sábado, 4 de março de 2017

Mãe obtém na Justiça direito de visitar presídio paulista após não passar em revista eletrônica.

Só falta virar moda.


Fonte: Carta Capital.


Sexta-feira, 3 de março de 2017
Mãe obtém na Justiça direito de visitar filho em presídio após não passar em revista eletrônica

Após ação da Defensoria Pública de SP, a Justiça garantiu a uma mãe o direito visitar o filho na Penitenciária I de Guareí, onde ele está detido. Maria (nome fictício) possui placas de platina no fêmur e dois pinos no punho, o que impossibilita a revista eletrônica durante as visitas, motivo pelo qual ela foi impedida de acessar as dependências internas da unidade prisional. O único contato que ela tinha com o filho era no parlatório, local onde não é possível o contato direto com o familiar.

Para conseguir ter um contato mais próximo com o filho, Maria procurou a Defensoria Pública em Itapetininga, cidade onde reside. Na ação, o Defensor André Paulo Francisco Fasolino Menezes evoca os direitos do preso garantidos pela Lei de Execução Penal. “A genitora, além de sofrer com sua deficiência, também vem sofrendo por não poder visitar seu filho no raio”, escreveu o Defensor.

Na decisão, proferida em 20/02, o Juiz Alessandro Viana Vieira de Paula, considerou que “a visita ao reeducando é importante, senão imprescindível ao processo de ressocialização”. Desse modo, determinou a autorização para que Maria, com a condição de submeter-se a revista pessoal, seja autorizada a visitar o filho no pavilhão do presídio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.

Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.