segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Porte de arma para agente penitenciário e criação de polícia penal causam divergência em debate no Senado.

Não vi se tinha algum representante dos sindicatos paulistas.
Fonte: http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2013/09/02/porte-de-arma-para-agente-penitenciario-e-criacao-de-policia-penal-causam-divergencia-em-debate

02/09/2013 - 17h40 Comissões - Direitos Humanos - Atualizado em 02/09/2013 - 19h10

Porte de arma para agente penitenciário e criação de polícia penal causam divergência em debate
Enviar notícia por e-mail Imprimir


Da Redação


O debate sobre o sistema prisional realizado nesta segunda-feira (2) pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) foi marcado por divergências em relação a dois temas: o porte de arma para agentes penitenciários fora de serviço e a criação das polícias penitenciárias. Representantes dos agentes defenderam as duas medidas, previstas em propostas em tramitação no Congresso, enquanto a Pastoral Carcerária se manifestou contra.

As duas partes concordaram, porém, nas críticas às propostas de privatização de penitenciárias.

O porte de arma fora de serviço já foi aprovado pelo Congresso (PLC 87/2011), mas acabou vetado pela presidente Dilma Rousseff. Como protesto, há cerca de dois meses agentes mantêm acampamento diante do Congresso. No início de julho, eles se reuniram com o presidente do Senado, Renan Calheiros, para pedir a derrubada do veto.

Na justificativa do veto, o governo afirma que tanto o Ministério da Justiça quanto a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República opinaram contra o porte, argumentando que "a ampliação do porte de arma fora de serviço (...) implica maior quantidade de armas de fogo em circulação, na contramão da política nacional de combate à violência e em afronta ao Estatuto do Desarmamento".

– Nós defendemos o porte de arma até por uma questão de sobrevivência – declarou Vilobaldo de Carvalho, da Federação Sindical Nacional dos Servidores Penitenciários.

Assim como outros agentes, Vilobaldo lembrou que vários profissionais dessa categoria foram assassinados fora de seu ambiente de trabalho, "vítimas principalmente do crime organizado". Ele também citou casos de agentes atacados em suas próprias casas, mas que puderam se defender por estarem armados.

– Muitos agentes morrem porque estão desarmados – disse.

Além da derrubada do veto, na semana passada surgiu outra possibilidade para os que defendem o porte de armas fora do expediente: o senador Gim (PTB-DF) incluiu na Medida Provisória 615/2013 uma emenda que permite o porte fora do trabalho.

Por outro lado, a vice-coordenadora da Pastoral Carcerária, Petra Pfaller, declarou que "a arma não é a solução para a violência". Ela reconhece que muitos agentes foram assassinados, mas observa que é preciso conhecer as circunstâncias em que tais mortes ocorreram.

– Será que a arma teria evitado isso? – questionou ela, acrescentando que seu receio é que "a violência gere mais violência".

Durante a campanha que fez a favor do veto, a Pastoral Carcerária argumentava que, "ao contrário de policiais, cuja atribuição é prevenir a criminalidade no seio da sociedade em geral, agentes penitenciários são civis, encarregados de custodiar condenados, promover a disciplina e evitar fugas, o que se faz não pelo uso de armas, mas pelo exercício da boa administração prisional".

Polícia penal


Outro ponto discutido durante o debate no Senado foi a proposta de emenda à Constituição que cria as polícias penitenciárias (PEC 308/2004). Ao defender a PEC, Amauri Meireles, coronel da reserva da Polícia Militar de Minas Gerais, argumentou que a medida garantiria maior profissionalismo no sistema prisional.

Segundo Amauri, a polícia penal seria dividida em dois ramos: um responsável pela custódia dos presos e outro formado por um corpo técnico responsável pela ressocialização dos presos.

– Com isso, teremos profissionalização das atividades e modernização tecnológica. É o que falta – afirmou.

