segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Governo de SP 'exportou' PCC para outros Estados ao transferir presos, segundo a Folha SP.


Fonte: Folha de São Paulo



Governo de SP 'exportou' PCC para outros Estados ao transferir presos
Aurea Cunha/Gazeta do Povo

ROGÉRIO GENTILE
DE SÃO PAULO

16/01/2017 02h00
A organização criminosa PCC surgiu em 1993 num presídio de segurança máxima de Taubaté, no interior paulista. Cerca de 23 anos depois, possui ramificações em todos os Estados brasileiros, com mais ou menos força.

O crescimento espantoso possui várias explicações, mas não há como ignorar o fato de que ele foi facilitado por uma polêmica política de transferência de presos perigosos. São Paulo exportou o PCC para outras regiões do país.

Segundo o Ministério Público de SP, em outubro de 2014, a facção tinha cerca de 10 mil criminosos afiliados, 26% deles fora do Estado. Hoje, quando trava uma guerra com outras quadrilhas para dominar rotas e monopolizar o tráfico de drogas no país, possui cerca de 21,5 mil "batizados", 64% deles para além da fronteira original.

Os dados são naturalmente imprecisos, dada a óbvia dificuldade para apurá-los, mas incontáveis escutas telefônicas mostram a intenção estratégica da facção de se espalhar pelas cinco regiões do Brasil –o PCC já "batizou" cerca de 3,5% da população carcerária, calculada em torno de 607 mil pessoas. Parece pouco, mas é quase o número total de funcionários da Volkswagen no Brasil.

MIGRAÇÃO

O início do processo de migração do PCC, no entanto, foi estimulado irrefletidamente pelo governo paulista que, na tentativa de desarticular o movimento que ganhava força nos presídios do Estado, transferiu em 1998 os seus cabeças para o Paraná, numa operação cercada de discrição. "O efeito foi o contrário", diz o promotor Lincoln Gakiya, que atua na região Oeste do Estado.

José Márcio Felício, o Geleião, e César Augusto Roris da Silva, o Cesinha, estavam entre os transferidos.

Fundadores do "partido do crime", Geleião e Cesinha incentivaram a criação do Primeiro Comando do Paraná, que logo mostrou sua face com três rebeliões. Atualmente, o Estado é um dos mais importantes braços da organização.

Marcola, o principal chefe da facção, assim como outros "capos", também passeou bastante pelos presídios do país. Esteve no RS, em DF, GO, MG, circulando por várias penitenciárias e disseminando a cartilha do PCC. Em Brasília, por exemplo, criou o PLD (Partido Liberdade e Direito), nome bonito para uma associação que chegou a carbonizar detentos inimigos durante rebeliões.


O procurador Márcio Christino, que desde 1999 se dedica a combater a facção, pensa de outro modo. Para ele, o Estado deveria ter reprimido a organização internamente, em vez de transferir o problema para outros lugares.

"O pior é que São Paulo nem contou, de fato, quem estava mandando para lá", afirma. "A medida facilitou a expansão do PCC."

Hoje, existem 13 membros do PCC paulista em presídios federais e há 16 pedidos de novas transferências.

Gakiya e Christino, dizem, no entanto, que a realidade atual é diferente e defendem as transferências, uma vez que, segundo eles, os estabelecimentos federais são muito mais preparados do que os estaduais que costumavam receber os chefões do tráfico.

Procurado pela Folha, João Benedicto de Azevedo Marques, secretário da Administração Penitenciária do então governo Covas, não telefonou de volta, assim como o da gestão atual, Lourival Gomes.

'FILIAL' EM RORAIMA

Roraima, onde no início do mês 33 presos foram mortos na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, em Boa Vista, principal cadeia do Estado, é um bom exemplo de como pode ser nefasta a política ainda atual de enviar criminosos para outras regiões.

O promotor Marco Antônio Azeredo afirma que até 2013 não havia nenhuma indicação de que o PCC atuava no Estado, que faz fronteira com a Guiana e a Venezuela, rotas do tráfico internacional.

Naquele ano, porém, depois de uma passagem por uma prisão de Rondônia, onde conheceu membros da organização, Elivandro Ferreira, o Vandrinho, foi transferido de volta para Roraima e fundou a filial no Estado.

Segundo a promotoria, hoje ela já conta com cerca de 400 membros, muitos dos quais participaram do pavoroso massacre de 6 de janeiro.

Já de acordo com um documento da Secretaria de Justiça e Cidadania de 4 de janeiro deste ano, a facção começou com 50 homens em 2013 e, em 2016, já tinha mais de 1.000 membros, "trazendo à tona novas lideranças e uma nova reorganização da cadeia hierárquica do grupo criminoso".

