sábado, 14 de janeiro de 2017

Superlotação e saúde precária pressionam sistema prisional no complexo Campinas/Hortolândia-SP, segundo a RAC

Fonte: RAC


CRISE NOS PRESÍDIOS
Superlotação e saúde precária pressionam sistema prisional
Publicado 13/01/2017 - 23h23 - Atualizado 13/01/2017 - 23h23Por Jaqueline Harumi
Entrada de penitenciária no Complexo Campinas-Hortolândia: juiz considera problema grave a falta de médicos em unidades da região
Cedoc/RAC

Entrada de penitenciária no Complexo Campinas-Hortolândia: juiz considera problema grave a falta de médicos em unidades da região

Além da superlotação, os presídios do Estado de São Paulo escondem graves problemas no tratamento da saúde dos presos, segundo avaliação do Departamento Estadual de Execução Criminal (Deecrim) da 4ª Região, que abrange 60 cidades, inclusive a região de Campinas, e o Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de São Paulo (Sifuspesp). Conforme o diretor do Departamento de Saúde do Sifuspesp, Luiz da Silva Filho, 98% das 166 unidades prisionais não têm médico.
“Na nossa região, são pouquíssimos os presídios que têm médico. Se o preso tem algo grave, ele tem que separar um veículo mais a escolta, e a PM não tem efetivo para fazer escolta. Se não é algo grave, fica sem fazer atendimento e quem identifica isso não é pessoa qualificada”, relata o juiz Bruno Paiva Garcia, coordenador do Deecrim da Cidade Judiciária, que junto a outros três juízes visita mensalmente 28 presídios. “Cansamos de registrar (em relatório) e não conseguimos uma resposta. A SAP (Secretaria de Administração Penitenciária) alega que faz concurso e não consegue preencher as vagas, mas em algumas unidades, em Franco da Rocha, por exemplo, todas têm médico, porque o município fez um convênio com o Estado”, comenta Garcia.
Conforme o diretor do Sifuspesp, na Penitenciária 2 de Hortolândia, por exemplo, não há médico nem enfermeiro, enquanto “duplicou o número de sentenciados”. Segundo Silva Filho, o ideal é que cada uma das sete coordenadorias de unidades prisionais contasse com um hospital penitenciário, no entanto existem apenas três hospitais, em São Paulo, Taubaté e Franco da Rocha. Já as enfermarias de cada unidade deveria contar com ao menos dois agentes penitenciários, um enfermeiro e um auxiliar de enfermagem para cada um dos quatro turnos e dois médicos.
“Muitas vezes sabe o que está ‘quebrando o galho?’ É um funcionário que já trabalhou numa farmácia, que mexe com medicação, que vai lá ajudar, porque às vezes não tem enfermeiro. A pessoa só vai sair de dentro da cadeia se for diagnosticado um caso gravíssimo”, comenta o diretor do sindicato. “O cara está com uma dor de barriga, não tem um remédio, ninguém atende ele, o que ele vai fazer? Vai começar a gritar, vai começar a aprontar, vai pegar um preso mais fraco que ele para dar atenção para ele. É assim que acontece.”
Secretaria
A SAP afirmou que desde 2012 trabalha em parceria com alguns municípios, como Hortolândia, Piracicaba e Itirapina, que assumem as ações da Atenção Básica nos ambulatórios médicos das unidades prisionais, respeitando a autonomia do ente federativo e a manifestação de interesse da pasta, informando que atualmente há 10 médicos trabalhando nas unidades da região. Disse ainda que em breve será aberto concurso público para contratação de servidores, sendo disponibilizadas 252 vagas para médico clínico geral, ginecologista e psiquiatra, 42 vagas para agente técnico de assistência à saúde (psicólogo), cinco vagas para agente técnico de assistência à saúde (terapeuta ocupacional) e 51 vagas para técnico de enfermagem.
A Prefeitura de Campinas, por sua vez, afirmou que dá toda a retaguarda aos presídios por meio da rede municipal de saúde. A Prefeitura de Hortolândia não se pronunciou.
Boato de ataque alerta agentes; Secretaria de Segurança nega risco
Um comunicado divulgado nas redes sociais, atribuído ao Centro de Inteligência da Polícia Civil e Araraquara, deixou em alerta os agentes do sistema prisional para possíveis ataques da facção criminosa PCC. O boato foi de que armas teriam sido distribuídas para um suposto ataque previsto para a próxima terça-feira. O documento vem com o timbre da Secretaria de Segurança Pública, datado de ontem e seria destinado a todas as unidades policiais. A secretaria nega a veracidade do documento e informou que desconhece qualquer ameaça concreta de ataques.
O tenente-coronel da Polícia Militar Marci Elber Rezende afirma que o ofício é muito genérico e que não é padrão da informação oficial. O Sindicato dos Agentes de Escolta e Vigilância Penitenciária do Estado de São Paulo (Sindesp) informou que está apurando a veracidade do comunicado, mas que a categoria está em alerta. “A situação já não é confortável em nenhum dia no sistema prisional devido toda a situação de déficit de funcionário, superpopulação. Com as rebeliões, guerras de facção e mortes nos presídios do Norte, a gente fica preocupado.” A Secretaria de Administração Penitenciária afirma que traçar paralelos entre os estados é despropositado, já que a situação prisional de cada um é muito diferente. “O Estado de São Paulo é o único do País a contar com uma unidade prisional com Regime Disciplinar Diferenciado (RDD). Qualquer preso identificado com elevado potencial de risco à sociedade é isolado em unidades penais com regime disciplinar mais rigoroso”, diz nota.
Penitenciária paulista registra duas mortes
Dois homens foram mortos na Penitenciária de Regime Fechado em Tupi Paulista (SP), na noite de anteontem. Um deles foi degolado, segundo informações da Delegacia Seccional da cidade de Dracena. A Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (SAP) informou que houve uma briga em uma das celas, o que resultou nas mortes. “O Grupo de Intervenção Rápida (GIR) foi imediatamente acionado e efetuou a transferência dos presos que estavam na cela, isolando-os do restante da população prisional. O GIR, formado por agentes de segurança penitenciária, atua em situações de conflito, auxiliando na segurança dos demais funcionários”, informou a secretaria. Segundo a pasta, a Polícia Civil deu início à investigação do caso. Na delegacia, a informação é de que o delegado responsável está a caminho da penitenciária para fazer ouvir 34 detentos. “A SAP, além de colaborar com a polícia, instaurou apuração para propor ao Judiciário a inclusão dos autores em Regime Disciplinar Diferenciado”, diz a nota. Desde o começo de janeiro, as chacinas em presídios na região.

