sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Polícia Civil de SP pede a transferência de 12 líderes do PCC para presídio federal

Fonte: Jornalismo Ponte, ligado a Carta Capital.
http://ponte.cartacapital.com.br/policia-civil-de-sp-pede-a-transferencia-de-12-lideres-do-pcc-para-presidio-federal/




Polícia Civil de SP pede a transferência de 12 líderes do PCC para presídio federal
12/01/17por Josmar Jozino e Luís Adorno


Delegados de Presidente Prudente alegam que há indícios de que os criminosos continuam praticando crimes de dentro de presídio de segurança máxima. Ponte apurou que autoridades do sistema prisional são contra a remoção



A Polícia Civil de São Paulo defende a transferência de 12 presos acusados de liderar a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) para presídios federais.

O pedido de remoção dos detentos foi feito no dia 9 de dezembro de 2016 por 10 delegados da Polícia Civil de Presidente Prudente, responsáveis pelas investigações da Operação Ethos.

Os 12 presos cumprem castigo em RDD (Regime Disciplinar Diferenciado) no CRP (Centro de Readaptação Penitenciária) de Presidente Bernardes.

Eles foram investigados na Operação Ethos, desencadeada em novembro último, e são acusados de integrar uma espécie de Conselho Deliberativo do PCC.

O MPE (Ministério Público Estadual) se manifestou favorável à remoção dos presidiários, mas em seu parecer observou que a SAP (Secretaria Estadual da Administração Penitenciária) deve ser ouvida previamente sobre o assunto.

A Ponte Jornalismo apurou, no entanto, que a SAP é contra as transferências dos 12 presos para prisões federais por entender que o CRP de Presidente Bernardes é uma unidade de segurança máxima e tem todas as condições de mantê-los isolados.

Na lista dos presidiários que a Polícia Civil pediu a remoção para unidades federais está Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, apontado pelo MPE como líder máximo do PCC.


Documento em que a Polícia Civil pede a internação dos 12 presos no RDD, sugerindo a transferência para presídios federais – Foto: Reprodução/Ponte Jornalismo
Outros nomes que constam na relação são o de Paulo Cezar Souza Nascimento Júnior, o Paulinho Neblina, e Daniel Vinícius Canônico, o Cego, considerados pelo MPE como homens do primeiro escalão do PCC.

No pedido de transferência encaminhado à Corregedoria do Departamento Estadual de Execuções Criminais de Presidente Prudente, os delegados que assinam o documento fazem a seguinte alegação:

“Existem indícios suficientes de que os acusados integram organização criminosa e, mesmo detidos algumas vezes em RDD no Estado, continuam a praticar crimes”.

Embora a SAP se manifeste contrária à transferência dos 12 presos para unidades prisionais de outros estados, a própria Pasta já removeu líderes do PCC para presídios federais.

Um deles é Roberto Soriano, o Betinho Tiriça, acusado de mandar matar policiais militares em São Paulo em 2012, durante uma guerra de PMs da Rota com o PCC.

Tiriça foi transferido para o Presídio Federal de Porto Velho, em Rondônia, em 2012. Ele já passou pelo Presídio federal de Mossoró , no Rio Grande do Norte, e agora está no Presídio Federal de Catanduvas, no Paraná.

O outro líder do PCC removido pela SAP para unidade federal é Abel Pacheco de Andrade, o Vida Loka. Ele é um dos envolvidos na Operação Ethos.

Vida Loka foi removido no ano passado para o Presídio Federal de Porto Velho. Motivo: teria ordenado a morte de presos rivais no CDP (Centro de Detenção Provisória) de Taubaté.

Um dos fundadores do PCC, José Márcio Felício, o Geleião, também foi transferido pela SAP no ano passado.

Ele cumpre pena no Presídio Federal de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Geleião foi excluído do PCC em 2002, após brigas internas.


9 comentários:

  1. Essa transferência se depender da SAP NÃO VAI CHEGAR!

    ResponderExcluir
  2. essa direçao da sap ta de brincadeira ,ou talvez tenham razao ,quem tem que ser transferido sao eles ,para o inferno

    ResponderExcluir
  3. Imagina se o santo e o cotonete usado vão permitir um devaneio desses do mpe e quebrar o acordo de 2006! Ah vá, é mais fácil aprovar as duas pec da pp que esses caras irem embora pra outro estado

    ResponderExcluir
  4. Quem lembra da mega rebeliao de 2006?

    Onde na época dos fatos o governo federal sugestionou para transferir alguns membros de facção para presídio federal e o governo paulista orgulho, se negou, pois tinha tudo sob "controle". Não é agora que vão transferir.

    ResponderExcluir
  5. Infelizmente estamos vendidos na cadeia, se não fossem pelos ASP, o sistema estaria pior que mesmo sem apoio bate de frente com o pcc....Pq o estado e a sap e alguns diretores vivem de acordinho...

    ResponderExcluir
  6. Imagino que a negativa seja para manter o sistema em "aparente" tranqüilidade...
    Quero ver o juiz ter peito de acatar o pedido...vê lá

    ResponderExcluir
  7. O funça não tem nada a ver com a quebra de acordo entre o governo e o PCC. Que sejam cobrados os governantes e membros dos altos escalões da SAP´. Trabalhador não tem que pagar a conta desse desacerto.Isso é briga de gente grande.

    ResponderExcluir
  8. Trabalho no CDP de Taubaté e desconhecia essa ordem de matar presos rivais na unidade. Será que os diretores nos deixaram "de chapéu" nesta história. Ano passado houve uma luta corporal entre muitos detentos do pavilhão 04 e segundo consta a juíza da VEC tentou jogar uma tentativa de homicido sobre um colega ASP (fiquei sem entender, os presos brigam e ele leva a culpa:(

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.
Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.