domingo, 15 de janeiro de 2017

Após explosão de muro, presos fogem de penitenciária do Paraná, hoje, 15/01/17.




Fonte: G1


Após explosão de muro, presos fogem de penitenciária do Paraná

Explosão ocorreu pelo lado de fora, neste domingo (15), segundo o Depen.
Polícia Militar (PM) reagiu, e duas pessoas morreram na fuga.

Do G1 PR e da RPC Curitiba
Presos da Penitenciária Estadual de Piraquara I (PEP I), na Região Metropolitana de Curitiba, fugiram na madrugada deste domingo (15), após uma explosão que abriu um buraco em um dos muros da unidade. Vinte e oito detentos detentos escaparam – dois foram mortos na fuga.
Inicialmente, o Departamento Penitenciário do Estado do Paraná (Depen) havia informado que 23 presos tinham fugido. Porém, mais tarde, a Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná (Sesp-PR) informou que 28 detentos fugiram da PEP I.
Armamento apreendido pela polícia na PEP I (Foto: Divulgação / Sesp-PR)Armamento apreendido pela polícia na PEP I (Foto: Divulgação / Sesp-PR)
Um helicóptero da Polícia Militar (PM) sobrevoou a região, e equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) abordaram veículos suspeitos no Contorno Leste, na BR-116. Segundo a PRF, houve troca de tiros próximo à rodovia, que chegou a ser bloqueada por 15 minutos por volta das 9h30.

O diretor do Depen, delegado Luiz Alberto Cartaxo Moura, afirmou que presos da Casa de Custódia de Piraquara iniciaram um tumulto, chamando a atenção da PM e dos agentes penitenciários. Enquanto isso, um grupo explodiu um dos muros da penitenciária pelo lado de fora. Neste momento, a polícia reagiu, e houve troca de tiros.
 “Os presos ganharam a galeria através do rompimento de uma das portas, provavelmente, mas ainda não temos essa situação perfeitamente definida, e conseguiram rompendo a parede. Aí já veio a explosão e houve cobertura de forte tiroteio por parte dos externos junto com a Polícia Militar e com o grupo Soe [Serviço de Operações Especiais], que chagava no momento pra atender”, afirmou Cartaxo à GloboNews.

Cartaxo suspeita que a ação tenha sido coordenada. Segundo o Depen, havia 640 presos na penitenciária que é gerida integralmente pelo poder público. Este número, de acordo com Cartaxo, está dentro da capacidade do presídio.
Para o Secretário de Segurança, Wagner Mesquita, a fuga foi uma "ação orquestrada", com preparação de muitos dias.
Com a explosão, um buraco foi aberto no muro da penitenciária  (Foto: Depen/ Divulgação)Com a explosão, um buraco foi aberto no muro da penitenciária (Foto: Depen/ Divulgação)
Reféns
De acordo com a polícia, quatro suspeitos que participarem da explosão fizeram uma família refém, em Piraquara, próximo ao presídio. A polícia foi ao local e, após negociação, o grupo se entregou.
  •  
Dois presos morreram durante a fuga, de acordo com o Depen  (Foto: Roberto Cosme/ RPC Curitiba)Dois presos morreram durante a fuga, de acordo com o Depen (Foto: Roberto Cosme/ RPC Curitiba)
Grupo explodiu um dos muros da Penitenciária Estadual de Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba (Foto: Everson Moreira/ RPC Curitiba)Grupo explodiu um dos muros da Penitenciária Estadual de Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba (Foto: Everson Moreira/ RPC Curitiba)

3 comentários:

  1. Se é nos presídios paulistas que a muralha é feita de blocos,e não com ferros como a de PIRAQUARA vai fugir mais de 1.800.

    ResponderExcluir
  2. Aqui em diadema é de "papel" , nem aevp tem nos quatros cantos.... Afff

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo. Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.