Mas a vice-coordenadora da Pastoral Carcerária discordou de Amauri Meireles. Para Petra Pfaller, a polícia tem uma tarefa que se exerce "fora dos muros dos presídios", preventiva e investigativa, enquanto os responsáveis pela custódia de quem infringiu a lei são os agentes penitenciários civis, que precisam ter boa formação, plano de carreira e salário.

– Cabe aos agente penitenciários civis promover a disciplina e evitar fugas. E isso não se faz com o uso da força, mas sim pelo exercício de uma boa administração penitenciária. Não queremos a militarização dos presídios. Não concordamos com a polícia penal – frisou.

Privatização

Ao comentar a hipótese da privatização de prisões, Petra Pfaller sustentou que essa medida seria inconstitucional, pois a administração do sistema penitenciário cabe ao Estado e é indelegável. Segundo ela, a privatização traria uma lógica comercial ao sistema prisional, "na qual se ganha um lucro enorme em cima dos presos".

– Já visitei prisões privatizadas. São aparentemente limpas e bonitas, mas a dignidade do ser humano é descartada – afirmou.

Também criticaram a privatização Jarbas Santos de Souza e Vilobaldo de Carvalho, ambos da Federação Sindical Nacional dos Servidores Penitenciários. Assim como a vice-coordenadora da Pastoral Carcerária, Vilobaldo reiterou que essa é uma função indelegável do Estado. Jarbas de Souza, por sua vez, disse que a busca do lucro pode trazer várias distorções.

Já o coronel Amauri Meireles fez uma analogia entre o sistema prisional e a aviação.

– Alguém já viajou de avião com piloto terceirizado? – perguntou Amauri.

O debate foi conduzido pelo senador Paulo Paim (PT-RS).



OUTRA MATÉRIA DO SENADO SOBRE O MESMO ASSUNTO:




02/09/2013 - 19h05 Comissões - Direitos Humanos - Atualizado em 02/09/2013 - 19h10

Representante do governo defende valorização dos agentes penitenciários
Enviar notícia por e-mail Imprimir






Da Redação





Para que as prisões brasileiras sejam humanizadas, tem-se que valorizar e humanizar não somente os presos, mas também quem cuida deles. Foi o que ressaltou Deise Benedito, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, em debate sobre o sistema prisional promovido pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) nesta segunda-feira (2).

- O agente penitenciário tem que ser valorizado à altura do que lhe é cobrado - ressaltou.

Ao comentar a atuação desses profissionais nos presídios, que estão superlotados, Deise frisou que "não é possível conceber" que um único agente cuide de 100 ou 150 pessoas. Nessas condições, observou, os profissionais não têm como desempenhar sua função.

A representante do governo no debate lembrou ainda que, em muitos casos, presos e agentes penitenciários convivem em prisões que são como "pocilgas".

- O preso, o agente penitenciário e o diretor do presídio têm a mesma dignidade. Todos têm que ser valorizados, pois assim é possível fazer prevalecer os direitos humanos - argumentou.

Modelo esgotado

Deise também reiterou que o sistema prisional é um modelo esgotado, no qual a pessoa é presa, reincide no crime e não sai desse círculo vicioso. Por isso, alertou ela, é preciso avaliar quais são as medidas alternativas em relação à prisão.

- Que modelo de sociedade nós queremos em relação à repreensão ao ato delitivo criminal? - questionou.

Deise Benedito também questionou a presunção de que os presos são violentos. Para ela, essas pessoas não agem violentamente quando são tratadas com respeito e em situação de igualdade, em vez de subalternidade.

- Visitei presídios em que os presos são obrigados a colocar as mãos para trás e não podem olhar para seus chamados superiores - contou.

Mídia

Outra questão abordada por Deise foi a influência dos meios de comunicação. Ela afirmou que a Justiça muitas vezes é pressionada a atender uma demanda midiática. Segundo ela, é comum um caso ganhar tamanha proporção em jornais e telejornais, que quem faz o julgamento não é o juiz, mas a mídia.

