quarta-feira, 24 de maio de 2017

Manifestação em Brasília tem confrontos e fecha ministérios.

Fonte: Veja

Manifestação em Brasília tem confrontos e fecha ministérios; siga
Presidente Michel Temer (PMDB) põe 1.200 militares do Exército para tentar conter protesto, que reuniu cerca de 35 mil manifestantes, segundo governo do DF

Por Da Redação access_time 24 maio 2017, 18h35 - Atualizado em 24 maio 2017, 19h16 more_horiz






Manifestantes do Ocupa Brasília pedem Fora Temer
Tumulto entre policiais e manifestantes durante ato convocado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Força Sindical e outros sindicatos de várias partes do Brasil - 24/05/2017 (Andressa Anholete/AFP)
Cerca de 35 mil pessoas, segundo estimativa da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Paz Social do Distrito Federal, protestaram em Brasília nesta quarta-feira contra o presidente Michel Temer (PMDB), em ato que teve confronto com a Polícia Militar – com direito a bombas de gás e de efeito moral -, feridos, prisões e ao menos três ministérios incendiados e outros depredados. O número de feridos e presos ainda não foi divulgado.

O protesto foi convocado por centrais sindicais como a CUT (Central Única dos Trabalhadores), partidos de esquerda como PT, PSTU, PCdoB e PSOL, movimentos sociais como o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) e organizações de esquerda como as frentes Povo sem Medo e Brasil Popular.

Os confrontos e depredações nas ruas levaram Temer a assinar um decreto chamado GLO (Garantia da Lei e da Ordem), autorizando o uso das Forças Armadas para conter os manifestantes. Ao menos 1.200 homens do Exército foram colocados imediatamente nas ruas. O decreto, que vale por uma semana, foi duramente criticado por deputados e senadores e levou à bate-bocas, empurrões e suspensão de votações na Câmara e no Senado.




Veja abaixo como foi o dia de manifestações na capital federal:



18h35 – O ministro Osmar Terra (Desenvolvimento Social e Agrário) criticou os manifestantes durante toda a tarde nas redes sociais, mas cometeu um deslize ao publicar a foto abaixo como sendo do incêndio no prédio do Ministério da Agricultura, mas não é: é de uma ocorrência em prédio do INSS em 2005. Logo depois, ele se corrigiu.


(Reprodução/Reprodução)

(Reprodução/Reprodução)
18:30 – A Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Paz Social do Distrito Federal estimou em 35 mil o número de manifestantes nas ruas de Brasília nesta quarta-feira.


Manifestação em Brasília contra o governo Temer e pela convocação de eleições diretas – 24/05/2017 (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

18:10 – Principal adversário do governo Temer no PMDB, o líder do partido no Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) criticou a decisão do Executivo de convocar as Forças Armadas para garantir a lei e a ordem e declarou que “não serão as Forças Armadas que irão sustentar esse governo”. “É constitucional chamar as Forças Armadas, mas beira a insensatez fazer isso em um momento em que o país pega fogo. Beira a irresponsabilidade. E fazer isso de forma dissimulada, dizer que foi a pedido do presidente da Câmara dos Deputados, que negou. Fazer isso dissimuladamente e atribuir ao presidente da Câmara dos Deputados é um horror. Se esse governo não se sustenta, [se] é verdade ou não é, não serão as Forças Armadas que irão sustentar esse governo”.

18:02 – O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), divulgou o ofício que enviou ao presidente Michel Temer (PMDB) mostrando que ele pediu o apoio da Força Nacional de Segurança, não dos militares das Forças Armadas. Temer autorizou e colocou nas ruas 1.200 militares dizendo que atendeu a pedido de Maia.


(//VEJA)

17 comentários:

  1. isso mesmo temm que ser desse jeito, atraves das manifestaçoes, o povo não aguenta mais ou seja nos não aguentamos mais. chega!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Quando quebra casa de assassino,estripador todo mundo acha certo agora quando quebra a casa de ministério pra ferrar o povo ficam brabo

    ResponderExcluir
  3. Foi bonito de ver
    E o povo precisa pegar cada vez mais pesado ,por aquele lugar no chão.

