domingo, 17 de maio de 2015

Preso assassino de agente penitenciário em Campinas-SP

Fonte: Jornal Todo Dia



Acusado de participar de latrocínio é preso
Polícia

Autor: JOÃO CONRADO KNEIPP CAMPINAS | - 16/05/2015-17h50 - Atualizado em 16/05/2015-22h06
Jederson de Paula foi encaminhado à cadeia anexa ao 2º DP de Campinas
O Baep (Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar) prendeu, anteontem, no Jardim Itatinga, em Campinas, um homem acusado de participação no latrocínio (roubo seguido de morte) de um agente penitenciário em dezembro do ano passado. Jederson Pereira de Paula, 27, é acusado pela Justiça de participar da morte de Aírton Pinto da Fonseca, executado com três tiros em um bar no Jardim Santa Mônica, em Campinas.
De acordo com o Baep, Jederson de Paula foi abordado por volta das 16h40 na Rua Dracena e não possuía nenhum documento de identificação. Inicialmente, ele apresentou o nome do irmão, Jobson Pereira de Paula, como sendo o seu. Mas, durante as checagens de antecedentes criminais, identificou-se com o verdadeiro nome.
Os policiais constataram que havia um mandado de prisão por latrocínio, expedido em 24 de fevereiro, pela 1ª Vara Criminal de Campinas. Jederson de Paula foi encaminhado para a cadeia anexa ao 2º DP (Distrito Policial) de Campinas.
CABEÇA
No inquérito policial do latrocínio, conduzido pela DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Campinas, de Paula é acusado de guiar a moto usada na fuga de Juliano Oliveira Pinto. Segundo os depoimentos, o agente penitenciário estava em uma mesa em um bar no Jardim Santa Mônica, no dia 13 de dezembro, quando um homem não identificado, usando capacete, entrou e pediu uma bebida no balcão. Em seguida, outro homem, posteriormente reconhecido como sendo Juliano Pinto, entrou no estabelecimento e disparou duas vezes contra a vítima, que caiu no chão. O terceiro tiro, na cabeça de Fonseca, foi disparado quando ele já estava caído. Os homens roubaram uma pistola calibre 380 do agente penitenciário.
A vítima era lotada na Penitenciária 1 de Hortolândia e foi sepultada em Itaí (SP). À época, o Sifupesp (Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de São Paulo) fez um protesto contra o assassinato do agente, que foi o nono caso de homicídio contra agentes de segurança penitenciária no Estado no ano passado.

3 comentários:

  1. COM CERTEZA ESSE "LAGARTO" DA TAL FACÇÃO, VIRÁ P O CDP, TOMARÁ Q A SAP MANDE ESSE LIXO P TRANCA LOGO, PQ NÃO QUERIA TROMBA C ESSE VERME...

    ResponderExcluir
  2. latrocínio?!

    "No inquérito policial do latrocínio, conduzido pela DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Campinas, de Paula é acusado de guiar a moto usada na fuga de Juliano Oliveira Pinto. Segundo os depoimentos, o agente penitenciário estava em uma mesa em um bar no Jardim Santa Mônica, no dia 13 de dezembro, quando um homem não identificado, usando capacete, entrou e pediu uma bebida no balcão. Em seguida, outro homem, posteriormente reconhecido como sendo Juliano Pinto, ENTROU NO ESTABELECIMENTO E DISPAROU DUAS VEZES CONTRA A VÍTIMA, que caiu no chão. O TERCEIRO TIRO, NA CABEÇA DE FONSECA, FOI DISPARADO QUANDO ELE JÁ ESTAVA CAÍDO. Os homens roubaram uma pistola calibre 380 do agente penitenciário."

    cadê o latrocínio?!

    obviamente foi execução. governo mete esse louco pra não pagar indenização para a família do guarda, isso sim

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.
Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.