sábado, 4 de março de 2017

Temer criará secretaria da reforma penitenciária subordinada diretamente a presidência.


O que você acha amigo do BLOG?


Fonte: Veja.


Leia  a matéria da revista Veja abaixo:


Brasil, Política
Faz sentido uma secretaria para a reforma penitenciária? Sim, faz
O titular do novo órgão, subordinado diretamente a Temer, será o advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira

Por Reinaldo Azevedo  4 mar 2017, 07h05 - Atualizado em 4 mar 2017, 08h29 

O presidente Michel Temer queria seu amigo Antônio Cláudio Mariz de Oliveira no governo, e Mariz não aceitava outro chefe que não Temer. Só por isso o respeitado penalista não assumiu a Secretaria Nacional de Segurança Pública, subordinada ao Ministério da Justiça, do qual ele só não é o titular porque, pré-indicado para a função, pouco antes do início do novo governo, resolveu fazer críticas à Lava Jato… Crítica boa ou ruim? Não importa! Não se chuta a santa, ora!

A solução que o presidente encontrou foi criar uma secretaria especial para Mariz, que vai tratar da reforma penitenciária. E será subordinada à Presidência. O advogado conhece a área, e o tema é de extrema relevância. É claro que sempre há o risco de apenas se criar mais uma divisão burocrática, sem maiores consequências práticas. Vamos ver.

“Ah, sou contra inchar a máquina; quando isso acontece, bato o pezinho, com muita indignação…” Então tá. Sou contra estado que não funciona — quando inchado, pior! É provável que os quadros do novo órgão sejam escolhidos entre os servidores que já atuam no Ministério da Justiça. Deve ser consenso que a questão penitenciária pede a elaboração de uma política federal de longo prazo.

“E se nada acontecer?” Ora, a crítica existe para isso.

19 comentários:

  1. Ele foi cotado para ministro da justiça, mas como comentou sobre a lava jato não colou.

    ResponderExcluir
  2. Quem é Antonio Mariz de Oliveira, cotado para ser o novo ministro da JustiçaCriminalista já deu declarações críticas à Operação Lava Jato e foi secretário de Justiça de São Paulo no governo Quércia
    3

    O Estado de S.Paulo

    08 Fevereiro 2017 | 10h59

    Notícias relacionadas
    Criminalista, Mariz é um dos cotados para a Justiça
    SÃO PAULO - Criminalista há quase 50 anos, o advogado Antônio Claudio Mariz de Oliveira está entre os principais cotados para assumir o Ministério da Justiça no lugar de Alexandre de Moraes, indicado a uma cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF).
    O advogado é amigo de Michel Temer, que chegou convidar Mariz para o mesmo cargo logo que assumiu a Presidência, em maio do ano passado, ainda como interino. Teve de "desconvidar", porém, depois que o advogado deu declarações contrárias ao modo como agia a força-tarefa da Lava Jato e criticou as investigações.
    Antônio Mariz - Justiça
    Amigo de longa data de Michel Temer, o advogado Antônio Mariz de Oliveira chegou a ser nome quase certo para o Ministério da Justiça. Depois, foi convidado para assumir a Defesa. Algando que se sentiria um 'estranho no ninho', ele recusou.



