terça-feira, 11 de setembro de 2012

Detentos ameaçam 2 reféns na PI de Tremembé com escovas de dente, segundo jornal O Vale.

Fonte: http://www.ovale.com.br/nossa-regi-o/detentos-ameacam-2-refens-na-p-1-com-escovas-de-dente-1.311018

 

Detentos ameaçam 2 reféns na P-1 com escovas de dente

P1 em Tremembé. Foto: Rogério MarquesP1 em Tremembé. Foto: Rogério Marques
Com capacidade para 538 presos, unidade de Tremembé conta atualmente com 616 e passa por obras de ampliação
Michelle Mendes
Taubaté

Escovas de dente com os cabos afiados foram as armas usadas por dois detentos da P-1 (Penitenciária Tarcizo Leonce Pinheiro Cintra) de Tremembé para fazer um agente penitenciário e um visitante reféns em uma tentativa de fuga frustrada na manhã do último sábado.
O agente e o visitante foram mantidos reféns pelos detentos durante cerca de uma hora na enfermaria da unidade prisional.
A SAP (Secretaria de Administração Penitenciária) informou que os dois detentos, Endrigo Sampanha, 29 anos, e Flávio Kimgmner Miller, 32 anos, serão transferidos para outra unidade.
Por meio de nota, a SAP informou ainda que solicitará ao Juízo de Direito das Execuções Criminais a internação dos presos no RDD (Regime Disciplinar Diferenciado), com proposta de permanência por um período de 60 dias.
O RDD é um regime considerado mais rigoroso, onde o preso permanece isolado em punição por faltas cometidas dentro do sistema prisional.

Ação. Por volta de 8h30, Sampanha surpreendeu o agente penitenciário na enfermaria.
O agente estava acompanhando o parente de um detento que estava internado no local.
O detento deu uma gravata no agente e usou a escova de dentes para ameaçá-lo.
De acordo com a polícia, quando o agente tentou chamar ajuda via rádio, Miller sacou outra escova de dentes com o cabo afiado e continuou fazendo ameaças ao agente e também ao visitante.
Em minutos, outros agentes foram até a enfermaria e, junto com o diretor da penitenciária, negociaram durante uma hora a liberação das vítimas.
O agente e o parente foram liberados posteriormente pelos presos sem ferimentos.
Funcionários que trabalham na penitenciária reclamam da falta de segurança e da infraestrutura precária, situação que acaba piorando por conta da superlotação.
“Aqui é assim, vivemos reféns do medo. Muitos olham torto, falam pelas costas e nos resta pouco amparo. A superlotação dos presídios faz que eles fiquem ainda mais agressivos”, disse um agente penitenciário que pediu para não ter o nome revelado.
Com a capacidade para abrigar 538 presos, a P-1 de Tremembé tem atualmente 616 detentos -- todos mantidos em regime fechado. A unidade passa por obras de ampliação (leia texto nesta página).
A P-1 é considerada atualmente reduto de integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital) detidos.

Investigação. A SAP informou que foi elaborado um Boletim de Ocorrência sobre o caso com relatos das vítimas e testemunhas.
Além do inquérito policial, também foi instaurado um procedimento disciplinar pela direção da unidade.
Superlotação
Obras vão ampliar capacidade
Para reduzir a superlotação da P-1 de Tremembé, a SAP (Secretaria de Administração Penitenciária) iniciou em abril obras de reforma e ampliação da unidade. O investimento é de mais de R$ 10 milhões. Após a ampliação dos pavilhões 1,2 e 3, serão abertas 638 novas vagas. Serão refeitas instalações elétricas, de água e esgotos, entre outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.

Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.