva. O crime ocorreu em 2007 e o autor aguardava o julgamento de recursos em liberdade. Na terça-feira (15), o mandado de prisão foi cumprido em Bauru.

O crime chocou Pirajuí por envolver pessoas conhecidas na cidade. Segundo os autos do processo, Wanderley e Neiva, ambos agentes penitenciários, foram casados por vários anos, tiveram dois filhos e se separaram em 2004. O autor não se conformava com o fim do relacionamento e, por diversas vezes, tentou reatar o casamento.

Em 5 de outubro de 2007, ele invadiu a casa da ex-mulher e, após nova tentativa frustrada de retomar o relacionamento, e pelo fato de ela estar saindo com outra pessoa, assassinou-a com um tiro no tórax. Nos dois dias subsequentes, telefonou anonimamente para a PM para comunicar que Neiva havia sido vítima de roubo.

O corpo dela, porém, só foi encontrado três dias depois, por um familiar. No dia 9 de outubro, Wanderley se apresentou à polícia com advogado e confessou o crime. Ele teve a prisão temporária decretada por 30 dias, e, posteriormente, a prisão preventiva. Em outubro de 2008, ela foi revogada e ele passou a responder em liberdade.

Com a conclusão do inquérito, o agente penitenciário foi denunciado por homicídio qualificado. Por decisão do Tribunal do Júri, foi condenado a 18 anos e oito meses de prisão em regime inicial fechado, mas recorreu ao Tribunal de Justiça (TJ) e, em 2011, conseguiu reduzir a pena para 16 anos.

Wanderley aguardava em liberdade julgamento de recursos junto a tribunais superiores. Porém, no último dia 9, a Justiça de Pirajuí expediu mandado de prisão contra ele determinando o início do cumprimento da pena. A ordem se baseia em recente decisão do STF. Em fevereiro, o órgão decidiu que a expedição de mandado de prisão contra condenado em segunda instância para início da execução da pena pode ocorrer mesmo sem o trânsito em julgado do processo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.

Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.