- Há bons profissionais na mídia. Mas há maus profissionais que vivem da audiência e incitam à violência. Dizem: "Tem que bater! Tem que matar". É preciso cuidado com o que se fala e como se fala.

Agência Senado

(Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)
















36 comentários:

  1. tem que pegar essa vice coordenadora da pastoral e colocar ela para trabalhar em um presidio da capital paulista, ela tem tanta dó de vagabundo por que ela não leva uns 10 para casa dela indignação total ass: Osasco 2

    ResponderExcluir
  2. manda essa vice-coordenadora da Pastoral Carcerária caçar marido...........porque ela nao vai ver padres sem vergonhas pedofolos e o roubo na igreja catolica ...cambanda de vagabundos deixa nos agentes em paz.

    ResponderExcluir
  3. Essa mulher da pastoral, a tal da petra pfaller não é uma que um GP de SP esculhambou com uma carta monstro? Publica ai a carta de novo Jenis...Essa pastoral é um bando de bandidos...

    ResponderExcluir
  4. Cara fico muito triste com essa Pastoral Carcerária afinal de que lado eles estão?
    É óbvio que a criação desta policial penal daria maior qualidade nos serviços prisionais e também o porte de armas fora do serviço é uma questão de sobrevivência.

    Até quando essa palhaçada com os ASP e AEVP.
    Vamos manifestarmos contra essa Pastoral Carcerária que é uma bosta inútil que só serve pra dar melhorias ao preso o bandido agora para o trabalhador que corre risco todos os dias ninguém ver.

    ResponderExcluir
  5. COMO SEMPRE A PASTORAL É E SERÁ SEMPRE CONTRA OS SISTEMA E SEERVIDORES PRISIONAL, ISSO PORQUE ELES NÃO VêEM DE PERTO O SOFRIMENTOS DOS AGENTES E NÃO CORREM RISCO DE VIDA FORA DO TRABALHO, É POR ISSO QUE SÃO CONTRA.

    ResponderExcluir
  6. Acorda Dona Deise Benedito !!! Em que mundo a senhora vive ? É isso que da, quando alguém que esta atrás de uma mesa quer ditar as regras sem nunca ter vivido a realidade !!! E infelizmente isso ocorre em vários setores como educação, saúde, por isso o Brasil esta desse jeito !!!

    ResponderExcluir
  7. Quer dizer então que os agentes não estão podendo ter porte de armas no momento.?

    ResponderExcluir
  8. Estou cansado de ouvir pitacos de quem nunca sentiu e nunca vai sentir na pele o que é ser um Agente de Segurança Penitenciaria. Somente quem trabalha nas carceragens e convive com o perigo, o medo e a insegurança em ambiente hiper insalubre sabe o que é... Ser apenas um RS para o Estado e sentir o total descaso do mesmo, ter uma profissão difamada pela sociedade e até mesmo pelas policias e ter ainda que ter a maior cautela na rua, se privando de ir em diversos lugares públicos para evitar encrenca com a malandragem. É molo ou quer mais.... e aparece um monte de engravatados para dizer que não merecemos porte de arma, não merecemos regulamentar a função de policial penal,que já exercemos... vide RETP.
    Me sinto um marionete do Estado sem respaldo algum, sem eira nem beira!!!

    ResponderExcluir
  9. Manter a disciplina implica em cobrar postura do sentenciado perante os funcionários e os próprios sentenciados o que desagrada e muitas vezes acontece o embate. Você acha que o preso quando sai de uma unidade prisional e encontra o funcionário que cobrava disciplina na cadeia vai falar "OI COMO VAI? TUDO BEM? Ou vai querer descontar as suas frustrações de uma vida que não deixou ele fazer o que quis? É para isso que serve a arma para mim ou para um agente penitenciário! Como vou defender minha família? O estatuto do desarmamento somente desarma a pessoa de bem não o vagabundo. Alias quem deveria proteger o cidadão de bem é o governo, pois recebe vários impostos que são repassados para o bandido através do auxilio reclusão. Agora faça a seguinte pergunta: O pai de família que foi morto por esse marginal, será que a família dele recebe alguma coisa ou pelo menos a visita dos direitos humanos? Pensem depois a pastoral pode falar alguma coisa!!!