As ordens para a expansão da organização no Estado, segundo escutas obtidas em investigações, partiram de Ozélio de Oliveira, um criminoso que ficou conhecido por ter participado, em 1998, do sequestro de Wellington Camargo, irmão dos cantores Zezé di Camargo e Luciano, que ficou 94 dias em cativeiro e teve parte de sua orelha esquerda decepada.

Apontado como o principal chefe do PCC em Roraima, Ozélio de Oliveira nunca pisou no Estado. Comanda a facção de uma prisão no Paraná.


18 comentários:

  1. SE CONTINUAR DESSE JEITO, AS FACÇÕES VÃO ACABAR COM A CRIMINALIDADE NO PAÍS.

    ResponderExcluir
  2. Cria do PSDB, se espalhou para o Brasil, culpa do próprio governo de SP

    ResponderExcluir
  3. P1 de Venceslau, sério risco de rebelião.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De onde partiu essa informação?
      Lá ta sendo usado como cadeia neutra. Os advogados foram mandados para W1

      Excluir
    2. Todas as cadeias estão risco de rebelião, exceto CRP. O sistema está no vermelho

      Excluir
  4. Discordo dessa matéria, óbvio que o governo foi imensamente omisso, dando espaço a um poder paralelo que praticamente passou a poder constituído dentro dos presídios e analisando friamente também fora dele nas periferias, onde a " lei do crime " vale mais que a do estado, porém o que expande essas facções são os crimes, ou seja, tráfico de drogas, roubos a banco, etc., a folha não tem sido um veículo de comunicação imparcial, tem abrandado tudo que diz respeito a governos de esquerda e demonizado o restante, o governo federal seria de muita valia nos casos das penitenciárias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EXCELENTE A PONDERAÇÃO DO NOSSO COLEGA ACIMA. NÃO SE PODE SIMPLESMENTE CULPAR O GOVERNO PAULISTA PELA EXPANSÃO DO CRIME ORGANIZADO TAL COMO O PCC, MUITO DO QUEM TEM HOJE EM SÃO PAULO VEM DE FORA...DIGA-SE DE PASSAGEM, MARCOLA É FILHO DE UM BOLIVIANO NATO.

      Excluir
    2. O Governo de SP: 1 - através de seus delegados de polícia despreparados prendem muito mal, prendem pessoas 'ladrões de galinha' que deviam responder soltas, pois praticam crime sem violência ou grave ameaça, mas por puro ego dos policiais, essas pessoas são presas provisoriamente por muito tempo (agora tem que o Judiciário corrigir isso com as audiências de custódia, antigamente, quando a policia civil era a responsável pelos presos provisórios eles trabalhavam melhor, prendendo mais qualificadamente; 2 - o governo de sp não moderniza a investigação criminal, não implanta o uso de tornozeleiras para presos provisórios responderem os processos soltos; 3 - o governo de sp não implanta, de fato, a defensoria pública estadual, mantém ela na mazela e sem defensores o que faz inchar ainda mais as prisões, pois a pessoa preta, pobre, puta, inocente, fica na dependência de pouquíssimos defensores e poucos abnegados juízes ocasionando ficarem presos apenas devido à demora judicial/policial e não em virtude dos crimes que em tese praticaram, já os verdadeiros bandidos pagam bons advogados, se livram soltos e não ficam à mercê da morosidade; 4 - o governo de sp mantém número irrisório, ínfimo, de policiais militares e civis e ainda despreparados e desequipados, facilitando enormemente para a criminalidade; 5 - sucateia a educação, não valoriza a educação de forma séria, etc. Ou seja, falha imensamente do governo em fechar os olhos para tudo isso, e isso acarreta muita superlotação de presos provisórios inutilmente para a sociedade mas muito bom para o recrutamento de soldados pelo PCC, que passa a formar um "Estado ideal paralelo, cuja base é a força e a violência", onde passam a viver hipnotizados pela convicção de possuírem poder pela força, pela violência, como nos primórdios tempos da humanidade. Contudo, a gestão dos presídios e do crime no Brasil pelo PCC parece agradar aos governos, pois o PCC até certo ponto, faz uma gestão tranquila dos presídios e do crime, ora um policial morto aqui, um agente prisional acolá, mas isso pelo governo é "aceitável", pouco importa,,, morreram alguns heróis.

