sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Agente Penitenciário agredido no CDP da Vila Independência-SP.

Fonte: Sindasp.
ASP é agredido no CDP de Vila Independência e servidores decidem trancar toda a unidade até segunda-feira

Carlos Vítolo


Jornalista/Assessor de Imprensa do Sindasp-SP

imprensa@sindasp.org.br


Na manhã desta sexta-feira (7) ocorreu mais um caso de agressão contra agente de segurança penitenciária (ASP) dentro da unidade prisional. A violência ocorreu no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Vila Independência, em São Paulo, contra o ASP Norberto Lopes.



De acordo com as informações de um servidor da unidade que manteve contato com a reportagem do Sindasp-SP, a agressão ocorreu durante a soltura do banho de sol, no pavilhão 4. O detento desferiu socos e pontapés no servidor, e não satisfeito, ainda tentou ferir o agente penitenciário com um “espeto” de ferro, que foi atingido apenas superficialmente.



Após a agressão o Grupo de Intervenção Rápida (GIR) foi chamado e em 15 minutos já estava iniciando uma blitz geral para apreender possíveis ilícitos, tal qual o “espeto” usado para atingir o servidor.



O ASP foi encaminhado à Delegacia de Polícia para registrar o boletim de ocorrência e na sequência levado ao Instituto Médico Legal (IML) para passar pelo exame de corpo de delito.



Conforme a fonte que falou com a reportagem, os servidores da unidade ficaram revoltados com a agressão ao companheiro de trabalho e resolveram realizar uma Assembleia Geral dos funcionários da unidade. Os trabalhadores discutiram a violência praticada e decidiram trancar o CDP inteiro até a próxima segunda-feira (10), portanto, não haverá visitas na unidade neste final de semana.



Em casos de agressões contra servidores dentro das unidades prisionais, a tranca é automática por 15 dias, por determinação da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), no entanto, neste caso, os funcionários votaram em assembleia que a unidade inteira ficará trancada até segunda-feira e o pavilhão 4 permanecerá trancado por 15 dias.



“O Sindasp-SP apoia a decisão dos funcionários do CDP e daqui para frente, quando ocorrer casos de agressões contra servidores, daremos o total apoio para que as unidades inteiras fiquem trancadas”, disse o presidente do Sindasp-SP, Daniel Grandolfo.



O Secretário-geral do Sindasp-SP, Cícero Félix, manteve contato com o diretor geral da unidade, Mark Christopher Bierast, para saber sobre as providências que estavam sendo tomadas sobre o caso. Bierast informou ao diretor do Sindasp-SP que havia feito tudo o que deveria ser feito e que inclusive havia levado pessoalmente o servidor para o hospital. O diretor da unidade disse ainda que o pavilhão ficará trancado por no mínimo 15 dias, sem visitas, jumbo e sem Sedéx. “Gostei muito da atitude do diretor do CDP”, disse Félix.

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.

Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.