    ResponderExcluir
  10. Este pessoal dos direitos humanos são uma piada mesmo, acho que cada um deles deveria levar um pobre inocente destes para casa.......bando de otário por isso o brasil esta como esta.

    ResponderExcluir
  11. O que a pastoral carcerária tem haver com nossa segurança??? ora Sra. Petra Pfaller vai perder seu tempo com seus apenados que estão que nem latas de sardinha nas unidades com 2.800 na capital!vai estudar ler um pouco sobre criminalidade no Brasil que VOÇE ESTA POR FORA DE NOSSA REALIDADE, EXTREMAMENTE MAU INFORMADA!!!uma dica voçe Petra se politizar melhor..."PCC- HEGEMONIA NAS PRISÕES E MONOPOLIO DA VIOLÊNCIA"...lê só o primeiro capitulo e se liga a m@&#$a que voçe tá falando...

    ResponderExcluir
  12. INFELIZMENTE P/ DEFENDER VAGABUNDO APARECE MUITA GENTE, EU PERGUNTO QUEM É ESSA PASTORAL CARCERÁRIA P/ DIZER QUE O ASP NÃO PRECISA DE ARMA? MUITAS PESSOAS QUE FAZEM PARTE DESSA PASTORAL JÁ FORAM FLAGRADAS DENTRO DE UNIDADES PRISIONAIS SE ENVOLVENDO COM DETENTOS.PARA MIM PASTORAL E VAGABUNDO SÃO TUDO A MESMA COISA. NUNCA VI NINGUÉM DA PASTORAL IR NA CASA DE ALGUMA VÍTIMA FAZER UMA VISITA. PORQUE SERÁ QUE NO BRASIL SÓ VAGABUNDO TEM VALOR?

    ResponderExcluir
  13. Amigos, vou deixar aqui um forte comentário sobre o porte de armas: 1- Não protege ninguém, a maioria dos amigos que foram mortos, estavam armados e foram mesmo assim mortos. 2- Porte de armas pode e deverá ser dado á aqueles que possuem condições de usa-las, não para alguns imbecis que: Atiram em placas de transito, em minha cidade já presenciei tal fato, ou como aquele idiota de Ribeirão Preto que matou um cachoro dentro da unidade, alias gostaria de saber o que aconteceu se foi punido ou não. 3- Precisamos colocar na cabeça que não somos policia, apesar de exercermos tal atividade dentro do presidio e não fora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PARA, CARA VC NÃO SABE O QUE FALA, O BANDIDO PODE TE DAR UM TIRO NA CARA PELO GEITO, E O TRABALHADOR NÃO PODE TER O DIREITO DE PELOMENOS LUTAR POR USA VIDA? SE BANDIDO TEM ARMA PQ NEGAR AO TRABALHADOR, BANDIDO BOM É BANDIDO MORTO,QUEM NÃO GOSTA DE ARMA NÃO COMPRA SÓ ISSO. PQ ISSO É UMA PUTA RESPONSA, SE NÃO TIVER NEM TENTA.

      Excluir
    2. vc deve ser enfermeiro na cadeia, acorda segurão... tbm conheço varios que escaparam de assaltos e atentados com suas Armas, cala sua boca se vc não tem capacidade de adquirir uma Arma pq vc e mané e problema seu otario

      Excluir
  14. Então quer dizer que estão lutando para os asp não ter mais porte de Armas....isso é ridiculo

    ResponderExcluir
  15. Quem convidou esse lixo de pastoral carcerária para uma reunião sobre Agentes Penitenciários já tá mau intencionado, pois por eles nos defendemos com pau e pedra pois somos funcionários civil, uma vergonha um funcionario que corre o risco como nós Agentes Penitenciários ter que ficar implorando pelo nosso direito de defesa, acorda Brasil !!!!

