quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Ministro da justiça diz que o problema do sistema prisional é a corrupção.

Quem é ele pra falar isso?
Sendo que era secretário da segurança pública do estado que o crime organizado domina os presídios e a periferia das grandes cidades, graças a incompetência do desgoverno de SP.
Ou seja, nessa entrevista ele culpa os agentes penitenciários pelas mazelas do sistema penitenciário, só que ele esquece que a maioria das prisões trabalhamos com 1/3  de agentes do que seriam necessários e geralmente essas prisões tem mais que o triplo da capacidade.

O SENHOR É INCOMPETENTE!!!!! COLOCA A CULPA DA SUAS FRAQUEZAS NA CLASSE TRABALHADORA...

Fonte: Estadão



‘Problema do sistema prisional é a corrupção’Ministro reitera importância de capacitar agentes penitenciários e fala em crise aguda gravíssima ‘sob controle’
1

Fabio Serapião e Luciana Constantino

12 Janeiro 2017 | 03h00
‘Problema do sistema prisional é a corrupção’
Foto: André Dusek/Estadão
‘Problema do sistema prisional é a corrupção’
Crime. ‘O combate (às facções) não foi perfeito, precisaria ter avançado’, diz Moraes
BRASÍLIA - O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, disse nesta quarta-feira, 11, que o “maior problema do sistema penitenciário é a corrupção”. Após a morte de 97 presos em Manaus e Boa Vista na semana passada, Moraes afirmou que o sistema penitenciário vive uma crise “aguda gravíssima”, mas que está sob controle. Leia a seguir trechos da entrevista.


Por que é preciso um Plano Nacional de Segurança Pública?
Era um pedido dos secretários de Segurança Pública que houvesse uma integração maior do Ministério de Justiça, para que não fosse só um almoxarifado. Principalmente em relação às fronteiras, o tráfico de drogas e armas, de inteligência e uma interação maior com a Força Nacional. Essas metas do plano a União sozinha não resolve, nem os Estados.


Qual a diferença desse plano para os outros?
Todos os outros planos eram cartas de intenção. Fizemos um plano operacional, tudo já tem meta e foi discutido com os Estados. As 27 capitais foram mapeadas, homicídio por homicídio, a violência doméstica, os hospitais, tudo já está mapeado.


As Polícias Civis são hoje cartórios de registro de homicídios, só 8% são elucidados. Como um plano nacional resolve um problema estadual?
Para investigar e solucionar, precisa de perícia e equipe de investigação, as duas coisas estão previstas no plano. Dentro da Secretaria Nacional de Segurança Pública vamos criar um departamento de Polícia Judiciária e de Perícias. Para cada capital vai uma equipe e cada Estado vai oferecer a sua equipe para trabalhar juntos para investigar homicídios que já estão catalogados.


O plano foi lançado em meio à crise das facções. Ele mira esse problema?
A questão penitenciária é crônica e de tempos em tempos temos uma crise aguda, não se resolve com um passe de mágica. Temos de construir presídios, porque há um déficit muito grande, e fazer a divisão de presos por periculosidade. Já implementamos o descontingenciamento do Funpen (Fundo Penitenciário Nacional), que deve criar cerca de 30 mil vagas. Gangues dentro de presídio o mundo todo tem, o que o Brasil peca é que quem está lá dentro consegue se comunicar com quem está fora. É uma sequência de erros. O maior problema do sistema penitenciário é a corrupção, não adianta scanner, raio X, se o operador na hora fingir que não viu. Por isso, o plano prevê capacitação dos agentes.


Hoje há um mapeamento das facções e seus líderes?
No âmbito estadual, cada secretaria tem. O Ministério Público tem. Nacionalmente temos, quem está aqui, quem está ali. O que falta e estava parado é quantos presos temos. Quem falar que sabe o número de presos hoje, está inventando. Por que? Porque não é informatizado. Vamos gastar R$ 43 milhões para em seis meses centralizar as informações.


