domingo, 1 de dezembro de 2013

Sobre a generosidade da Folha SP com o governo Alckmin.


VEJA A INDIGNAÇÃO DOS SERVIDORES DA SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO.

Fonte:

http://www.sindsaudesp.org.br/noticia.asp?acao=verNoticia&id=3367#.UpkCxhLo8LM.facebook

Sobre a generosidade do jornal Folha de S.Paulo com o governo Alckmin


Por SINDSAÚDE-SP
Quarta-feira, 27 de novembro de 2013
O jornal Folha de S.Paulo publicou no domingo, 24/11, uma matéria de capa afirmando que o governo Alckmin infla salários de servidores públicos com avaliações frouxas e generosas que engordam o salário. Como exemplo mostra o salário de um oficial administrativo de mais de 5 mil reais.

Os trabalhadores estão indignados com o jornal e querem saber onde estão os 5 mil reais de seus salários. Em um dos emails recebidos pelo SindSaúde-SP, a trabalhadora escreve que se um funcionário recebe esse salário deve ser por ação judicial contra o Estado ou pagamento de atrasados. A muitos funcionários, embora trabalhando em áreas de risco com esgoto a céu aberto, com fezes de rato nos prontuários de pacientes, foi negado o adicional de insalubridade ou foi reduzido.

O salário do trabalhador da saúde é baixo e mesmo com mais de 20 anos de serviço continua próximo ao salário inicial. Os valores são públicos.

No setor privado, os prêmios são uma bonificação além do salário; no estado de São Paulo, é salário, sem contar para férias, 13º salário e aposentadoria. Cargos de confiança têm prêmios elevados - um coordenador recebe de prêmio de R$ 7.322,00 sem avaliação de desempenho. O prêmio de incentivo do oficial administrativo da saúde é R$ 300,00, se receber 100% da avaliação. Caso tenha uma falta injustificada, deixa de receber metade desse valor por três meses.

Os salários são tão baixos que, toda vez que o salário mínimo nacional é reajustado, o governador do estado é obrigado por determinação constitucional a publicar uma lei concedendo um abono complementar para o salário dos trabalhadores públicos estaduais dos níveis elementar e médio ficar acima do mínimo. Em 2010, essa medida atingia 25 mil funcionários estaduais; em 2011, 30 mil. Em 2013, a medida atinge mais de 60 mil funcionários.

Quanto ao prêmio de incentivo especial, os valores não são divulgados pelo governo Alckmin. Vale destacar que um dos pontos da pauta de reivindicações do SindSaúde-SP é Prêmio de Incentivo igual para todos e transparência no uso da verba FUNDES.

Para a matéria do domingo, o jornal não ouviu o trabalhador público. Na segunda-feira, 25/11, depois de receber muitas reclamações, o jornal entrou em contato com o SindSaúde-SP e informou que o valor estava incorreto e que deverá publicar outra matéria sobre o assunto.
Folha SPaulo 241113.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.

Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.