quinta-feira, 14 de junho de 2018

Três detentos tentam pular e fugir de presídio em Mongaguá, SP.


Peço desculpas por não conseguir responder a todos amigos e amigas que me perguntam sobre a minha recuperaçã, fiz um mini texto no final dessa postagem sobre a minha situação agradecendo, estarei tomando alguns por uns dias e isso faz com que fique poucos minutos por dia em frente ao celular e computador.

Vamos ao assunto das tentativas de fugas que consegui escrever hoje.


Essas evasões publicadas pelo G1 foram na madrugada no dia 12 desse mês.

A matéria do G1 diz que um foi recapturado e dois voltaram para o pavilhão, mas mesmo assim o título diz que Pularam e fugiram.... 

Pra que isso? Apenas pra vender notícia?

Trabalhei dois anos nessa unidade (CPP Mongaguá), entre 2.004 e 2006, além de dez anos no CPP Atalíba Nogueira em Campinas,  entre 1.994 e 2004, (tenho orgulho de ter iniciado e aprendido a trabalhar no Atalíba Nogueira e passado por Mongaguá), até mesmo pela quantidade de amigos abnegados, honrados e comprometidos com o trabalho que conheci nessas unidades, é óbvio que em todas outras que trabalhei tive a sorte de trabalhar com pessoas desse nível, que ajudaram forjar o meu caráter, mas cito essas duas pelo tema aqui ser presídios de regime semiaberto.

Respondi alguns processos por tentar impedir evasões em presídios de regime semiaberto, mas graças a Deus fui absolvido de todos, alguns amigos foram baleados por criminosos inclusive, lembro do amigo Caio de Mongaguá e do amigo Fermo de Campinas.

Os CPPs (Centros de Progressões Penitenciárias, presídios de regime semiaberto), vivem uma realidade dura muito tempo, assim como CDPs, penitenciárias, Hospitais de Custódias, cada qual com as suas dificuldades.

Mas no caso dos CPPs,  como a legislação não permite AEVPs, os próprios ASPs tentam fazer "milagre" para fazer a segurança externa.

É preciso mudar a legislação.

Veja a matéria do G1 abaixo da publicidade.






Fonte da matéria abaixo: G1.

Três detentos pulam muro e fogem de presídio em Mongaguá, SP
Um preso que tentava escapar se machucou e foi capturado. Outros dois voltaram ao pavilhão.
Por G1 Santos

13/06/2018 15h30 Atualizado há 14 horas

Penintenciária de Mongaguá, SP (Foto: Reprodução/TV Tribuna)

Três detentos conseguiram fugir do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de Mongaguá, no litoral de São Paulo, na madrugada desta quarta-feira (13). Outros três reeducandos também tentaram escapar, mas um foi capturado e dois voltaram para o pavilhão.

Segundo a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), por volta das 3h50, durante ronda externa, um agente avistou um suspeito munido com arma de fogo na área externa do muro da unidade prisional, que seria responsável por acobertar a fuga.

Ao comunicar o fato aos demais agentes, outro servidor, escalado na torre de vigilância 5, avistou seis reeducandos correndo pelo campo do Pavilhão 5 e acionou o alarme de evasão. Os presos estavam munidos de espetos, cordas e uma escada, feitos artesanalmente, e seguiram em direção ao muro, onde o homem armado os aguardava.

Três detentos conseguiram fugir escalando e pulando o muro. O quarto acabou escorregando ao tentar subir no muro, devido à forte chuva, caiu no chão e bateu a cabeça. Ele foi recapturado pelos agentes, encaminhado ao setor de enfermaria e, em seguida, ao Pronto Socorro, em razão dos ferimentos.

Os outros dois reeducandos retornaram ao pavilhão assim que avistaram os agentes da penitenciária chegando ao local onde a fuga estava ocorrendo. Um funcionário tentou segurar as pernas de um dos setenciados, mas este conseguiu escapar e voltou correndo para o pavilhão habitacional.

Foi registrado boletim de ocorrência e instaurado Procedimento Apuratório Disciplinar. Os presos identificados foram encaminhados à cela disciplinar. Assim que recapturados, os fugitivos perderão o direito ao regime semiaberto, regredindo ao fechado.

A SAP ainda ressalta que as unidades prisionais de regime semiaberto, por determinação da legislação brasileira, não dispõem de vigilância armada, sendo cercada somente por alambrados. A permanência do preso nesse regime se dá mais pelo senso de autodisciplina do que a mecanismos de contenção.

Aos amigos que perguntam por mim, graças a Deus e as orações, rezas, pensamentos positivos dos amigos de trabalho, amigos pessoais e apoio da família, estou cada dia melhor, quanto a escrever no blog, acordo cedinho com vontade de escrever, é uma forma de estar perto dos meus amigos que sempre estiveram juntos comigo nessa luta difícil há 24 anos e principalmente após o dia 23 de janeiro desse ano que descobri o tumor que foi extirpado no dia 4 de junho, dia que nasci de novo, só sofro por não ter a biópsia em mãos ainda, e sempre preferir a palavra SIM ou NÃO, mas  os médicos insistem em me dizer por enquanto que o tumor que foi extirpado é SUGESTIVO BENÍGNO, portanto só me resta essa preocupação que acredito que no dia 18 desse mês, dia da consulta com a equipe médica, eu já tenha a resposta.

Desculpem o desabafo

Amém Deus!!!

Obrigado amigos!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Seu comentário é bem vindo, porém não será postado caso o moderador entenda que existam ofensas ou que não se aplique ao assunto da postagem.

Identificando-se, sua crítica, favorável ou contrária, terá mais credibilidade e respeitabilidade junto aos leitores.

Comente a postagem, para perguntas ou bate papo com o autor do BLOG,
jenisdeandrade@yahoo.com.br,
Jenis de Andrade no Facebook.