Mas sabemos quais facções existem, onde atuam?
De forma integrada temos tudo isso, e as secretarias trocam essas informações de inteligência e sigilosas. Em Roraima, por exemplo, assim que começou a dar problema se trocou quem era ligado ao PCC, à Família do Norte.


Houve falha no combate às facções no Brasil?
Não gosto de culpar ninguém. Há o combate às facções, as lideranças estão presas. O combate não foi perfeito. Nos últimos 10, 15 anos houve junção de quadrilhas de banco, tráfico de armas, a entrada do crack. E o Brasil não acompanhou essa alteração na velocidade que deveria. Precisaria ter avançado, seja no sistema penitenciário, que foi abandonado, ou integração com os Estados.


O sr. disse que o sistema prisional está sob controle. Em Roraima, os presidiários tomam conta dos presídios, em Manaus também. Está mesmo sob controle?
Está sob controle. O sistema prisional brasileiro, que vive uma crise crônica, está em uma crise aguda gravíssima. Tem problemas? Tem, mas não é possível dizer que está fora do controle. O combate tem de ser aperfeiçoado e vai ser melhorado.


Houve demora do governo para dar resposta a essa crise? O sr. e o presidente Michel Temer foram criticados por demorar a falar sobre o assunto.
Não houve demora. Temos de lembrar que vivemos em uma federação e o Estado tem autonomia para dizer onde precisa de ajuda. Fiquei em Manaus segunda-feira e terça, cheguei à noite, o presidente estava me aguardando para passar um relatório e verificar o que emergencialmente poderia fazer. Em nenhum momento houve atraso. O presidente falou quando achou conveniente já anunciar o que iria fazer.
O governo de Roraima reclamou do pedido de ajuda negado no ano passado.
Se o pedido for feito novamente, será negado.


Não foi o mesmo contemplado nesta semana?
De forma alguma. O que a governadora Suely Campos pediu em novembro foi que a Força Nacional assumisse a administração das penitenciárias. A Força Nacional não pode legalmente assumir isso. A governadora queria substituir os servidores e colocar agentes da Força Nacional. Isso é legalmente impossível.


É possível centralizar o combate às facções, já que elas atuam no País inteiro?
Isso será feito com o serviço de inteligência. Cada núcleo conversa entre si e as informações serão centralizadas no ministério, mas a operação tem de ser no Estado.


Será criado um Ministério da Segurança Pública?
Isso depende de o presidente mandar projeto de lei e o Congresso aprovar. A discussão sobre segurança é importante, mas não há no governo a intenção dessa criação porque o que se pretende o Ministério da Justiça está fazendo. Sou contra a criação neste momento. Agora você quer transformar a Secretaria Nacional de Segurança Pública em ministério e colocar a PF de um lado, Depen (Departamento Penitenciário Nacional) de outro. Seria replicar o modelo errado.

15 comentários:

  1. Ele conhece bem isso pois está no ninho das cobras...E ainda é gravata do PCC.

    ResponderExcluir
  2. Ele entende bem de corrupção então sabe do que esta falando. Onde existir ser humano existira corrupção, o que tem de existir são sistemas e procedimentos que minimizem a possibilidade do corrupto agir, E a SAP ta largada mesmo, como dizem, está na banguela, são servidores desmotivados, diretores puxa sacos, salários defasados, etc...

    ResponderExcluir
  3. Cada dia que passa fico mais decepcionado com a Sap, pois estou na fila para o CDP de Riolândia, e a Sap simplesmente ignora a LPT e tranferi quem ela quer.
    Não é facil ver guarda que estava em 40° ir embora, nada contra o Agente, porém isso é decepcionante.
    Segui a publicação:

    GABINETE DO SECRETÁRIO

    Resoluções de 10-1-2017

    Transferindo, nos termos do art 16-A, inc II, da LC 959/2004, acrescentado pela LC 1060/2008, o cargo de Agente de Segurança Penitenciária de Classe I do SQC-III-QSAP, provido por ANTONIO CARLOS SANTANA DA SILVA, RG 25.381.748-1, do Centro de Detenção Provisória de Pontal, da Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Noroeste do Estado para o Centro de Detenção Provisória “ASP Valdecir Fabiano” de Riolândia, da Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Oeste do Estado. (Correio Eletrônico de 05.01.17– Regularização Funcional – Caráter Excepcional)

    Este ato da Sap também é um ato de corrupção.

