segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Alexandre de Moraes defendeu tese que o impediria de assumir cadeira no STF. Quanta hipocrisia!!!


Apesar que já estamos acostumado com falácias e hipocrisias vindo da cúpula do PSDB, vários jornais estão dando como certo a indicação de Alexandre de Moraes pelo presidente Michel Temer ao STF.
Digo PSDB, porque vemos muito isso aqui no estado de SP, onde o desgoverno fala uma coisa e depois faz outra, Alexandre de Moraes é cria do governo de SP, teve vários cargos comissionados nesse governo, de presidente da Fundação Casa a secretário da Segurança Pública.

Veja matéria do Globo onde diz que o próprio Alexandre defendia no ano 2.000 que quem tivesse cargo comissionado não poderia ser indicado para Ministro do Supremo

Fonte: O Globo.



06/02/17 16:32 Atualizado em 06/02/17 16:40
Moraes defendeu tese que o impediria de assumir cadeira no STF
Capa do livro escrito pelo ministro Alexandre de Moraes como tese de doutorado na USP Foto: Reprodução
Dimitrius Dantas* - O Globo



SÃO PAULO - Cotado para assumir uma cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro da Justiça Alexandre de Moraes defendeu, em sua tese de doutorado, em 2000, que quem exerce cargo de confiança no poder Executivo, como é seu caso, não deveria ocupar um assento na Corte. No livro “Jurisdição Constitucional e Tribunais Constitucionais: garantia suprema da Constituição”, que serviu como sua tese de doutorado na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), Moraes disse que essa mudança seria necessária para diminuir a possibilidade da utilização dos cargos do tribunal como “instrumento de política partidária”.
“De maneira a evitarem-se demonstrações de gratidão política ou compromissos que interfiram na independência de nossa Corte”, escreveu o atual ministro.
Como forma de mitigar o caráter político na escolha de Ministros do STF, Alexandre de Moraes sugeriu, na tese, que as indicações para o órgão fossem divididas entre o presidente de República, o Congresso Nacional e o Poder Judiciário. Além dos cargos de confiança no Poder Executivo, ele também veda a indicação para o Supremo de pessoas com mandatos eletivos ou no cargo de procurador-geral da República durante o mandato do presidente.
A preocupação de Moraes com a politização do STF também aparece em outro livro seu, de comentários à Constituição de 1988. Segundo ele, todas as formas de investiduras para o cargo no STF estarão “impregnadas do caráter de politização na escolha para a Corte” e podem não exigir como requisito para a nomeação uma boa formação jurídica, o que seria necessário em virtude da competência do órgão.
‘APOSENTADORIA DE LUXO’
O ministro da Justiça também escreveu, em sua tese de doutorado, que a Corte não pode servir de prêmio pessoal para demonstrações de fidelidade político-partidária ou como aposentadoria de luxo.
“O STF não pode servir de aposentadoria de luxo para políticos não eleitos ou que abandonaram a vida pública ou, ainda, de prêmio pessoal para demonstrações de fidelidade partidária”, escreveu Moraes.
No livro, Moraes defende a transformação do STF em um tribunal exclusivamente constitucional — atualmente, a corte atua também como última instância em casos variados. Segundo o ministro, a organização da corte suprema brasileira teve como inspiração a Suprema Corte dos Estados Unidos. No entanto, os resultados apresentados não foram satisfatórios.
(*Estagiário sob supervisão de Flávio Freire)


Leia mais: http://oglobo.globo.com/oglobo-20882263#ixzz4Xvs09XH0

16 comentários:

  1. Eu tenho vergonha de ser Brasileiro... Nação corrupta, hipócrita... Esse País não tem solução.

    ResponderExcluir
  2. Brasil já está bem pior do que o Paraguai...O Paraguai não explora, com impostos abusivos sua população

    ResponderExcluir
  3. Jenis, ele segundo dizem não era advogado do PCC? Como pode ser ministro do supremo tribunal federal ou tem mais algum envolvido ao crime em Brasilia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade ele era advogado de uma cooperativa de vans ligada ao PCC, mas quanto a isso não teria problema se ele apenas estivesse exercendo a profissão de advogado, o problema que ele é de uma quadrilha muito maior que está no governo do país e no governo dos maiores estados do país.

      Excluir
  4. Sabe como é né? isso eu disse quando eu era um jovem estudante, hehheheh, agora as coisas mudaram e eu acho que não tem impedimento nenhum.

    ResponderExcluir
  5. A maior quadrilha desse país se chama P.T. O resto é "oposição" ... igualzinho nas nossas cadeias de São Paulo. Mas, no final, todos são bandidos.

    ResponderExcluir
  6. Uma coisa é certa: em tempo de Lava Jato, um Ministro sair do próprio governo é algo surpreendente...

    ResponderExcluir
  7. Ainda como advogado, Alexandre de Moraes atuou em processos da área civil da Transcooper, uma cooperativa investigada pela Polícia Civil e o Ministério Público de São Paulo como suspeita em movimentações de lavagem de dinheiro e corrupção engendrada envolvendo a facção que atua dentro e fora dos presídios de São Paulo, o PCC (Primeiro Comando da Capital). À época, a banca de advocacia dele havia renunciado aos processos quando assumiu cargos públicos.

    ResponderExcluir
  8. É ACABEI DE CRER.."NÃO HÁ NADA RUIM QUE NÃO POSSA PIORAR"

    ResponderExcluir
  9. Já estou vendo esse Alexandre como candidato ao Governo de São Paulo....estão dando muito destaque pra ele.

    ResponderExcluir
  10. Tudo que ele escreveu em sua tese serviu para ocupar os cargos que estão sendo dado de presente à ele. Eta Brasil tem jeito não.

    ResponderExcluir
  11. Tudo que ele escreveu em sua tese serviu para ocupar os cargos que estão sendo dado de presente à ele. Eta Brasil tem jeito não.

    ResponderExcluir
  12. Ética é a palavra mais abolida desta nação! Em países desenvolvidos isso jamais ocorreria. Exemplo: Se vç fosse dono de uma empresa privada, vç contrataria um gerente que responde a processos de desvio de dinheiro em empresas passadas? Me que ainda não transitada em julgado? Mas no setor público está virando regra... tudo pode. Atualmente tenho visto com frequencia uma palavra da moda: "NOJO" sentimento da nação brasileira.

    ResponderExcluir
  13. Alexandre de Moraes líder de honra da facção.

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo. Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.