10 comentários:

  1. A maioria dos médicos não estão de Licença Miguelagem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O DOUTOR GINECOLOGISTA (ESPIÃO DA CARALHO) Sr. Titakonocu esta de licença miguelagem, pois esta atendendo em dois consultórios médicos particulares, isso os sindgatunos não comentam.

      Excluir
    2. Jenis vc. tem que cadastrar os que fazem comentários no seu blog veja a burrice, que o anônimo escreveu 8:35:00 de 15.01.17

      Cara trabalho no DRHU os médicos pediram exoneração devido aos baixos salários.Quem está de Licença Miguelagem são os que completam 20 anos, entram na cota da 6ª parte e linha na pipa, o funça só fica doente depois que tira a 6ª parte, ajuda aí

      Excluir
  2. Muitas escoltas estão sendo feitas por aevp em regiões que só é permitido a PM fazer . todos sem treinamento , armas , e em veículos descaracterizados . fica aí uma dica pra uma matéria jenis sobre esse desvio de função .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É não se sujeitar, o cara quer fazer uma pro chefe e pro diretor e vem pedir arrego no blog, dá licença o sem postura.

      Excluir
  3. Afinal, esse ano vai ter aumento ou não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que não, conforme a matéria o síndicato está preocupado com a saúde do preso.

      Excluir
  4. Cada dia que passa fico mais decepcionado com a Sap, pois estou na fila para o CDP de Riolândia, e a Sap simplesmente ignora a LPT e tranferi quem ela quer.
    Não é facil ver guarda que estava em 40° ir embora, nada contra o Agente, porém isso é decepcionante.
    Segui a publicação:

    GABINETE DO SECRETÁRIO

    Resoluções de 10-1-2017

    Transferindo, nos termos do art 16-A, inc II, da LC 959/2004, acrescentado pela LC 1060/2008, o cargo de Agente de Segurança Penitenciária de Classe I do SQC-III-QSAP, provido por ANTONIO CARLOS SANTANA DA SILVA, RG 25.381.748-1, do Centro de Detenção Provisória de Pontal, da Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Noroeste do Estado para o Centro de Detenção Provisória “ASP Valdecir Fabiano” de Riolândia, da Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Oeste do Estado. (Correio Eletrônico de 05.01.17– Regularização Funcional – Caráter Excepcional)

    ResponderExcluir
  5. Vacilão tá na canaleta errada vc. tem que ir para ROLÂNDIA.

    ResponderExcluir
  6. TEM que armar uma casa de caboclo para esse fdp. responder um PA.

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.
Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.