    ResponderExcluir
  4. Pesa a acusação de que agentes penitenciários atiraram nos policiais do DF. Acusação gravíssima, tem que provar, falar até papagaio fala.

    ResponderExcluir
  5. Sou contra vandalismo. MAS SE OS POLÍTICOS não entendem a mensagem das ruas , ENTÃO VAI TER QUE SER ASSIM MESMO!O POVO NÃO AGUENTA MAIS! CHEGA! !CAI FORA!VAMOS TER QUE DESENHAR!

    ResponderExcluir
  6. Se essa pequena parcela, fez este estrago e quando for pra valer...

    ResponderExcluir
  7. Parabéns aos corajosos que lutam pela maioria. Tem que mostrar ao s políticos desse país que o poder emana do POVO! O povo paga os impostos, o povo quem trabalha e paga os salários desses desonestos, consequentemente, temos por direito, sermos ouvidos....se não ouvem por bem, vai por mal mesmo. muitas vezes é necessário dar uma de "louco".

    ResponderExcluir
  8. Rodrigo Maia deixou bem claro que não aceitará nenhum pedido de impeachment contra Temer, deixando bem nítido que ele esta preocupado somente com seu bolso e o povo brasileiro que se lasque, estão colhendo o que plantaram, Sou contra atos violentos mas nesse momento é a única atitude que os bandidos digo políticos temem. Digo isso porque quando os agentes penitenciário invadiram o plenário da câmara dava para ver a expressão de medo na cara desses pilantras.

    ResponderExcluir
  9. atenção​ ASPs não sejam "esquema" da força sindical e CUT e também do molusco de nove dedos, temos que se manifestar somente nossa categoria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pare de achar que nós asps somos melhor que os demais do povo, somos a base da pirâmide, somos o chão de fábrica, só nossa categoria não é capaz de barrar as reformas ! Saia do seu conforto e venha pra luta

      Excluir
  10. O que vem de Renan Calheiros não serve nem para esgoto. O unico perigo dentro dessas depredações é o incentivo as "diretas já" onde só existe um priveligiado e todos sabem quem é. Sim, aquele barbudo enrolado até o pescoço em patifarias. Nesse momento sou contra as "diretas já", pois 2018 esta chegando e lá, já fora desse alvoroço todo, estaremos com a mente mais preparadas para escolher um novo Presidente. Hoje estamos todos "a milhão" e muita coisa feita será de arrependimento e tambem, de honra. Não sou contra a reforma previdenciaria, desde que ocorra ajustes. Os sindicatos foram pra Brasilia por um unico motivo, ser contra a desobrigação de pagarmos a contribuição anual obrigatoria. EU ESPERO QUE TUDO SE RESOLVA DA MELHOR MANEIRA POSSIVEL, MESMO QUE A ULTIMA HIPOTESE SEJA A FORÇA, MAS PELA LUTA EM PROL DA NOSSA CATEGORIA E NÃO PARA AJUDAR SINDICATOS DISSO OU DAQUILO. Alem das nossas camisas pretas, Brasilia estava inundada de camisetas vermelhas e ai, já viu né meus amigos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brasília estava cheia de camiseta preta, vermelha, verde e amarela. Não precisa ter medo das urnas ela traz a solução que o Brasil precisa.

      Excluir
    2. VERDADE ...DORIA NELES EM 2018.

      Excluir
  11. SERIA UMA BELA MANIFESTAÇÃO SE NÃO TIVESSE O DEDO DE PARTIDOS DE ESQUERDA QUE QUEREM O CANALHA DO LULA DE VOLTA NA PRESIDÊNCIA! FORA TEMER E FORA LULA!!! BOLSONARO 2018.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente isso chef ,falou tudo. Quando o Pt esta por trás as manifestações pegam fogo .
      Bolssonaro 2018 já

      Excluir
  12. Tem que prender vândalos e bandidos!

    ResponderExcluir
  13. Só sindicatos desesperados,vêm logo reforma trabalhista kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.

Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.