    "Sou contra a delação nesses termos e, especialmente, a delação do preso. Quem está detido não tem vontade, a vontade é sair da cadeia. A lei fala efetividade e voluntariedade [do acusado]", disse, na época, em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo.
    Antes, em janeiro do ano passado, assinou um manifesto com mais de cem advogados em que qualificava a investigação como uma "espécie de Inquisição", em que os princípios da plena defesa e a presunção de inocência não estavam sendo contemplados.
    O presidente, porém, avalia que ficou com uma dívida moral com o amigo de longa data, que já foi secretário de Segurança e Justiça em São Paulo na década de 1990, no governo de Orestes Quércia.
    Entre os clientes de Mariz está o vice-presidente da Camargo Corrêa Eduardo Hermelino Leite, envolvido na Lava Jato. Também atuou no julgamento do mensalão, quando conseguiu a absolvição de Ayanna Tenório, do Banco Rural, e participou da defesa do marqueteiro Duda Mendonça, responsável pela campanha de Luiz Inácio da Silva à Presidência em 2002.
    Começou a trabalhar em 1962 no escritório do pai, Waldemar Mariz de Oliveira Júnior, que foi desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo.
    Embora tenha se notabilizado por defender réus famosos, como o ex-prefeito Paulo Maluf e o jornalista Pimenta Neves, costuma contar a história de um dos primeiros clientes de seu escritório de advocacia, ainda na Praça da Sé. Segundo ele, defendeu um carregador autônomo do Mercado Municipal, autuado em flagrante por furto de uma saca de arroz. Naquela época, delitos punidos com reclusão não permitiam a concessão de fiança e por isso, mesmo alegando inocência, o homem ainda estava preso quando foi interrogado. "Feito o requerimento de relaxamento da prisão, conquistou a primeira vitória: o pedido foi deferido pelo juiz, levando às lágrimas não só o réu, mas os dois advogados que o defendiam, Antonio Cláudio Mariz de Oliveira e o hoje Desembargador Alberto Viégas Mariz de Oliveira", relata a história no site da banca que leva seu nome.
    Também presidiu a Seccional de São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP) por duas gestões no fim da década de 1980.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só que ele não está querendo muito não, só falta não ter ninguem e ele levar o dragãozinho fumante pinguim.

      Excluir
  3. Mariz deve integrar governo Temer para cuidar de crise penitenciária
    O presidente disse que a assessoria terá total independência e que dará ampla cobertura a medidas que Mariz entender necessárias

    04/03/2017 9:07

    Consultado pelo presidente Michel Temer, que o quer em sua equipe – na função de assessor especial para Assuntos Penitenciários –, o criminalista Antônio Claudio Mariz de Oliveira deve passar o fim de semana estudando a proposta. Até esta sexta-feira (3/3), porém, não parecia propenso a aceitar o cargo. Ele chegou a ser cotado para a Justiça, no lugar de Alexandre de Moraes.

    Os dois se encontraram na noite de quinta-feira em uma sala na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na Avenida Paulista. Durante mais de uma hora, Temer deixou claro a Mariz que uma de suas prioridades é encontrar soluções para o caos no sistema prisional – palco de atrocidades no início do ano no Amazonas, em Roraima e no Rio Grande do Norte. O presidente disse que a assessoria terá total independência e que dará ampla cobertura a medidas que Mariz entender necessárias. Com larga experiência na área, o criminalista é apontado como o nome certo para assessorar o presidente em temas penitenciários.

    “Solução da crise penitenciária depende dos estados”, diz ministro
    Depoimento de Marcelo Odebrecht ao TSE agrava situação de Padilha
    Apesar de honrado com o convite, Mariz fez algumas considerações a Temer. Uma delas: ele teria de permanecer em Brasília por ao menos dois dias da semana, o que o levaria a deixar o tradicional escritório que mantém com 12 advogados. Como assessor, Mariz teria ainda de cuidar da estruturação do setor, ir atrás de recursos. Não agrada o criminalista o fato de aceitar uma missão com prazo escasso para ser executada, menos de dois anos. Ele avalia que o tempo não seria suficiente para apresentar resultados. Outro detalhe que incomoda o advogado é que o cargo seria remunerado, o que ele não quer.
    Alternativa
    Na conversa com o presidente, o advogado pensou numa alternativa, como a criação de um comitê informal para planejamento e reforma do sistema penitenciário, mas sem que ele tivesse vínculo com o governo.

    Mariz disse que não pretende atuar como uma espécie de “conselheiro” do presidente para a política. “Eu me disponho a ficar sempre do lado do Michel, conversar, dar palpites. Somos amigos há pelo menos 40 anos, mas ele não comentou nada sobre isso comigo”, afirmou. Segundo Mariz, o presidente foi incisivo e garantiu que está muito preocupado com a situação nos presídios. “Não podemos ficar inertes, aguardando a próxima tragédia”, disse o advogado a Temer.

    “A sensibilidade do Michel é total para o problema”, afirmou Mariz. “Verifiquei uma grande preocupação do presidente em relação ao sistema penitenciário brasileiro e um desejo expresso de encaminhar soluções, por entender que a situação não pode perdurar. Ele entende que medidas práticas têm de ser tomadas pelo governo, mas com efetiva colaboração de setores da sociedade.”

