segunda-feira, 24 de junho de 2013

Governo de SP dá cigarros para presos psiquiátricos, segundo jornal DiárioSP


Veja matéria na fonte:
http://www.diariosp.com.br/noticia/detalhe/52638/Governo+da+cigarros+para+presos+psiquiatricos
24/06/2013 10:27
Governo dá cigarros para presos psiquiátricos
Fumo, autorizado por médico, é destinado a detentos em tratamento na Casa de Custódia de Taubaté Alvaro Magalhães
alvarom@diariosp.com.br

Parte dos presos da Casa de Custódia e Tratamento Psiquiátrico de Taubaté, unidade prisional no interior do estado, recebe cigarros comprados pela Secretaria Estadual da Administração Penitenciária.

Neste ano, o gasto com “fumo”, que consta da execução orçamentária do governo, é de R$ 1.250. A pasta confirmou que o produto é cigarro, destinado a internos que não conseguem aderir ao programa antitabaco e também não têm apoio familiar. É preciso ainda uma autorização médica.

A medida divide especialistas. A liberação do fumo em instituições psiquiátricas é frequente no país. A Lei Estadual Antifumo prevê que as restrições ao cigarro “não se aplicam às instituições de tratamento da saúde que tenham pacientes autorizados a fumar pelo médico”.

Kalil Dualibi, do Departamento de Psiquiatria da Associação Paulista de Medicina, afirma que, entre pessoas com doenças psiquiátricas, há duas vezes mais fumantes do que entre a população. “A ausência da nicotina pode aumentar a ansiedade”, diz. “O momento da internação talvez não seja o ideal para se largar o vício.”

O que dificulta o tratamento, segundo ele, é o fato de alguns pacientes não poderem usar medicamentos típicos do tratamento ao vício, como a bupropiona.

Maria Vera Castellano, da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia, se diz contrária à medida. Segundo ela, estudos da Universidade da Califórnia mostram que é possível tratar o tabagismo de pacientes psiquiátricos. “Eles não estão livres das doenças ligadas ao fumo.”

André Malbergier, coordenador do Programa de Álcool e Drogas do Hospital das Clínicas, diz que estudos mostram que a abstinência de cigarro pode ser benéfica ao paciente psiquiátrico. “Mas esses estudos foram feitos em instituições que oferecem um tratamento completo antitabaco”, diz.

Para ele, é necessária uma política pública para restringir o fumo nos institutos. “Há uma cultura de que o paciente pode fumar nesses locais. Então, uma nova diretriz, dando tempo às instituições, seria o caminho.”

Medida atenua sofrimento físico e psíquico, diz secretaria
A Secretaria da Administração Penitenciária afirmou, em nota, que a distribuição de cigarros na unidade prisional leva em conta “o sofrimento físico e psíquico imposto pela ausência da substância”. Segundo a pasta, “todo um trabalho de conscientização sobre os danos causados pelo tabagismo é realizado na unidade, a fim de promover uma mudança de hábitos nos pacientes”.

A secretaria diz ainda que os pacientes recebem, sob critério médico, adesivos que minimizam a dependência. “Todas as ações estão em conformidade com a lei”, afirma a secretaria. “As dificuldades apresentadas pelos pacientes devem ser observadas e trabalhadas dentro de uma proposta terapêutica, por meios menos invasivos possíveis.”

De acordo com a secretaria, a medida tem mostrado resultados satisfatórios no combate ao tabagismo na unidade prisional. A reportagem constatou que os gastos com tabaco têm diminuído nos últimos anos.

Secretaria da Saúde teve gasto semelhante
A Secretaria Estadual da Saúde teve, até 2010, gasto semelhante ao da pasta da Administração Penitenciária. Em 2010, o gasto foi zerado. A distribuição de fumo a pacientes foi substituída por adesivos e chicletes. A pasta esclarece que, em caso de autorização médica, os pacientes ainda podem fumar cigarros fornecidos pela família, mas o estado não compra mais.


2 comentários:

  1. Falando em fumo, o agente está trabalhando por 3, e ganhando metade do que merece, e o preço dos remédios, dos alimentos, escola para os filhos, roupas, gás, acorda geraldo, acorda sindicatos, acorda agente, sem baderna na moral, com educação para não perder a razão

    ResponderExcluir
  2. trabalhei na casa de custodia por 4 anos e meio e quase fiquei louco também , o local é extremamente insalubre ,sujo, e o cigarro la serve para acalmar o preso. que realmente funciona mas o que não funciona la é a administração do atual diretorzinho. que se acha ........pasmem

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.
Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.