domingo, 27 de abril de 2014

Agente Penitenciária agredida na Penitenciária Feminina de Campinas.



Vejam o email que recebi de um(a) companheiro(a) da Penitenciária Feminina de Campinas de forma anônima...

 
Email:
Agressão a funcionária suspende visita e festa de presas.

Uma funcionária da penitenciária feminina de Campinas foi agredida fisicamente por várias presas na hora da tranca da tarde na última quinta-feira. Não se sabe ainda o motivo da violência contra a colega, mas a suspeita é que a agressão tenha acontecido pelo fato da mesma ter encontrado vários celulares dentro de uma cela em uma blitz de rotina feita no dia anterior. 
A colega sofreu vários hematomas e foi levada ao hospital onde foi atendida e medicada.
A direção de unidade havia programado para este final de semana, a realização da festa da páscoa para os filhos, netos e irmãos das detentas, mas um pedido de todos os funcionários para que a cadeia ficasse fechada, sem visitas e a não realização da festa, fez com que a diretoria determinasse que a cadeia ficasse na tranca por tempo indeterminado.
É a primeira vez que vejo uma diretoria apoiar os funcionários.
Abraços


Comentem abaixo o email recebido e a matéria do G1 
 
Desejo melhoras a companheira, quanto a falta de transparência da SAP alegando ser questão de segurança é lamentável, o nosso salário está no portal transparência, isso para a SAP não é questão de segurança, mas para divulgar o número de funcionários em uma unidade prisional é... a SAP não divulga alegando questão de segurança.
Quanto ao final do email que diz que a direção apoiou os funcionários, precisamos da opinião das ASPs daquela unidade, é claro que respeito a pessoa que enviou o email, é que estamos tão desacreditados, que uma atitude que deveria ser regra passa ser um ato louvável.
Temos informações que a falta de ASPs femininas nessa unidade é gigantesca.




Vejam matéria do site G1:


27/04/2014 18h08 - Atualizado em 27/04/2014 19h24


Penitenciária feminina de Campinas barra visitas após agente ser agredida

SAP diz que medida é necessária para garantir manutenção da segurança.
Funcionária ficou ferida após ser agredida por reeducanda na quinta-feira.


 
Vejam matéria do site G1:


Penitenciária feminina de Campinas barra visitas após agente ser agredida (Foto: Reprodução / EPTV)
Parentes de presas não foram autorizadas a entrar
na penitenciária   (Foto: Reprodução / EPTV)
A Penitenciária Feminina de Campinas (SP) impediu visitas às presas, neste domingo (27), após uma funcionária da unidade ser agredida por uma reeducanda na tarde de quinta-feira. Segundo nota divulgada pela assessoria de imprensa da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), o benefício foi suspenso neste fim de semana para garantia da "manutenção da segurança".

Parentes e amigos das presas que foram à unidade de segurança, no bairro São Bernardo, reclamaram da falta de comunicado prévio sobre o cancelamento das visitas. "Absurdo, ninguém avisou", criticou a estudante Samara Gonçalves da Silva, que mora em Bom Jesus dos Perdões (SP) e chegou à penitenciária por volta das 5h. O motorista de caminhão Eduardo Araújo também reforçou as críticas sobre a falta de informações. "Falaram que são dez dias de castigo, mas não deram outra satisfação. A gente não sabe quanto vai durar", reclamou.

Agressão
Em nota, a assessoria da SAP explicou ainda que, além do registro de um boletim de ocorrência sobre a agressão na unidade, a direção da penitenciária também apura se houve participação de outras presas no caso. A funcionária, segundo o governo do estado, recebeu atendimento médico imediato em um pronto-socorro do município e foi liberada na sequência.

De acordo com o site oficial da secretaria, até o dia 14 deste mês a unidade localizada no bairro São Bernardo abrigava população de 997 mulheres, 79,3% acima da capacidade prevista para a penitenciária. Procurada pela EPTV, afiliada da TV Globo, a SAP alegou que, por segurança, não divulga o número de servidores na unidade, mas frisou que ele é "suficiente para o dia a dia".

4 comentários:

  1. Até quando a SAP, o governo, etc vão continuar com essa IPOCRISIA de chamar,assassino, ladrão, traficante, estuprador, psicopatas, etc, de reenducando, isso é um absurdo, essa escória da sociedade nunca , nunca serão seres humanos trabalhadores e honestos, esse governo covarde e incompetente, já passou da hora de parar de brincar que o sistema prisional é um jardim de infancia, FALTA DE RESPONSABILIDADE!!!!!!!! Melhoras pra nossa companheira..

    ResponderExcluir
  2. Mara Franco, a funcionária foi agredida por apenas uma presa, quando realizava o trancamento das celas. E aproveitando o espaço, que tal um pouco de verdade na reportagem da P. Feminina feita pelo Sifuspesp????
    Sou filiado ao sindicato e acompanhei o desenrolar da história, mas não foi como descrito na reportagem. O representante do sindicato que é funcionário da P. Feminina não acompanhou nada em relação ao assunto. Mais uma vez o sindicato querendo levar vantagem!!!! Outra coisa: Todas as decisões foram tomadas pela diretora da Penitenciária, que solicitou o trancamento do Pavilhão, o cancelamento da festa etc.E por fim a Diretora, pelo que fiquei sabendo, pediu ao sifuspesp que aguardasse, mas eles deixaram a Unidade antes de serem atendidos.

    ResponderExcluir
  3. O INDIGNADO, AO INVÉS DE FICAR VUCEFERANDO, ENTENDA O SISTEMA, ANTES DE FALAR ABOBRINHA.

    ResponderExcluir
  4. A quantidade de funcionários é suficiente para o dia a dia?

    Que piada grotesca... Não sabia que a SAP tinha virado a gozolandia...

    "Alô criançada, o Bozo chegou..."

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.
Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.