      Tenham certeza, tudo que o governo de sp fez até hj parece que sempre favoreceu o pcc,,, inclusive, tá uma zona lá no norte do país e por acá, tudo na paz, e vai assim continuar,,, quer pacificar o norte também, mandem para lá os líderes do "estado ideal paralelo" que eles pacificam lá, podem hospedá-los nos presídios federais de mossoró ou porto velho, melhor ainda!

      Excluir
    3. E 90% DA COCAINA CONSUMIDA NO BRASIL VEM DA BOLIVIA, E O GOVERNO ESQUERDISTA DO LULA EM VEZ DE BARRAR A ENTRADA LIVRE NO BRASIL DE PESSOAS E PRODUTOS DE LÁ, AINDA CONSTRUIU ESTRADAS LIGANDO O BRASIL À BOLIVIA, SEM A MÍNIMA FISCALIZAÇÃO!!!

      Excluir
    4. Bom, pelo que se sabe, os Estados ou seus Governadores não são impedidos ou proibidos de fiscalizar as suas fronteiras, nem com outros Estados, nem com outros países, nem são proibidos de prender traficantes, de apreender drogas e armas. E se o Governo do Lula e Dilma foram corruptos e ineficientes, não são os governos estaduais também obrigados a ser. Por exemplo, o governo estadual do MS tem um batalhão de policia militar de fronteira e apreende muita droga e armas. Porquê os outros Estados também não têm? Ou melhor, porquê não existe Policia Militar mais em várias cidades, ou delegados ou policiais civis? Com certeza isso se deve devido ao não repasse do governos corruptos e ineficientes, mas quais deles!?

      Excluir
  5. Agentes penitenciários do rio de janeiro estarão de greve a partir de amanhã

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DEMOROU PRA NÓS AQUI DE SÃO PAULO FAZER O MESMO!!! GREVE GERAL JÁ!!!

      Excluir
  6. O colega das 12:48 fala muito do governo paulista, mas se esquece de dizer que a verba federal que deveria ser usada no sistema prisional nacional, nos ultimos 14/16 anos, foi usada para maquiar o superavit do governo federal. Independente se federal ou estadual, onde o estado falha, o crime cresce e onde os representantes do estado "roubam, corrompem e etc" o crime se incentiva. Enfim, estamos numa ladeira abaixo e sem freio. O governo paulista deveria valorizar mais os servidores que exercem suas atividades voltadas contra o crime.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então colega, vc acha mesmo que se o Governo Federal, desde 1998 tivesse destinado TODA A VERBA FEDERAL para o sistema prisional, ou mais ainda, somente para os governos de SP, o PCC não estaria como hj está???

      Excluir
  7. Sera que não da para "exportar" o Grandolfo?????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito gostoso de ler nosso colegas debatendo o um assunto tão sério e de suma importância para o país e a sociedade de modo geral de forma tão aprofundada e com serenidade. Ainda bem que temos nosso companheiro Jenis de Andrade cedendo esse espaço para mostrarmos que agente penitenciário também é capaz de pensar. Parabéns aos nosso colegas acima pelo debate.

      Excluir
    2. Noffaaa , fico contente em ver um "colega" com capacidade de elaborar um comentario com "ironia tão refinada"!! O "nosso companheiro Jenis" como vc diz tem seu merito em digitalizar a "radio asp" pois sem ela não teriamos como expor muitas coisas. Acho tambem de que a cada 10 msg 7 são "inuteis" servindo mais como "grito de socorro" do que como informação util. O problema da Sap em geral é mais de base , mais uma total falta de palnejamento , ja que querem construir unidades sem ver se a cidade tem estrutura para receber para tanto . Vejam Guarei que tem que ser abastecidas de agua atraves de caminhao-pipa , ja que os genios da sap nao analizam o terreno primeiro, e por ai vai como se o forum da comarca tem capacidade de cuidar das execuções , se tem hospitais , se a pm tem efetivo..Se vc trabalha realmente no "sistema" sabe que cada raio/pavilhao tem um "proceder" o que me dira então unidades diferentes tanto no comportamento da "massa" como do corpo funcional. Dito isso o maior erro da sap é não planejar as inaugurações com funcionarios novos. Ao fazer um "catado" com funcionarios de varias unidades traz ate a nova unidade funcionarios com "vicios/neuroses" diferentes. Coitado de quem assume algumas unidades , pois na maioria se iludem com cargos sem ter realmente capacidade para tanto. No minimo cada coordenadoria deveria ter um "pavilhao modelo" para treinar os novos funcionarios sem mandar todos os novatos para SP. Estou a vinte anos e digo que que para manter a "sanidade" diante de tudo é fod@ , não se é pior a "massa" ou "chefinhos" que vestem a capa de super heroi.

      Excluir



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.
Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.