terça-feira, 9 de abril de 2013

Agente Penitenciário que levou 3 tiros sábado, faleceu.

Email que recebi sobre o falecimento do companheiro.

Hoje faleceu mais um Agente Penitenciário, o amigo José Alvino Ribeiro, que trabalhava no CDP de Vila Independência, por tentativa de roubo de sua moto em Guaianases, levou três tiros isso ocorreu no sábado dia 06 e hoje veio a óbito, dois menores apreendido e o terceiro foragido, até quando vamos ouvir menores criminosos apreendido, isso tem que mudar se matou ... cadeia neles independente da idade. Deus ilumine sua família de muita forças para sua filha Beatriz e pra toda a família. Luto pro Sistema carcerário.


Segundo informações, o sepultamento será hoje, 09/04, às 11:00hs no cemitério Municipal de Poá-SP

9 comentários:

  1. O sangue do ASP não pode ser derramado dessa forma, trabalhador saí com sua motinha sofrida pra aliviar o sofrimento nesse transito que também é um assassino diário de pessoas e de repente vem o vagabundo e destrói sua vida. Nossas lágrimas não podem ficar em vão.

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente foi um grande colega, amigo. Sempre sorridente, brincalhão, muito querido por todos. Descanse em paz querido amigo.

    ResponderExcluir
  3. Ate quando vamos ver cenas como essa, menores matando sem piedade, nao se importando se é um pai de famila ou nao, simplismente matam vao parar na midia e se tornam futuros marginais, só que, ate se tornarem "adultos" , quantas vidas ainda precisam ser tiradas por esses "menores" ate que nossas leis se tornem mais rigorosas para punirem esses "menores" infratores. Onde anda nossos politicos, correndo atras de interesse proprio? Roubando, pegando propina e o mais impressionante, nao vao parar na cadeia, como os "menores" infratores. Meus sentimentos a familia desse companheiro de trabalho!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Só vai mudar, quando vermos acontecer algo com familiares de deputados.... aí a coisa vai mudar....

    ResponderExcluir
  5. Fiquei sabendo na segunda feira sobre seu falecimento. É, a criminalidade cresce, crianças matam e nada acontece, ah acontece, sim: cadeias mais cheias, com um monte de vagabundo comendo as nossas custas e só maquinando o mal. É o que vai acontecer com estes menores. Nossos sentimentos à familia.

    ResponderExcluir
  6. Partiu mais um companheiro. Hoje foi realizado o enterro do Ribeiro, Agente de Segurança Penitenciária, casado e com uma filha. Vítima de uma entidade que tem por obrigação legal cuidar das pessoas, o Estado Brasileiro, que perpetua uma incapacidade administrativa descomunal para cuidar do seu povo. O Estado deliberadamente encampa a vontade dos cidadãos, cria condição propícia para a impunidade, diversifica artimanhas para manter a corrupção, espolia as finanças públicas e mantém o enriquecimento ilícito da cúpula administrativa, capitaneado pelo legislativo que acomoda uma legião de criminosos que se mantém no poder dilacerando os anseios e mantendo vertiginosamente a miséria do povo Brasileiro.
    O meu companheiro foi morto por aqueles que em qualquer lugar do mundo são o futuro de uma nação: as crianças e os adolescentes. A vida dele vida foi ceifada por menores infratores que se deliciam com uma legislação retrógrada elaborada por agentes políticos da pior qualidade e sem nenhum sentimento de amor à Pátria e ao seu povo. Estabelecem um ordenamento jurídico que iguala na ação pessoal o correto com incorreto; o licito com o ilícito, o certo com o errado e o legal com o ilegal, exaltando a falta de distinção no regramento da conduta das pessoas, fortalecendo uma legislação criminal que propicia a desordem e consagra a omissão do Estado no objetivo do bem comum. Ignora, ainda, o valor fundamental da vida humana, sobretudo os mais pobres e trata os crimes de assassinato, estupro, roubo e furto com medidas compensatórias no cumprimento da pena engajando freqüentemente um mutirão de pessoas para o crime, mantendo a atividade criminal altamente rentável com dividendos polpudos para o Estado. A Administração do Estado Brasileiro trata a coisa pública como um patrimônio pessoal e mantém na sua cúpula de gestão, órgãos que por dever constitucional deveriam assegurar o cumprimento da lei e possui gestores públicos do primeiro escalão com péssima qualificação profissional e maricas que asseguram o trabalho sujo dos caciques do executivo na devastação da Nação social. Meu companheiro partiu vítima de uma cria nefasta do Estado Brasileiro, uma cria que se prolifera assustadoramente para destruir vidas, gerar tragédia, causar desgraça, uma cria alimentada por um governo desleal que abarca o ranço medieval e doses cavalares do nazismo dos campos de concentração. Certamente, a nossa missão neste País não consiste simplesmente na busca da cidadania porque este é um conceito dúbio no país chamado Brasil. A solução não é uma urna eletrônica, não é a reforma política. Para uma vida digna, os homens têm que honrar as calças que usam, devem ter vergonha na cara e lutar para colocar os servidores que governam este País no território da legalidade impondo coercitivamente regras de atuação, gestão e leis determinadas pela sociedade que assegurem a todos os cidadãos viver sob o manto de um ordenamento jurídico que mantenha uma ordem efetiva na convivência legal entre as pessoas. Para os homens com H maiúsculo, existe apenas uma opção: lutar; para os fracos, morrer covardemente como porcos ou chorar eternamente a perda de um ente querido. Lamentavelmente, há anos nosso inimigo é tangível, caracterizado na figura demoníaca dos chefes do Executivo, do Parlamento e de uma extensa casta de bajuladores, parasitas, mercenários e frouxos travestidos de servidores que estão na Administração Pública a serviço dos déspotas no poder iluminados pela falácia do Estado Democrático de Direito. Coragem aos homens bem aventurados.
    Descanse em paz companheiro, Ribeiro!

    ResponderExcluir
  7. E ainda tem uns que defende direito desses vagabundo,éo fim...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O motivo da ocorrência está muito confuso para um entendimento amplo; mas temos antecedentes deste tipo de ocorrência com outros agentes sem nenhum alarde. O fato é que temos também muitos diretores técnicos que interpretam equivocadamente o texto legal e criam situações embaraçosas como à descrita pelo agente Dib, ainda temos diretores de segurança e disciplina que tratam discriminadamente e perseguem agentes chegando ao cúmulo de uma ocorrência em que um diretor jogou um objeto no agente. Certamente o agente que trabalha na carceragem sabe muito bem o cerne da questão. Portanto, em minha opinião o fato relevante nesta situação é a atuação imediata do SINDASP para atuar na defesa de um associado; se este tipo rápido de intervenção fosse realizado em ocorrência com agentes no exercício da função várias ações dos superiores seriam repelidas na esfera administrativa. Espero que o SINDASP mantenha esta mesma prontidão com todos os associados que necessite de amparo legal e assegure o cumprimento da legislação que norteia o trabalho do agente de segurança penitenciária.

      Excluir
  8. Pena de morte nos vagabundos !!!

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.
Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.