    ResponderExcluir
  16. Pastoral Carcerária, por favor, vai pra PQP...!
    Nunca vi isso em País nenhum do Mundo só aqui mesmo. 1º não sei nem pq essa Pastoral tem que participar de um debate desses, ela cuida de presos? já cuidou? é parte do Desgoverno? é parte da igreja católica, que num tem nada a ver com isso e deveria cuidar da pedofilia e da viadagem entre seus padres isso sim, que é uma vergonha...! Num é ninguém e não tem meu respeito! Só é a favor dos "coitadinhos" e "maltratados" dos presos que são pessoas que não tiveram oportunidades e por isso foram roubar, traficar, sequestrar, formar quadrilhas e desgraçar a vida de quem mesmo sem oportunidade na vida escolheu trabalhar e lutar, nem que seja catando latinhas e papelão, mas que não sabe roubar e matar, porque tem dignidade e caráter. Deveria ter uma nova alcatraz e jogar os lixos todos lá e por a bosta da Pastoral pra cuidar deles...!

    ResponderExcluir
  17. Pastoral carceraria e o lixo da sociecdade e pior que o vagabundo

    ResponderExcluir
  18. caro jose luiz parabens pelas palavras e pela coragem de expor sua opiniao tem asp mais desiquilibrado do que preso da ate pena

    ResponderExcluir
  19. É... dou valor ao ser humano que batalha... acorda cedo ( 04:30h)com frio ou chuva... pega ônibus, trem, metrô, lotação, carroça... e tbm anda de bike. chega no serviço ás 07:00h. é humilhado e ganha 600,00 e tal de reais... faz bico e ainda é roubado... ESSE NINGUÉM DEFENDE. ( muita calma...)

    ResponderExcluir
  20. Isso que esta pastoral carceraria diz e um absurdo, nos que trabalhamos todos os dias nas prisões ficamos a merce dos vagabundos que tem todos os direitos garantidos inclusive de andar armado pois não tem nada a perder, já nos que temos famílias e pagamos nossos impostos em dia ficamos praticamente presos em casa correndo risco e sem como nos defender porque uma tal de pastoral junto com uma tal Dilma que infelizmente esta no comando do Pais acha que não somos qualificados para portar uma arma, sendo que utilizamos no dia a dia dos serviço s sendo que a maioria se não a totalidade fez cursos e continuam se aperfeiçoando para melhor exercer seu serviço, já que o estado não oferece treinamentos para seus funcionários tendo que retirar do próprio bolso, e vcs ainda dizem que não somos qualificados.
    Queremos o porte não pra mostra que temos, mais sim para podermos nos defender e principalmente defendermos nossas famílias por que quem prende são os policiais mas quem da as caras todos os dias nos presídios somos nos: AGENTES PENITENCIÁRIOS e só mais uma coisa Dilma, quem pois vc no poder fomos nos não se esqueça disso.

    ResponderExcluir
  21. em Osasco II vai um membro da Pastoral q já passou na Unidade em 2007 ele tinha sido preso por assalto, ele mesmo falou pra mim, vai saber quantos são matricula realmente, e só levar o objeto de pé para o Secretario Dorival já era rsrsrsss cada uma viu tira eu daki vovoooo

    ResponderExcluir
  22. É muito fácil eu tenho uma excelente idéia, façamos nós agentes uma greve e a pastoral coloca uma camisa de agente e vai cuidar dos coitadinho, 300 detentos em cada raio, ai sim depois de 30 dias veremos no deu, no minimo virarão todas as cadeias. Asp de Osasco 1.

