quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Presos rebelados fazem reféns na Penitenciária de Junqueirópolis-SP.


Fonte: Ifronteira.


Presos rebelados fazem reféns na penitenciária de Junqueirópolis
De acordo com a Polícia Militar, cerca de 400 detentos decidiram tomar outros raios da unidade e se dirigiram para a laje para chamar a atenção para as negociações
Do iFronteira

Com capacidade para abrigar 873 presos, a penitenciária de Junqueirópolis tem uma população atual de 1.879 detentos (Foto: Viviane Santos/Portal Regional/Cedida)
Clique na imagem para expandir.
Presos da penitenciária de Junqueirópolis iniciaram na manhã desta quinta-feira (29) uma rebelião na unidade. A informação foi confirmada pela Polícia Militar.
A PM foi comunicada da situação, via rádio, por volta das 9h30. Ainda conforme a corporação, cerca de 400 presos decidiram tomar outros raios da unidade e se dirigiram para a laje com o objetivo de chamar a atenção para iniciar as negociações.
Dois agentes penitenciários foram feitos reféns.
De acordo com informações da Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo (SAP), a penitenciária de Junqueirópolis possui uma capacidade para abrigar 873 presos, mas conta atualmente com uma população de 1.879 detentos. Isso significa uma população carcerária 115,23% acima da capacidade do presídio.
Conforme informações obtidas junto ao 25º Batalhão, que tem sede em Dracena, a Polícia Militar aumentou o efetivo na área e encaminhou a Força Tática para acompanhar a situação no presídio.
Por volta das 10h45, a Polícia Militar foi comunicada do encerramento da rebelião, com a libertação dos reféns, em Junqueirópolis. Segundo a corporação, o motim teve início a partir de uma tentativa de fuga de presos da unidade.
O Grupo de Intervenção Rápida (GIR), da SAP, foi acionado para entrar na unidade e vistoriá-la, após o fim da rebelião. O iFronteira também apurou que os reféns foram libertados sem ferimentos.
Os detentos do pavilhão 4, segundo a PM, ainda tiveram acesso aos outros pavilhões, soltando os demais presos. Os agentes reféns ficaram presos com algemas e sofreram ameaças de morte, caso reagissem, e algumas lesões nos pulsos, conforme a PM. Os diretores iniciaram negociações com um grupo de presos, obtendo êxito, e os detentos retornaram às suas celas. Não houve intervenção da Polícia Militar nas negociações nem em ações no interior do presídio. No local, o efetivo era de aproximadamente 15 policiais militares. O GIR ficou com a responsabilidade de revista do presídio.
Situação controlada
Procurada pelo iFronteira para se manifestar sobre o assunto, a Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo, através de sua Assessoria de Imprensa, emitiu a seguinte nota oficial:
“Na data de hoje, por volta das 9h30, houve uma tentativa de fuga de presos da Penitenciária de Junqueirópolis, a qual foi prontamente impedida, graças a atuação do excelente corpo de segurança da Unidade Penal. Em razão dessa descoberta, presos fizeram dois Agentes de Segurança Penitenciária reféns, por um período de tempo bastante curto, sendo que nenhum funcionário sofreu qualquer tipo de agressão. A situação foi controlada e o estabelecimento penal permanecerá trancado, para que seja realizada rigorosa revista, com o apoio do Grupo de Intervenção Rápida. Não se trata de motim ou de rebelião, mas sim de tentativa de fuga frustrada”.
Atualizada para acréscimo de informações.
PM foi comunicada sobre a rebelião por volta das 9h30 (Viviane Santos/Portal Regional/Cedida)



Presos rebelados fazem reféns na penitenciária de Junqueirópolis

De acordo com a Polícia Militar, cerca de 400 detentos decidiram tomar outros raios da unidade e se dirigiram para a laje para chamar a atenção para as negociações

Do iFronteira
  • Com capacidade para abrigar 873 presos, a penitenciária de Junqueirópolis tem uma população atual de 1.879 detentos (Foto: Viviane Santos/Portal Regional/Cedida)
Clique na imagem para expandir.
Presos da penitenciária de Junqueirópolis iniciaram na manhã desta quinta-feira (29) uma rebelião na unidade. A informação foi confirmada pela Polícia Militar.
A PM foi comunicada da situação, via rádio, por volta das 9h30. Ainda conforme a corporação, cerca de 400 presos decidiram tomar outros raios da unidade e se dirigiram para a laje com o objetivo de chamar a atenção para iniciar as negociações.
Dois agentes penitenciários foram feitos reféns.
De acordo com informações da Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo (SAP), a penitenciária de Junqueirópolis possui uma capacidade para abrigar 873 presos, mas conta atualmente com uma população de 1.879 detentos. Isso significa uma população carcerária 115,23% acima da capacidade do presídio.
Conforme informações obtidas junto ao 25º Batalhão, que tem sede em Dracena, a Polícia Militar aumentou o efetivo na área e encaminhou a Força Tática para acompanhar a situação no presídio.
Por volta das 10h45, a Polícia Militar foi comunicada do encerramento da rebelião, com a libertação dos reféns, em Junqueirópolis. Segundo a corporação, o motim teve início a partir de uma tentativa de fuga de presos da unidade.
O Grupo de Intervenção Rápida (GIR), da SAP, foi acionado para entrar na unidade e vistoriá-la, após o fim da rebelião. O iFronteira também apurou que os reféns foram libertados sem ferimentos.
Os detentos do pavilhão 4, segundo a PM, ainda tiveram acesso aos outros pavilhões, soltando os demais presos. Os agentes reféns ficaram presos com algemas e sofreram ameaças de morte, caso reagissem, e algumas lesões nos pulsos, conforme a PM. Os diretores iniciaram negociações com um grupo de presos, obtendo êxito, e os detentos retornaram às suas celas. Não houve intervenção da Polícia Militar nas negociações nem em ações no interior do presídio. No local, o efetivo era de aproximadamente 15 policiais militares. O GIR ficou com a responsabilidade de revista do presídio.
Situação controlada
Procurada pelo iFronteira para se manifestar sobre o assunto, a Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo, através de sua Assessoria de Imprensa, emitiu a seguinte nota oficial:
Na data de hoje, por volta das 9h30, houve uma tentativa de fuga de presos da Penitenciária de Junqueirópolis, a qual foi prontamente impedida, graças a atuação do excelente corpo de segurança da Unidade Penal. Em razão dessa descoberta, presos fizeram dois Agentes de Segurança Penitenciária reféns, por um período de tempo bastante curto, sendo que nenhum funcionário sofreu qualquer tipo de agressão. A situação foi controlada e o estabelecimento penal permanecerá trancado, para que seja realizada rigorosa revista, com o apoio do Grupo de Intervenção Rápida. Não se trata de motim ou de rebelião, mas sim de tentativa de fuga frustrada”.
Atualizada para acréscimo de informações.
PM foi comunicada sobre a rebelião por volta das 9h30 (Viviane Santos/Portal Regional/Cedida)

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.

Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.