    ResponderExcluir
  4. Mais um cabide para "pendurar," digo, alocar, um amigo pessoal. Podem ter certeza que nada de concreto sairá dessa secretaria de reforma prisional. Assim como a SAP é um tremendo cabide de cargos, assim será essa secretaria, podem escrever!

    ResponderExcluir
  5. oque precisa fazer para ser diretor geral de uma unidade prisional em sp

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ANALFABETO FUNCIONAL E UM BELO PUXA SACO.

      Excluir
    2. Nem sempre, na Unidade que trabalho, sairam alguns caras para serem DGs e esses, eu afirmo não eram puxa sacos. Mas, passado algum tempo,um certo Coordenador, decidiu tira-los, pois todos tinham opinião propria e isso, incomoda. Quando você chega por mérito, gera ciumes e na SAP é assim, gerou "ciuminhos" no chefe, ele passa o rodo.

      Excluir
    3. Não só para DG como também para as diretorias de núcleo o critério básico é puxar algum e nunca dizer não ao seu "padrinho", o resto é lenda.

      Excluir
  6. Ser membro de uma instituição filosófica/religiosa secreta, ter nível superior em humanas e um bom padrinho político. Competência, empreendedorismo, habilidades subjetivas como, carisma e bom trato com o ser humano são desnecessárias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DEVEMOS SER MAIS CLAROS, A TÃO FAMOSA "LOJA MAÇÔNICA" E A TAL DA "OPUS DEI" ESTA EM TODOS OS SEGUIMENTOS DESTE ESTADO(S.P.) E NO BRASIL. NÓS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS ESTAMOS FU..DI..DOS!!!

      Excluir
    2. Essa resposta é para o anônimo das 5:12

      Excluir
    3. Caramba! Resumiu tudo, é isso mesmo. Sou a favor de concurso interno para diretor. Honra ao mérito, e não ao "apadrinhamento".

      Excluir
  7. Vejo uma luz no fim do túnel.

    ResponderExcluir
  8. Eu fui totalmente a favor de destituir a ex presidenta Dilma da presidência! Pois os petralhas afundaram o Brasil, mas sempre fui a favor que toda a chapa fosse cassada,pois é claro que o temer sendo vice, teria que responder pelos mesmos crimes que Dilma, mas como o Brasil é um país do paraíso político:o homen está com a bola toda,é reforma previdenciária,acaba com ministério para reduzir gasto no inicio do "mandato"e já ressuscitou quase todos e agora a moda é criar secretarias para empregar amigos"vagabundos" corruptos e contra a justiça e ninguém fala nada na mídia, aliás a rede globo deve estar lucrando horrores, pois se ele falar que é melhor o povo contribuir até a morte,sem ter retorno algum,a globo assina em baixo e trata de convencer a opinião popular,e o povo como sempre continua sendo usado como massa de manobra,sem opinião própria e que venha o futebol e o carnaval,olha na próxima eleição vou depositar meu voto em Jair bolsonaro, para presidente se esse não melhorar as coisas caso eleito,posso viver mais 100 anos não vou nunca mais votar em ninguém pra presidente! Eu não sei se é só impressão minha,mas essa corja só que nos fudeeeeeeeeer,principalmente a nós funcionários públicos!

    ResponderExcluir
  9. Já esta escrito nas estrelas: O Secretário vai para Brasilia e o Coordenador da Oeste entra no lugar dele. É o fim mesmo.

    ResponderExcluir
  10. Eu não esqueço o que o presidente Michel temer disse que iria fazer,ele disse que iria privatizar os correios ,os presídios e etc .o que vem dele não e nada de bom ,e lembro que ele era a favor da aprovação da pec 308/2004 antes de ser presidente ,claro presidente ilegitimo se saiu a Dilma ele também tinha que sair , mas aqui e o Brasil não e? Ele deveria ser a favor da aprovação da pec 308/2004 porque eu acho que a solução pra crise prisional no Brasil ,começa por ai.

    ResponderExcluir
  11. Mais um cabide de emprego,jogo de comadres.

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.
Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.