    ResponderExcluir
  23. A PASTORAL ESTÁ NO LUGAR ERRADO , DEVERIA ESTAR INVESTIGANDO E CUIDANDO DOS PADRES PEDÓFILOS E A CORRUPÇÃO NA IGREJA ENTRE OS PADRES E NÃO NA CADEIA, ELA PODERIA PASSAR PELO MENOS UMA SEMANA NOS PRESIDIOS COMO ASP PARA VER O QUE É BOM.

    ResponderExcluir
  24. Prezado Jenis, quero mais uma vez parabenizá-lo, pelo seu e nosso excelente blog, que nos permite (identificando-se), escrever nossas opiniões sobre diversos assuntos.
    Caros amigos eu não sou contra o porte de armas para o ASP E O AEVP, fora de serviço, apenas defendo uma qualificação melhor para tal porte, haja visto, evitarmos diversas bestiolidades averiguadas em nosso cotidiano por pessoas desequilibradas emocionalmente, e quero dizer amigos: 1- Não sou enfermeiro, sou ASP e trabalho no raio de zelador, duvida é so ligar na penitenciaria de Montalvão e comprove.
    2- A arma do guarda no raio é a caneta e sua atitude.
    3- Na rua na cintura, não para os outros verem como vejo por ai.
    4- Quando for criticar alguém por favor seja um verdadeiro ASP, como eu: IDENTIFIQUE-SE como um verdadeiro servidor público, não como um detento que sempre que comete uma atrocidade, geralmente fica no anonimato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fale por vc, nunca pelos outros, quem é vc pra definir isso? Que conhecimento de causa vc tem? Lembre se todos somos capacitados, o que falta é instrução adequada, e muito treinamento, ou vc acha que pm, pc e pf vieram do espaço?

      Excluir
  25. O Brasil não é um pais laico???? Me pergunto o pq da pastoral se entrometer em segurança publica??? Oque eles sabem de segurança?? Temos que fazer greve sim e pedir a proibição da entrada deles nas unidades, isso só ocorre no Brasil!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  26. "Durante a campanha que fez a favor do veto, a Pastoral Carcerária argumentava que, "ao contrário de policiais, cuja atribuição é prevenir a criminalidade no seio da sociedade em geral, agentes penitenciários são civis, encarregados de custodiar condenados, promover a disciplina e evitar fugas, o que se faz não pelo uso de armas, mas pelo exercício da boa administração prisional". Creio que este texto já diz o porque o Agente de Segurança Penitenciária deve ter o direito de andar armado, digo direito pois quem não o deseja ou não tem habilidade para isso não o faça. Ter ou portar uma arma de fogo é uma decisão muito séria, necessita ter habilidade, treinamento e conhecimento. Assim, conforme o próprio texto diz, somos diferentes do policiais, com certeza, a policia prende em algumas horas, alguns dias (trabalho de inteligência), nós ASPs, custodiamos, ou seja, estamos no mínimo dia sim dia não com esses condenados, que nos conhecem, que muito facilmente sabem onde moramos, quem são nossos familiares. Já realizamos uma ótima administração prisional, que diga os números, temos unidades hiperlotadas, onde 1 ASP cuida de 200 presos, rebeliões não vejo mais, problemas pontuais existem sim, mas nosso heróis continuam dioturnamente abrindo e fechando celas, conduzindo a foruns, hospitais, fábricas, escolas, etc, isto ninguém divulga. Jenis, parabéns pelo seu blog, canal de comunicação fidedigno. Colegas de classe, vamos nos unir em busca de melhorias, brigas e xingamentos não nos levam a caminho nenhum, pelo contrário só legitima quem nos quer ver pelas costas.

    ResponderExcluir
  27. Cara eu já vi ASP tonto mas igual a esse José Luis, aff,deve ser aqueles veios que tem medo do raio. Dá uma boneca pra ele aff.