    ResponderExcluir
  4. Corrupção? ACABA COM INDICAÇÃO DE DIRETOR!!! CONCURSO INTERNO JÁ!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão, não sei se funcionara, pois existem muito ASP super inteligente e sem malicia nenhuma e assim, o problema continuara. Mas, essa não é a questão chave e sim, a prova oral que havera após a escrita. Quem passara? E depois, ainda devera haver um curso preparatório (como havia antigamente) e quem passara nas primeiras colocações? Enfim, eu conheço ASP que não era puxa saco e virou diretor (mas, isso foi milagre) e se tornou um bom diretor. Uma solução tambem seri: conquistou os 10 décimos, entrega o cargo para outro e isso seria algo muito digno, mas tambem não ocorre ou ocorre com raridade. Enfim, assim caminha a humanidade.

      Excluir
  5. Se colocar diretor pra disputar vaga....de cada 10 deve passar 2 no máximo!! Rsrs

    ResponderExcluir
  6. Estranho ministro falar em corrupção, quantas vezes ele foi em uma unidade prisional, e pergunto, qual a capacidade dessa unidade, quantos agente tem por plantão. Na unidade que trabalho é para 586 reeducandos, e tem hoje 1700. Todo mês vai juiz corregedor lá, mas só para saber dos detentos. Nunca perguntou qual efetivo de agente para manter a ordem e disciplina na unidade. Pois nos todos que estamos na linha de frente, sabemos que a falta dá agente e grande, principalmente no turno dá noite. Uma unidade com triplo dá sua capacidade, com um efetivo de 8 agentes. Será que a SAP passa isso para eles. Aí falar do agente e colocar o problema na nossa conta e fácil.e outra não adianta nada dar treinamento para ASP, se não tiver efetivo. E lembrando precisamos ser reconhecido, já ajudaria se nós incluísse, no art 144. Já seria um começo, por que o resto o ASP, leva o sistema de SP com aproximadamente 220 mil detentos no peito. Somos a base do sistema. Será que agora vcs políticos perceberam isso.Estado de AM população carcerária 36mil.podemos ajuntar dez estado para dar a população carcerária de SP. Não desrespeitando os outros Estado. Só que ninguém fala dá população carcerária de Estado mais rico do país.

    ResponderExcluir
  7. Olha só quem ta falando de corrupção procurem no google o nome ALEXANDRE DE MORAES e vejam, não vou nem perder meu tempo em comentar as palavras desse................

    ResponderExcluir
  8. A corrupção existe desde os tempos de Adão e Eva, o que precisa é a SAP não ser tão morosa nas demissões. A grande maioria de ASP é formada por pessoas honestas e guerreiras e quando um secretário de Estado fala isso, coloca-nos todos na mesma "panela". Deveria enaltecer os bons e "lenha" nos corruptos. Ele não pode se esquecer que até nosso Presidente da Republica vem de uma chapa eleitoral podre e corrupta ao extremo.

    ResponderExcluir
  9. Concordo que o problema do sistema penitenciário é a corrupção. Aliás não só do sistema penitenciário, mas também da educação saúde segurança etc. Se os amiguinhos políticos dele parassem de ser corruptos todos os setores do governo que citei estariam funcionando muito melhor. Para ser mais objetivo: PAREM DE ROUBAR O DINHEIRO PÚBLICO

    ResponderExcluir
  10. Esse é um comédia mesmo,,vem virar chave no raio lotado de ladrão pra ver como é que é..falar na mídia e acusar quem trabalha honestamente é muito fácil vacilão

    ResponderExcluir
  11. ele está preocupado porque a família dos nóias ( fdn) estão matando seus ex-clientes?

    ResponderExcluir
  12. Frase atribuída a Lenin, mais atual do que nunca !!!
    "acuse os do que você faz xingue os do que você é".

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.

Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.