    ResponderExcluir
  28. ANONIMO: OBRIGADO, AGRADEÇO A PRESIDENTE DILMA....E PEÇO A DD. PARA AFASTAR COM URGENCIA, URGENTISSIMA ESSAS DEMAGOGAS DA PASTORAL, POIS NÃO CONHECEM A REALIDADE E FALAM DE ASSUNTO SEM PROPRIEDADE LEGAL. REFLITA DD., FALO AO MENOS POR QUASE 300 MIL FUNCIONÁRIOS DO SISTEMA PENTENCIÁRIO DO BRASIL, DESCONTENTES, INCONFORMADOS COM ALGUMAS AÇÕES DE SEUS GOVERNANTES. BOM VAMOS AO PONTO:- O ANO QUE VEM TEREMOS ELEIÇÕES E A CLASSE SÓ ESTA ESPERANDO A POSIÇÃO DA SENHORA, BEM COMO DOS GOVERNANTES DOS ESTADOS PARA TOMARMOS UMA POSIÇÃO, SE CONTINUAR ESSA PALHAÇADA, NÃO TEM MAIS lULA QUE A SEGURARÁ NA PRESIDÊNCIA. ISSO EM AMBITO NACIONAL...ACORDA,

    ResponderExcluir
  29. Na verdade isso tudo nao dara em nada!nada de porte nada de melhora e policia penal!!pura buxa

    ResponderExcluir
  30. Olha , eu nunca vi uma Presidente tão ruim, em mais de 2 decadas, a 15 anos atras eu ganhava mais do que hoje, falam que tem emprego aff, procura então e perguntam qual o salario é vergonhoso o que eles querem pagar , um exemplo pedi num CIEE um estagio para Administração de Empresa tem noção ofereceram 400 reais, é esse pais que querem temos que mudar urgente essa Presidente.. ela tem que sair o mais rapido possivel... obrigado

    ResponderExcluir
  31. Caros camaradas a questão de portar armas do Estado,a princípio parece ser uma boa idéia,todavia estive eu em uma determinada repartição onde conversei com um policial civil que também é instrutor de tiro e ele me disse que estava se livrando da carga oferecida pelo Estado devido ao risco de processo administrativo no caso de roubo ou extravio da arma,podendo gerar sansões disciplinares terríveis.Particularmente acredito que deveria haver um convênio que favorecesse os interessados em adquirir este tipo de equipamento,preços mais acessíveis e melhor treinamento para a nossa categoria além de valorização dos nossos profissionais.Fica aqui este comentário para a reflexão geral.Com um salário digno podemos conseguir tudo o que precisamos sem precisar apelar e nem correr riscos desnecessários.

    ResponderExcluir
  32. Á SrªPetra Pfaller só tenho que dizer isto:-Imagine a Srª voltando de seu trabalho com um carrinho velho comprado com empréstimo bancário e de repente dois miliantes vindo em sua direção pelas costas e de motocicleta.Um deles com um capacete de cor rosa ,então a senhora olha pelo retrovisor e percebe o êngodo(a garupa não é parceira do piloto e sim parceiro) e antes deles chegarem a sua porta e sacar a arma anunciando o assalto,a senhora os surpreende com sua arma em mãos e pronta para a reação.O garupa que fez menção de pegar "algo"na cintura percebe que não é uma boa idéia tentar o delito ,bate nas costas do parceiro e os mesmos vão embora,sem a senhora precisar disparar nenhum tiro,de outra forma teriam lhe identificado e atirado em ti a queima roupa,roubado seu carrinho e tirado a chance de seus filhos terem alguém para lhes criar e assim evitar o surgimento de mais dois desterrados e excluidos na sociedade.Pois bem senhora isto que narrei aconteceu a mim e por isso estou aqui para lhe citar este exemplo.Espero que também sirva para os colegas que se sentem incapazes de adquirir o equipamento por impericia e falta de preparo e não por outros motivos alegados,e quem o fizer ,o faça de forma consciente,prezando pela vida acima de tudo.

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.

Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.